23/24 de abril de 2019

Frase do dia

Hoje, neste tempo que é seu, o futuro está sendo plantado. As escolhas que você procura, os amigos que você cultiva, as leituras que você faz, os valores que você abraça, os amores que você ama, tudo será determinante para a colheita futura.  (Padre. Fábio de Melo)

Ghostbusters

Iniciada a instrução processual relativa às denúncias do Ministério Público decorrentes da “Operação Caça Fantasmas”, na qual diversas pessoas teriam sido nomeadas e recebiam salários sem trabalhar na Prefeitura de Mangaratiba durante gestões de 2016 / 2018. O Ministério Público tem o registro de cerca de 200 nomes e endereços de pessoas que praticavam tal crime.

Turismo em baixa

Apesar da colaboração de “São Pedro”, que propiciou dias de tempo bom no município neste feriadão, o balanço geral dessa última possibilidade de maior fluxo turístico ainda em clima de verão, acabou sendo decepcionante. Evidentemente, vários fatores contribuíram para isso, como a falta de qualquer atrativo especial, além da paisagem, como fizeram vários outros destinos turísticos do estado. Como lembra o comentarista do blog Rodrigo Âncora da Luz, aconteceram nesse período o “Festival do Café” em Petrópolis, o “Festival da Lula” em Arraial do Cabo e o “Festival de Doces” em Paraty.

Outra visão

Comentando a postagem, lembra um internauta: “Turistas, turistas mesmo, não temos no município há muito tempo. Alguns operadores tem algo parecido com turistas mas, via de regra, o que se tem hoje são visitantes predadores e esses afastam ainda mais os verdadeiros turistas e os operadores profissionais. Trabalhei no turismo em Itacuruçá, com o hotel Pierre e com Mauro Dantas (o criador do Tour das Ilhas ), e já era o final, mas tínhamos um bom número de turistas estrangeiros e os nacionais de ótimo nível, estive nisso de 2004 até 2010. O que se vê hoje é o que aconteceu no reveillon. E ainda tem gente que diz que o comércio local fatura com o carnaval e coisa e tal. O comércio ou os comerciantes são os mesmos, os mesmos meia dúzia de gatos pingados de cada distrito, e alguns já desistiram e foram embora. Não se tem novos comerciantes investindo por aqui, não se tem produtos de excelente qualidade como marca do comércio local (existem algumas exceções ) a rede hoteleira é pequena e os hotéis realmente excelentes estão na Rio Santos e são extremamente caros. Em Itacuruçá, se constroem kitnets, e não pousadas. A preservação ambiental é uma vergonha. O sr citou dois polos excelentes. Já viu a quantidade de hotéis e pousadas desses lugares? Já viu a quantidade e qualidade do comércio desses lugares? Já viu algumas normas e regras desses lugares? Por fim, e por tudo isso é fácil entender o nível e a quantidade dos turistas desses lugares. Belezas naturais nós temos, mas não é o bastante, é preciso gestão e envolvimento de todos os atores.

Também vale a reflexão

Ainda a respeito do assunto, expõe seu ponto de vista a moradora de Muriqui e cantora Mary Novaes:  “Tá difícil. É bem estranho, ver Muriqui, como vejo hoje! Não posso julgar o mundo porque não vivo no mundo. Vivo aqui. Então é daqui que eu posso falar! Vejo vários comerciantes, se acabando de trabalhar, inventando ideias mirabolantes pra chamar cliente, tentando. Um dia a gente cansa sabe? Um dia nos falta saúde. Então vem um feriado e já começa a oração. Corre logo no calendário, pra ver qual é o próximo! Corre na meteorologia da Marinha, pra ver se o tempo vai ficar ruim ou menos ruim. Renova aquela esperança, separa aquela mixariazinha suada, pra estocar bebida e comida. Então, a praia enche. O feriado chega. O tempo meio lá meio cá. Muriqui aparentemente cheio. Cheio de pessoas que trouxeram a cozinha de casa, dentro da bolsa de praia. As pessoas vem com carro lotado de roupas e compras. Tem como eu ficar chateada com o comerciante? Lógico que não tem. Como que o cara me paga se não vende? Quando eu comecei a cantar na noite há 20 anos atrás, cobrava 150. Era um dinheirão. Em vinte anos aumentei pra 300, que hoje não é nada. Nada, literalmente. Porque aqui ninguém quer pagar isso e eu não quero cantar por menos. Ficamos no impasse. Carnaval, foram churrasqueiras e mais churrasqueiras. Pessoas vendendo quentinha a 10 reais na praia. Vi bolsa de salgadinho e muito mais. Mas porquê? Porque está difícil pra todo mundo! Vim de Rio das Ostras e o custo de vida lá, é mais baixo que o daqui! O porquê, eu não sei. As coisas aqui são caras. Como não temos espaço físico e financeiro, pra concorrência e variedade, a fila dos mercados ficam gigantescas e ninguém quer vir pra Muriqui, pra ficar numa fila. A intenção é ficar na praia, né? Os 20 (suposição) ambulantes credenciados, aqueles que eu vejo, cumprimento e anúncio na praia, ao longo do ano, demoram pra conseguir uma liberação. Aí chega feriadão, tem 60! Desses, eu não anuncio nenhuma mercadoria no microfone, sei que eles também precisam, têm família e não estão ali pra se divertir. Estão na batalha também, porque está difícil pra geral, né? Porém, o limite de um começa quando o do outro termina! Acho particularmente, uma falta de respeito e compaixão, com os colegas que suaram atrás de uma credencial. Não vejo nada dando certo aqui! Será que eu estou certa ou tomei pinimba? Diga aí. Um comércio bem estabelecido aqui, que não seja a sorveteria da praia, caminhão, tá chovendo, carreta. Porque são todos do mesmo dono e como já diz o nome, no rala, rala, há anos! Diga aí. Um funcionário bem empregado em Muriqui, não precisa ganhar o que merece, porque aí já é milagre. Em Muriqui, tu abre uma barraca de pastel na garagem de casa. No primeiro mês, bomba. No segundo, ou vai falir ou a fiscalização vai fechar. Sim. Pra morador a fiscalização funciona! Pra ambulante que vem de fora, não! Aí eu vivo um fato. Posto e vem uma pessoa, dizer que “ataquei” a prefeitura. Seria cômico, se não fosse trágico! Creio que se alguém tacar um cabeção de nego em frente à prefeitura, vai ficar nisso mesmo, porque a prefeitura não age e nem reage! Muriqui é lugar de aposentado e pensionista. Se trabalhar, entra extra, se não, beleza também! Por conta disso, fui buscar novos lugares pra trabalhar e consegui, como de costume! Marca com pedreiro, encanador, mecânico, e cadê? É uma falta de palavra modelo! Falta de compromisso, mas não falta é o que falar da vida do colega que bebe contigo. Qual futuro dos meus filhos no município? Salve-se quem puder! Relacionado a trabalho, eu já pulei do barco, porque eu prefiro nadar do que me manter à deriva!” (Mary Novaes, via facebook)

A propósito

Informa uma fonte ligada à prefeitura, na área do planejamento do desenvolvimento do município, que a rodovia Rio Santos deve ser privatizada e o pedágio pode vir a ser instalado no trevo de Itacuruçá. Acrescenta ele que o Arco Metropolitano também deverá ganhar um pedágio, o que certamente irá diminuir o turismo da baixada para cá onde, segundo alguns, é muito fácil o sujeito colocar quinze reais de gás no automóvel, gastar mais uns vinte no mercado em bebidas e comidas e vir passar o dia por aqui sem mais nenhum gasto no comércio local.

Interesse no futuro

Para os servidores atuais e aposentados da prefeitura de Mangaratiba, vale a pena lembrar que o Previ-Mangaratiba informa o processo de eleição para os seus Conselhos. Os nomes dos candidatos podem ser acessados na edição 915 do Diário Oficial do Município.

300.000

O julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Superior Tribunal de Justiça, nessa terça-feira foi mais um episódio do processo que levou o petista à primeira condenação na Lava Jato e, meses depois, à prisão. Nele, Lula foi condenado em segunda instância em janeiro de 2018 a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex em Guarujá. Segundo um dos ministros do STJ, ele teve de examinar e revisar mais de trezentas mil páginas de petições, documentos e considerações jurídicas constantes desse processo. Mas, além dessa ação, Lula é réu em outros sete processos que tramitam tanto na Justiça Federal do Paraná como no Distrito Federal e em São Paulo. Vale lembrar que o ex-presidente também já foi condenado, em fevereiro desse ano, a 12 anos e 11 meses de prisão no caso do sítio de Atibaia. Ele recorre ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

4 comentários em “23/24 de abril de 2019”

  1. O prefeito tem q dar satisfaçao de onde veio a grana pra comprar ap na barra e bancar filha na usp. Com salario nao da pra isso.

  2. Bom dia, Prof. Lauro e leitores.

    Como morador, não sou contra o pedágio na Rio-Santos pois quem tiver o carro emplacado em Mangaratiba ou em Itaguaí não irá será cobrado como ocorre em Seropédica para os motoristas de lá e de Paracambi.

    Penso que o pedágio não só poderá gerar ISS para o Município como também teremos uma rodovia melhor conservada e conterá a super lotação na alta temporada.

    Infelizmente, o que está faltando no nosso Município é uma estratégia para atrair o turismo de qualidade sendo certo que a vinda de pessoas mal educadas para cá atrapalham a convivência entre os que procuram paz e tranquilidade com os bagunceiros que não sabem respeitar o sossego dos outros.

    Temos que ter eventos, mas não essas festas náuticas com bebidas baratas de má qualidade ou os funks horrorosos que, no meu ponto de vista, não agregam valor. Mas podemos, nessa época, por exemplo, investir em turismo gastronômico através de circuitos que envolvam restaurantes, quiosques e bares em todos os distritos.

    Ao mesmo tempo, precisamos trabalhar melhor o potencial do Parque Estadual do Cunhambebe (PEC) até agora carente de uma estrutura melhor como portarias, roteiros acessíveis com trilhas totalmente sinalizadas, banheiros, locais para estacionamento, camping, cantinas e balneários. E, apesar da inauguração da sede da unidade no Sahy, temos que ter outros postos avançados do PEC onde a Serra do Piloto poderia ser uma das vias de entrada assim como lá para os lados de Lídice e também de Mazomba.

    Caso o INEA não possa desenvolver esse trabalho, então que o PEC seja entregue à administração privada para que uma empresa séria desenvolva o ecoturismo ali com liberdade e inteligência, atraindo para cá visitantes que amam a natureza e que, além de respeitarem o ambiente, contribuirão para gerar emprego e renda nas comunidades do entorno. Aliás, seria uma oportunidade e tanto para a Serra do Piloto ter um atrativo, lembrando que parte da RJ-149 pode também se tornar uma rodovia-parque conforme prevê a legislação estadual.

    Ótima quarta-feira a todos!

  3. Boa noite. Pode procurar que ainda vai achar muito fantasma na PMM nesse novo governo. Alias consegue ser o pior dos ultimos 30 anos.O prefeito deveria ser chamado de Alan Fantoche e o vice Chicao vaquinha de presepio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: