2 de setembro de 2021

Quando entrar setembro, e a boa nova andar nos campos, quero ver brotar o perdão onde a gente plantou. Juntos outra vez. (Beto Guedes)

Trouxa, eu?

Um morador de Itacuruçá, passando pela loja Leader, em Itaguaí, se interessou pela oferta de um pacote contendo cinco cuecas ao preço de vinte e dois reais. Pegou o produto e se dirigiu ao caixa para efetuar a compra. Quando a atendente passou a etiqueta codificada pelo leitor ótico, o preço na tela apareceu como sendo trinta e oito reais. Questionando a funcionária a respeito da diferença de preço, recebeu como resposta que a placa indicativa do preço lá na gôndola dizia, logo acima do preço, que era “a partir de”. Ele desistiu da compra e, ao sair da loja, percebeu que todos, literalmente todos, os preços expostos nas gondolas e araras continham a referência, em letras miúdas “a partir de”.

Defeso do mexilhão

Desde ontem, até o último dia do ano, a extração para comercialização de mexilhão não é permitida em nenhum local do país, conforme a instrução normativa n° 105/06 do IBAMA. Em todo esse período, nenhuma quantidade da espécie mexilhão perna-perna poderá ser extraída com fins comerciais. Em decorrência do Defeso do Mexilhão, a Prefeitura de Mangaratiba, através da Secretaria de Agricultura e Pesca, vai oferecer orientação para os pescadores que quiserem dar entrada no auxílio defeso. O atendimento está sendo realizado a partir de ontem, das 8h às 12h, na sede da Secretaria. O endereço é Avenida Vereador Célio Lopes, 61 – centro.

Caixa eletrônico

Está em processo de reinstalação o equipamento ATM (caixa eletrônico) em Itacuruçá, mais precisamente na padaria do Cerrado, local de onde havia sido retirado após um episódio de vandalismo. Segundo informações, o equipamento só estará plenamente operacional a partir de sábado.

Cultura

A Fundação Mário Peixoto acaba de divulgar a oferta de mais uma ferramenta para incentivar os artistas da cidade. Trata-se da Consultoria de Projetos, um serviço que faz parte do Programa Municipal de Formação na Área de Cultura, e que vai capacitar os artistas de Mangaratiba para participarem de editais de cultura nas esferas federal, estadual e municipal. A capacitação visa preparar a classe artística para aderir aos editais destinados a oferta de fomento e/ou recursos, emergenciais ou não, para a área da cultura. Facilitar esse processo impacta diretamente no setor, que hoje está amplamente prejudicado pela pandemia. Quem participar da Consultoria vai aprender a preparar documentação, apresentações, preencher os pré-requisitos e exigências de cada edital, seja ele disponibilizado pelo município, estado ou governo federal.

Cultura editais

Cultura II

Quem se inscrever na Consultoria ofertada pela FMP, já poderá se beneficiar no edital “Cultura nas Redes 2”, que acaba de ser aberto pelo Governo do Estado, através Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa, para premiar pessoas físicas que exerçam há pelo menos um ano serviços na área de cultura. A adesão poderá ser feita até o dia 29/09 e a previsão é que até sete iniciativas de Mangaratiba sejam premiadas. Quem quiser participar da Consultoria da FMP deverá agendar na sede da Fundação, na Rua Fagundes Varella, n° 146 – centro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h

Pensando bem

Desde as primeiras medidas contra a disseminação do covid19, a empresa viação Costa Verde suspendeu as linhas e seções que atendiam ao município de Mangaratiba em ligação direta com a rodoviária Novo Rio. Considerando que já se passou mais de um ano, sem que a empresa retome as linhas, não seria hora de o poder público e os senhores vereadores se articularem com o Detro para que a concessão seja passada para outra empresa interessada?

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

2 comentários em “2 de setembro de 2021”

  1. Quando entrar setembro, e a boa nova andar nos campos, quero ver brotar o perdão onde a gente plantou. Juntos outra vez. (Beto Guedes)
    A tua piscina tá cheia de ratos
    Tuas ideias não correspondem aos fatos.(Cazuza)

  2. Caro Prof. Lauro.

    Na sessão de 19/08 do corrente, a Câmara Municipal de Mangaratiba aprovou a Indicação de n.º 519, de autoria do vereador Leandro de Paula (Avante), no qual o edil requereu algo muito melhor do que o atendimento anterior da Costa Verde. Foi solicitada a expedição ofício ao Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (DETRO) solicitando “a criação de seções em distritos litorâneos de Mangaratiba nas linhas da viação Costa Verde que atendem à região e atravessam o nosso Município com pontos adequados de embarque e desembarque a serem construídos pela Prefeitura, próximos da rodovia Rio-Santos, nos quais haja a venda de passagens de ônibus”.

    Embora atualmente poucos usuários do Município façam uso dos serviços da Costa Verde, a ideia proposta pelo vereador pode de alguma maneira contribuir para amenizar um pouco os problemas dos moradores de Mangaratiba, veranistas e visitantes com o transporte rodoviário, proporcionando-lhes uma alternativa mais confortável e prática quando fizerem o trajeto de ida e volta à capital estadual de ônibus, bem como propiciando uma maior integração com as outras cidades turísticas da região, a exemplo de Angra dos Reis e de Paraty.

    Conforme exposto na justificativa da proposição, os ônibus que circulam pela rodovia Rio-Santos conduzem passageiros não somente para Angra dos Reis e Paraty, como também para o Rio de Janeiro, Nova Iguaçu e Niterói, sendo reconhecidos como uma opção “confortável não somente para turistas quanto para moradores”. Só que, na realidade, da maneira como vem funcionando até hoje, a gestão do serviço gera pouco interesse para os moradores de Município em viajar pela Costa Verde. Tanto é que a linha que liga que liga Mangaratiba ao Rio, entrando em Itaguaí, Itacuruçá e Muriqui acabou sucumbindo:

    “Ocorre que, na atualidade, não se mostra prático e nem viável do ponto de vista econômico tais ônibus deixarem suas rotas na Rio-Santos e irem até o centro dos nossos distritos para o embarque/desembarque de passageiros, tal como sempre ocorreu no passado com a linha Rio-Mangaratiba”

    Todavia, a indicação sugere como solução a construção de terminais de embarque e desembarque “específicos em pontos próximos à rodovia”, dando como exemplo a Lanchonete Capixaba, em Muriqui, na qual há plataformas, cobertura, assentos e estabelecimentos comerciais. E com isso, o vereador considerou que o Município poderá ter o que chamou de “pequenas rodoviárias”, entre Itacuruçá e Conceição de Jacareí, “o que dará uma nova imagem ao Município, aproveitando uma estrutura já existente”:

    “Por outro lado, sabemos que os terminais intermunicipais rodoviários precisam estar situados em locais estratégicos de modo que contribuam para a melhoria do serviço de viação rodoviária em cada distrito, diminuindo o fluxo de trânsito nas áreas urbanas, tal como se faz modernamente em várias cidades do nosso país. É certo que Mangaratiba, por sua geografia, não comportaria um único terminal rodoviário por nos faltar um núcleo urbano, sendo o Município composto, na prática, por várias pequenas cidades que seriam os quatro principais distritos: sede, Itacuruçá, Muriqui e Conceição de Jacareí”

    Outra ponderação feita pelo vereador é a necessidade de rapidez por parte dos passageiros nas suas viagens, motivo pelo qual também se excluiria o ingresso dos ônibus na sede do Município e dos distritos, sendo que apontou também um diferencial quanto aos serviços das linhas da Auto Viação Reginas que trafegam em áreas urbanas.

    “Ao nosso ver os serviços da Auto Viação Reginas podem coexistir com os da Costa Verde Transportes em veículos com características distintas em que um entraria nas áreas urbanas dos distritos e o outro trafegaria tão somente pela Rio-Santos, cruzando o território municipal, permitindo somente o embarque e desembarque de passageiros nos pontos pré-determinados nos quais haja conforto, segurança e todas as favoráveis condições possíveis”

    Além disso, foi abordada na indicação a necessidade de que as linhas que atravessam Mangaratiba rumo a Angra dos Reis e Paraty passagem a ter seção no Município ao invés da empresa cobrar o a tarifa do passageiro como se este tivesse embarcando na origem ou no ponto de seção mais próximo, o que acaba contribuindo para desintegrar as cidades da Costa Verde:

    “Todavia, é preciso que o serviço seja oferecido por meio de valores tarifários que sejam proporcionais aos percursos feitos pelos passageiros de modo que a criação de seções no nosso Município permitirá que uma viagem entre Mangaratiba e Paraty custe menos do que os R$ 81,86 (oitenta e um reais e oitenta e seis centavos) atualmente cobrados da capital estadual até à referida cidade histórica. Sabemos o quanto a integração de Mangaratiba com os demais municípios da Costa Verde é de grande importância para a promoção do turismo, viabilizando que roteiros sejam criados pelos próprios visitantes que incluiriam a nossa cidade e os seus distritos em seus passeios ao invés de simplesmente passarem rumo a outros destinos. Além do mais, a criação dessas seções e dos respectivos terminais de embarque e desembarque conectarão Mangaratiba até à rodoviária Novo Rio, com várias opções de horários partindo de Angra dos Reis, de modo que ficaremos menos isolados do restante do país.”

    Fato é que essa proposta para dar certo precisará não apenas da colaboração do DETRO e da empresa permissionária Costa Verde Transportes como também da Prefeitura e Mangaratiba, no sentido de viabilizar a transformação dos atuais pontos de parada nos locais privados em pequenas rodoviárias distritais, o que certamente vai dar uma nova apresentação para o Município, além de gerar oportunidades de trabalho e renda, multiplicando necessidades:

    “Por último, entendemos que os terminais específicos para embarque e desembarque próximos à rodovia Rio-Santos será benéfico para o comércio e criação de novos serviços, propiciando o transporte individual de passageiros numa distância razoável até às áreas urbanas dos respectivos distritos, além da agências de turismo que não somente emitiriam os bilhetes como também venderiam os passeios náuticos pelas ilhas da Baía de Sepetiba e a hospedagem em pousadas ou hotéis”

    Acredito que, se houver um mínimo de vontade política dos gestores municipais e estaduais, a ideia sugerida pelo vereador poderá sair do papel, a qual estimo que será mais lucrativa para a empresa porque poderá aumentar o número de passageiros transportados por quilômetro, resgatando a clientela perdida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: