19/20 de novembro de 2017

Frase do dia

Não importa a cor do cabelo, o estilo das roupas, muito menos a cor da pele. Nada disso define caráter.(Anônimo)

A volta da insegurança

Alerta Itacuruçá, cuidado com assaltos. Além do arrastão, na sexta-feira, no trevo de Coroa Grande, ontem, perto do condomínio solar, meliantes assaltavam pessoas que passam na rua da passagem de nível para pedestres. Há relatos que, semana passada, também aconteceram alguns outros.

Saveiro encalhado

Na manhã de domingo, a praia de Itacuruçá amanheceu com essa situação abaixo. Um saveiro, provavelmente durante a madrugada, se desprendeu da boia de ancoragem e foi jogado pela maré até a areia.

Acidente grave

Uma composição da MRS logística atropelou, na tarde de sábado, uma pessoa na passagem de nível em Muriqui. O local conhecido como passagem do Duca, próximo ao supermercado Costa Verde, teve uma tarde muito triste. Um casal atravessava a linha férrea quando a mulher caiu, levandou e deixou o celular. Seu companheiro retornou para buscar e acabou sendo atropelado pelo trem. Segundo moradores que presenciaram o fato a situação foi desesperadora e a mulher desequilibrou-se diante da morte. A mesma entrou em estado de choque e gritava desesperadamente. Diante da gravidade dos ferimentos o mesmo faleceu no local onde foi decepado. Pelas informações não são moradores da cidade e estariam passando o feriado em Muriqui. O fato será investigado pela 165°DP. (Fonte: Portal Mangaratiba)

Música nos quiosques

Pelo que observo, o assunto sobre as músicas nos quiosques virou o assunto desta semana que finda hoje e quero aproveitar a oportunidade para deixar aqui minha opinião. Penso que tudo tem hora para começar e acabar sendo que, no caso das músicas em quiosques, há que se respeitar os direitos dos moradores dos imóveis em frente à praia de descansar depois de certo horário noturno que, nos dias de domingo a quinta, poderia se iniciar às 18 horas, desde que não seja sábado ou domingo ou feriado na data seguinte. Neste caso, o som seria estendido o horário assim como no trídio carnavalesco e nos eventos que tiverem autorização especial pelo Poder Público. Certamente é um tema bem propício para a nossa Câmara Municipal debater fazendo consultas publicas à população e audiências em cada distrito praiano, lembrando que somos uma cidade turística, mas que, ao mesmo tempo, precisamos ser organizados e atrairmos visitantes que vão agregar valor a Mangaratiba. Sobre o lixo nos quiosques que muitos reclamam é algo distinto da questão do som devendo ser tratado separadamente. Aliás, se o comerciante explora a sua atividade no solo público, deve zelar pela limpeza do local em torno do estabelecimento na hora de fechar, sob pena de responder a processo administrativo, levar advertências, muitas, etc. Porém, com o encerramento, tendo ele terminado de recolher o lixo, não poderá ser responsabilizado por atos praticados por terceiros que nem consumiram seus produtos. (Rodrigo âncora da Luz)

Responsabilidade social

Quanto à questão do lixo que a população residente encontra nas ruas nas manhãs após noites de grande movimento nos quiosques, o blog relembra a atitude cidadã do Sérgio Menino, que vende churrascos e kaftas na pracinha próxima à passagem de nível de Itacuruçá. Antes de iniciar e após terminar sua jornada, ele mesmo cuida de varrer, lavar e desengordurar o espaço onde trabalha.

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

3 comentários em “19/20 de novembro de 2017”

  1. Bom dia, Prof Lauro e leitores.

    Primeiramente agradeço por dar voz a simples cidadãos como eu que, mesmo sem possuir cargo público ou representação política, gosto de participar com opiniões sobre a nossa cidade.E ainda devo desenvolver melhor o assunto sobre a música na praia em meu blogue oportunamente para expor com mais clareza a ideia, pois admito que não coloquei tudo com os devidos detalhes e clareza.

    Hoje, porém, quero comentar sobre essa passagem na linha férrea que tem na rua Minas Gerais, aqui em Muriqui, a qual considero insegura por não ter espaço suficiente para a colocação de uma cancela, bem como não proporcionar uma maior visualização do pedestre, além de não haver ali mais alertas ou uma guarita. Aliás é uma travessia que, mesmo bem utilizada pela população, poderia ser fechada já que muito próximo a ela há outras duas melhores. A saber, na Praça Joao Bonfim e perto da rua Pernambuco.

    Infelizmente, a nossa linha férrea é insegura pois pessoas a todo momento trafegam por ela, além de haver residências irregularmente construídas onde não deveria haver nenhuma casa. Por essas razões, não são raros os acidentes ainda que muitas das vezes tais fatos se devam à imprudência do pedestre.

    De qualquer modo, sou contra extinguir a linha férrea mesmo que a Vale encerre as suas atividades no nosso Município pois poderíamos tirar um excelente proveito turístico da volta do trem de passageiros e do uso do terminal da Guaíba como parque temático, conforme já andei compartilhando anteriormente nas redes sociais.

    Para terminar, parabenizo a conduta do ambulante de seu Distrito que citou nesta postagem e aproveito para desejar a todos um excelente feriado de 20/11, mesmo com a chuva que hoje não está dando trégua.

    Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: