07 de julho de 2020

Frase do dia

Acho que a revolução é na vida da gente. Com 18 anos você quer mudar o mundo e com 40 não quer mais. (Cazuza)

Bandeira azul

Como programado, a prefeitura de Mangaratiba divulgou, no fim do dia de ontem, a situação da pandemia de coronavírus segundo o sistema de bandeiras de classificação. Apesar da parcial liberação de bares e quiosques, continuamos no estágio denominado “bandeira azul”. Continuam as restrições de entrada exclusivamente para moradores e trabalhadores, a necessidade de utilização de máscaras e álcool gel em lugares públicos e a não aglomeração de pessoas.

Vacinação H1N1

A Secretaria de Saúde de Mangaratiba acaba de divulgar que a Campanha de Vacinação foi estendida até o próximo dia 10/07. Essa ampliação tem como objetivo atender os grupos prioritários da imunização que são, principalmente, crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, pessoas com deficiência, doentes crônicos, gestantes e puérperas até 45 dias. Também poderão ser vacinados adultos de 55 a 59 anos de idade e os professores das escolas públicas e privadas do município. A vacinação acontece nas Unidades Básicas de Saúde de Itacuruçá, Muriqui, Ranchito e Conceição de Jacareí, e também nas sedes dos programas Estratégias Saúde da Família (ESF) de Ibicuí, Ingaíba, Praia Grande, Serra do Piloto e São Sebastião. O atendimento é das 8h às 16h. A Secretaria de Saúde reforça que para receber a dose da vacina, basta procurar uma das salas de vacinação nos locais indicados e apresentar um documento como RG, CPF ou Cartão do SUS. Para os professores é necessário apresentar documento funcional que comprove o exercício da profissão. E para os doentes crônicos é obrigatória a apresentação da declaração do médico ou receituário recente autorizando receber a dose da vacina. Vale lembrar que o município já conseguiu ultrapassar as metas de imunização para alguns públicos-alvo da campanha, mas, que continuará aplicando as vacinas até o dia 10/07 ou enquanto durarem os estoques. E não se esqueça! Se for se vacinar, vá de máscara! (Fonte Prefeitura de Mangaratiba)

Regras estritas

Portaria do secretário municipal de segurança de Mangaratiba, publicada no diário oficial de ontem, estabelece regras de postura e apresentação pessoal para todos os integrantes da Guarda Municipal e Agentes de Trânsito, quando uniformizados ou em serviço. Levando em conta ambos os gêneros, a norma determina aspectos como corte de cabelo, uso de óculos escuros, maquiagem, barba e bigode, etc. No caso de servidoras do sexo feminino, a obrigatoriedade de cabelos presos em coque. Cavanhaque, piercing, cabelos coloridos, etc, estão proibidos. A medida decorre da necessidade de regulamentar as alíneas “n” e “o” do §3º do Art. 11 do Decreto 504 de 29 de junho de 2001.

Quem diz o que quer

Após a reabertura de bares e restaurantes no município do Rio de Janeiro, cenas de aglomerações foram vistas em muitas partes da cidade, apesar do protocolo adotado pela prefeitura. Reportagem exibida pelo programa Fantástico, da TV Globo, nesse domingo, retratou o trabalho dos fiscais da vigilância sanitária municipal e mostrou uma mulher agredindo verbalmente um deles. “Cidadão não, engenheiro civil, formado, melhor do que você”, disse a frequentadora do estabelecimento ao fiscal. Além de ataques diretos e agressões verbais, o fiscal da vigilância sanitária também sofreu intimidação e ouviu comentários como “posso falar com seu chefe?” e “a gente paga você, filho” do casal flagrado pela reportagem do Fantástico.

Ouve o que não quer

Nota da empresa onde trabalhava a agressora ao demitir a mesma: “A TAESA é uma companhia comprometida com a segurança e a saúde não apenas de seus empregados, mas também com o bem-estar de toda a sociedade. Desde o início da pandemia da Covid-19, a Taesa implementou inúmeras iniciativas para proteger a saúde de seus profissionais e seus familiares, como o home-office para 100% do seu quadro administrativo, e a adoção de diversas outras medidas de proteção para as equipes que operam em campo. A companhia não compactua com qualquer comportamento que coloque em risco a saúde de outras pessoas ou com atitudes que desrespeitem o trabalho e a dignidade de profissionais que atuam na prevenção e no controle da pandemia. A TAESA tomou conhecimento do envolvimento de uma de suas empregadas em um caso de desrespeito às leis que visam reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo.A TAESA ressalta que segue respeitando o isolamento e as mais rigorosas regras de prevenção ao coronavírus e que a empregada em questão desrespeitou a política vigente na empresa. Diante dos fatos expostos, a TAESA decidiu por sua imediata demissão.”

Só pra constar

O “fiscal” a quem ela tentou ofender desmerecendo a formação é Doutor em Ciências Veterinárias na área de Sanidade Animal pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Mestre em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e Médico Veterinário formado pela Universidade Federal Fluminense. No poder público, ele é Superintendente de Inovação, Pesquisa e Educação na Subsecretaria de Vigilância Sanitária da Subsecretaria de Vigilância Sanitária, Fiscalização e Controle de Zoonoses do Rio de Janeiro

Curiosidade

A palavra: “Gari” surgiu graças ao empreiteiro francês Aleixo Gary que firmou contrato com o ministério Imperial em 11 de outubro de 1876 para realizar a limpeza do Rio de Janeiro. Aleixo Gary inaugurou uma nova era na história da limpeza pública no Rio, apoiado principalmente em sua eficiência de trabalho. Toda vez que havia algum lugar muito sujo, ou quando alguém jogava lixo em lugares indevidos, havia sempre alguém que dizia: “chamem o Gary” ou ”vai ser preciso chamar o Gary”, com o tempo virou gari. Daí o nome para o cargo de quem faz a limpeza das ruas. Em Portugal, esse profissional é chamado de Almeida ou Varredor de Rua. Em homenagem a ele a Comlurb mantém no Rio de Janeiro, uma fábrica de utensílio para limpeza urbana que leva o nome de fábrica Aleixo Gary.

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: