11 de janeiro de 2019

Frase do dia

Haverá, acaso, para a formosura melhor companheira que a honestidade? (William Shakespeare)

Cooperação

Ao contrário dos temores relativos a gestões anteriores quanto à possibilidade de desvios de recursos públicos, comerciantes e moradores do município começam a participar ativamente no auxílio à solução de alguns problemas. A Unidade Básica de Saúde de Itacurtuçá, por exemplo, recebeu a doação de ventiladores, que foram instalados nas áreas de Fisioterapia, recepção, refeitório, e corredor dos ambulatórios. Outro comerciante doou fios e tomadas necessários e a equipe da sub-prefeitura do distrito providenciou a instalação. Em outro ponto do distrito, outro comerciante, da área de materiais de construção, doou e entregou no local cimento, terra e brita para o conserto de um grande buraco que cortava uma das ruas de acesso ao distrito. A obra está sendo realizada pela equipe da administração distrital.

Reequipando

A Unidade Básica de Saúde de Itacuruçá ganhou o reforço de mais um ginecologista, um Pediatra e um endocrinologista pra compor o time de ambulatório da unidade passando a contar com: Angiologista, Neurologista, Cardiologia (2), Nutricionista, Fonoaudióloga, Fisioterapeuta (4), Pediatra (2), Ginecologia (2), Urologista, Psicologia (2), Cirurgião dentista

Ghostbusters

Por conta do recadastramento de servidores e contratados, determinado pelo decreto 4.005, há notícias de que Mangaratiba era um verdadeiro “Casarão mal-assombrado”, tal a quantidade de “fantasmas” que estão sendo identificados.

Figueirão

Pode até parecer inimaginável, mas moradores da região registraram em fotos, que estão roubando o gramado do campo do “Figueirão”.

Soluções para o turismo

Embora muitos internautas de Mangaratiba estejam comentando favoravelmente as novas taxas sobre os ônibus e veículos de transporte de turistas no Município de Ubatuba e defendendo que algo semelhante ocorra aqui, tal como li ontem nas redes sociais, precisamos também levar em conta que valores muito elevados podem prejudicar a própria cidade durante a baixa temporada quando o comércio local conta basicamente com os consumidores que são moradores. Sem contar que as próprias pessoas residentes num lugar turístico podem querer fazer uma excursão para outros destinos, tipo ir a uma peregrinação em Aparecida do Norte, divertir-se na FLIP ou na “Festa da Cachaça” em Paraty, ou ainda sair para fazer compras na Rua Tereza de Petrópolis, mas precisarão embarcar na rodovia Rio-Santos porque a entrada do veículo no distrito ou na sede do Município encareceria sobremaneira o serviço. Resumindo, quero dizer que a criação dessas taxas apenas será medida justa caso haja uma adequada regulação e para tanto precisam ser aplicadas inteligentemente para atrair o turismo na medida certa. E também é fundamental haver um estudo prévio sobre qual a nossa capacidade máxima para cada balneário receber turistas sem comprometer a nossa qualidade de vida enquanto moradores. (Rodrigo Âncora da Luz)

Soluções para o turismo – Outra visão

Sobre as cobrança de taxas para acesso às cidades turísticas. Sou contra. Penso que existem formas mais eficazes de gerir o chamado turismo predatório: ordenação pública, multa sobre desordem, incentivos ao setor hoteleiro e à segmentos do setor turístico, seja o eco, seja o de aventura seja o de resort ou ainda o de cultura. A desordem gera desordem, a pessoa se sente mal em sujar uma praia limpa, assim como quem gosta de bagunça não procura um lugar calmo para viajar e vice-versa. Acho que a cobrança de veículos e ônibus faz com que a cidade perca a mobilidade urbana. Imagina se uma empresa de trem deseja investir em uma cidade que vai sobretaxar os passageiros. O mundo é feito de interligações quanto mais conectada melhor é a cidade, mais oportunidades, mais emprego e mais turismo. Desconectar a cidade só produz a falência do local. (Miguel Arturo, via área de comentários do blog)

O caminho do meio

Com o retorno das atividades do legislativo agora em fevereiro, eis aí um tema que deveria merecer atenção dos nobres Edis, a discussão de alternativas quanto à repressão ao turismo predatório. Uma sugestão que poderia ser pensada, levando em conta a notícia abaixo referente à possível entrega da Rio x Santos à iniciativa privada, seria o estabelecimento da cobrança de taxas apenas no período da alta temporada. Desse modo, além de evitar o excesso de visitantes concentrados em um único período do ano, permitiria incentivar visitantes a visitar o município, seus distritos e ilhas (sem pagamento de taxas) nos meses de menor movimento de pessoas, estabelecendo valores diferenciados para diferentes épocas do ano.

Rio x Santos

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou nessa quinta-feira que o governo vai incluir a rodovia Rio-Santos no leilão de relicitação da Nova Dutra (Rio-São Paulo). Em 2017, o Programa de Parcerias de Investimentos decidiu relicitar a concessão  da Nova Dutra, que está próxima de vencer. O trecho é operado pela empresa CCR e é a principal ligação terrestre entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Para o governador de São Paulo, João Doria, a concessão da Rio-Santos para a iniciativa privada vai melhorar a qualidade da rodovia, diminuir acidentes e fomentar o turismo no litoral.

Cesteiro que faz um cesto

A nota a seguir, por mais que pareça, não se refere a Mangaratiba, mas à cidade do litoral norte fluminense de Maricá: “Gente não é possível que a população de Maricá está sendo assaltada pela Enel e ninguém irá fazer nada? Tem pessoas que receberam conta de luz de 700 reais no valor e não tem consumo para isso. Já presta um péssimo serviço, toda hora tem queda de energia, oscilação na rede, e querem rebentar os contribuintes. Vergonha! Cadê o PROCON? Ninguém paga conta não lá no Procon? Alô vereadores que compõe a comissão de defesa do consumidor da Câmara, quando essa comissão irá a Brasília cobrar uma intervenção do ministério de Minas e energia nessa falta de respeito com o contribuinte de Maricá? Vocês podem utilizar recursos da Câmara para custear essa ida a Brasília, então por favor façam isso. A população não aguenta mais ser roubada pela Enel.” (Robinson Assis)

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

6 comentários em “11 de janeiro de 2019”

  1. Professor
    Eu sou um cara muito egoísta.
    Torço pelo Alan dar muito certo,não só porque ele pilota nosso avião.
    Se cair estabacamo-nos junto.
    E PIOR:
    A volta,ou revolta,ou trivolta do falecido.
    MORTE HORRÌVEL…

  2. Professor.
    Todo governo que começa tem 100 dias de lua de mel.
    Alan não está tendo.
    O cara pegou a prefeitura ARROMBADA.
    Pagou o que pode.
    Atrasou?
    Alguém paga sem ter dinheiro?
    Estou revoltado.
    Ele está sendo linchado pelas viúvas dos falecidos antecessores.
    Não lembram as merdas que tivemos antes???
    Deixem o Alan mostrar a que veio.
    Adiante veremos…

    1. Bom dia, Eduardo e demais leitores.

      Em via de regra também sou a favor de se conceder esses simbólicos 100 dias para um governo se firmar e mostrar a que veio, muito embora não se trate de uma regra absoluta.

      No entanto, o fato de um governo não haver completado esses cem dias não impede que se faça uma análise do mesmo, ainda que limitada aos atos praticados ou a alguns acontecimentos, o que, por óbvio, não poderá ser conclusivo. Formam-se suposições sobre como poderá ser a linha adotada até o final de mandato, qual o jeito de governar, se há ou não a tão esperada transparência, oportunidades reais de participar na gestão da coisa pública, etc.

      No caso de Mangaratiba, já passou o Papai Noel e, no momento, estamos iniciando a segunda metade desse emblemático período de cem dias. Aguardar o Coelhinho da Páscoa será tempo demais para uma gestão que tem prazo de validade de dois anos. Vamos ao menos tentar segurar até o Carnaval e assistir o desfile da Mocidade na Sapucaí.

      Ótimo sábado a todos.

      1. Rodrigão
        Não consegui postar o vídeo com o secretário mostrando o buraco financeiro,mas você deve ter visto.
        Tão falando horrores.
        De milicianos a FGs abusivos.
        Falai vós o que sabes.
        Ou não…

  3. Bom dia, Prof. Lauro e leitores.

    A pergunta do morador de Maricá, “Cadê o PROCON?”, também poderá, em breve, ser formulada aqui também.

    No entanto, será preciso que o projeto legislativo de n.º 46/2018, de autoria do ver. Rodrigo Bondim (PSOL), já aprovado pela Câmara, venha a ser sancionado pelo Chefe do Poder Executivo a fim de que vire lei municipal em Mangaratiba.

    Conforme consta resumidamente na ementa, tal proposta dispõe sobre a organização do Sistema Municipal de Defesa Consumidor – SMDC, institui a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor – PROCON, o Conselho Municipal de Proteção e Defesa Consumidor – CONDECOM, e o Fundo Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor – FMPDC, dando outras providências.

    Em 2017, outro vereador, o Prof. Renato Fifiu (PSDB), chegou a sugerir formalmente ao então prefeito, Arão de Moura Brito Neto, através da Indicação de n.º 113/2017, que encaminhasse ao Legislativo um projeto criando a coordenadoria do PROCON em Mangaratiba.

    Ambas as proposições estão disponíveis no site da Câmara Municipal e cuidam que uma questão que é indispensável para que haja mais justiça aos consumidores na nossa cidade.

    Ótima sexta-feira a todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: