10 de janeiro de 2019

Frase do dia

É doloroso sacrificar uma velha amizade a uma palavra ou gesto que nos escapa sem reflexão. (Afrânio Peixoto)

União

Prefeitos de Mangaratiba, Angra dos Reis e Paraty assinam Protocolo de Intenções a favor do Turismo Sustentável. Os gestores se reuniram nessa quarta-feira para discutir novas ideias para o crescimento do turismo  na Costa Verde. Foram abordados temas como duplicação da Rodovia Rio Santos e despoluição das praias. Durante o encontro, que foi na sede da prefeitura de Angra, os prefeitos assinaram o “Protocolo de Intenções”. O objetivo do documento é estabelecer entre os municípios uma parceria no sentido de viabilizar a constituição do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Costa Verde. Após a assinatura do protocolo, os técnicos de Turismo e Meio Ambiente das cidades envolvidas vão se reunir e apontar as demandas necessárias para a evolução do Turismo Sustentável na região. O material pronto será encaminhado aos governos estadual e federal, onde será entregue pessoalmente ao presidente Bolsonaro, ao presidente da Câmara Rodrigo Maia e ao Governador do Rio, Wilson Witzel.

Resgate da dignidade

Em entrevista à rádio Costa Azul FM, de Angra dos Reis, momentos antes do encontro dos prefeitos da região, o prefeito Alan Bombeiro registrou um sentimento que decerto deve calar fundo em todos os que moram, visitam e gostam do nosso município. Lembrando que as pessoas, por conta dos acontecimentos políticos e policiais dos últimos anos, têm vergonha de dizer que são de Mangaratiba, se propôs a resgatar o orgulho de ser mangaratibense.

Quem sabe?

A Prefeitura de Ubatuba encareceu a taxa de turismo para quem chega à cidade de fretado em excursões. A partir da última segunda-feira, está sendoé cobrada taxa de entrada R$ 3 mil para ônibus, R$ 1,8 mil de micro-ônibus e R$ 1,2 mil de vans. Os valores são até seis vezes maiores que o valor cobrado até o fim de semana, quando preço variava de R$ 1 mil para ônibus e R$ 200 para vans. Segundo o governo, medida é para regulamentar o número de veículos coletivos nessa modalidade que chegam ao município. A cobrança da taxa de turismo acontece na cidade desde 2015, quando um decreto da prefeitura criou regras para o estacionamento público na cidade. Com a regulamentação, todo ônibus, van ou micro-ônibus que entra na cidade já precisava fazer um cadastro na Companhia Municipal de Turismo e pagava uma taxa. Na tabela antiga, os micro-ônibus de até 24 passageiros pagavam R$ 500, as vans R$200 e os ônibus R$ 1 mil. A nova tabela ainda prevê, além da taxa de entrada, um adicional de permanência que varia de R$ 100 por dia para vans até R$ 200 para ônibus. O novo decreto ainda prevê desconto de 30% no pagamento da taxa para veículos de longa permanência em casos em que o turista estiver hospedado em hotéis e pousadas cadastradas na prefeitura e 50% nos casos de viagens feitas por agências também cadastradas.

Quem sabe? II

Com o reajuste, a entrada na cidade passou a ser a mais cara praticada no litoral norte de São Paulo. As demais cidades também usam o serviço de controle e aplicação de taxas. Em Ilhabela, o valor mais alto praticado chega a R$ 1,6 mil; em Caraguatatuba o valor é cobrado por passageiro, mas pode chegar a R$ 900 e em São Sebastião a taxa máxima é de R$ 700. Além da taxa de turismo, a cidade que aplicar, a partir deste ano, uma modalçidade de “pedágio ambiental”, que vai cobrar também dos veículos de passeio que entram na cidade. Segundo a lei aprovada, a cidade vai passar a cobrar de R$ 3 a R$ 70 dependendo da capacidade do veículo. De acordo com a gestão, a iniciativa é para investir na preservação do meio ambiente e se baseia em outras cidades que também tem reserva ambiental. Todo o valor arrecadado com a taxa vai ser investido na conservação, recuperação, obras e projetos educacionais voltados ao meio ambiente.  (Fonte: G1)

Na medida do possível

A administração de Itacuruçá está se esforçando para melhorar as condições de trafegabilidade das vias internas do distrito e de acesso a Muriqui. Na imagem abaixo, a recuperação da camada asfáltica nu trecho da RJ 14 no Axixá, nas proximidades do Atanásio.

Em busca do novo tempo

Não existe transformação sem dor. Todos nós sabemos que quando fazemos uma faxina na casa, é um processo demorado, mudamos móveis de lugar, ficamos no final doloridos pelo esforço. São anos e anos de possíveis rombos. Não estou defendendo ninguém, não faço parte de política e nem recebi cargo nenhum. Mas, precisamos ser realistas. Imagine como ele não encontrou a parte administrativa da prefeitura? Estão todos com amnésia? Vocês acham que em 40 dias podem ser ajeitados assim de uma hora para outra? Problemas de décadas não são resolvidos em 40 dias. Até uma lagarta, para se transformar em borboleta, precisa da metamorfose. Cristo para nos salvar, precisou morrer primeiro. Tenhamos um voto de confiança. São 40 dias apenas de mandato. Houve falha na comunicação! Sim houve. Mas, quem aqui nunca falhou? (Carlos André Martins Guia , via facebook)

Sexto ano

Só quem é professor entende a profundidade dessa afirmação.

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

2 comentários em “10 de janeiro de 2019”

  1. Sobre as cobrança de taxas para acesso às cidades turísticas. Sou contra. Penso que existem formas mais eficazes de gerir o chamado turismo predatório: ordenação pública, multa sobre desordem, incentivos ao setor hoteleiro e à segmentos do setor turístico, seja o eco, seja o de aventura seja o de resort ou ainda o de cultura. A desordem gera desordem, a pessoa se sente mal em sujar uma praia limpa, assim como quem gosta de bagunça não procura um lugar calmo para viajar e vice-versa. Acho que a cobrança de veículos e ónibus faz com que a cidade perca a mobilidade urbana. Imagina se uma empresa de trem deseja investir em uma cidade que vai sobretaxar os passageiros. O mundo é feito de interligações quanto mais conectada melhor é a cidade, mais oportunidades, mais emprego e mais turismo. Desconectar a cidade só produz a falência do local.

  2. Bom dia, Prof. Lauro e leitores.

    Embora muitos internautas de Mangaratiba estejam comentando favoravelmente as novas taxas sobre os ônibus e veículos de transporte de turistas no Município de Ubatuba e defendendo que algo semelhante ocorra aqui, tal como li ontem nas redes sociais, precisamos também levar em conta que valores muito elevados podem prejudicar a própria cidade durante a baixa temporada quando o comércio local conta basicamente com os consumidores que são moradores. Sem contar que as próprias pessoas residentes num lugar turístico podem querer fazer uma excursão para outros destinos, tipo ir a uma peregrinação em Aparecida do Norte, divertir-se na FLIP ou na “Festa da Cachaça” em Paraty, ou ainda sair para fazer compras na Rua Tereza de Petrópolis, mas precisarão embarcar na rodovia Rio-Santos porque a entrada do veículo no distrito ou na sede do Município encareceria sobremaneira o serviço.

    Resumindo, quero dizer que a criação dessas taxas apenas será medida justa caso haja uma adequada regulação e para tanto precisam ser aplicadas inteligentemente para atrair o turismo na medida certa. E também é fundamental haver um estudo prévio sobre qual a nossa capacidade máxima para cada balneário receber turistas sem comprometer a nossa qualidade de vida enquanto moradores.

    Ótima quinta-feira a todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: