27 de março de 2020

Frase do dia

O desconhecido coloca mais medo e incerteza nas nossas cabeças do que o conhecido. Nós apenas temos medo do escuro, porque não sabemos o que lá se encontra. (Joel Sousa)

A caixa de pandora (mitologia grega)

Zeus deu uma caixa para Pandora, mas advertiu que ela nunca poderia abri-la. Pandora, que foi criada para ser curiosa, não podia ficar longe da caixa, e depois de muito resistir, sucumbiu ao desejo de abrir o presente. Nesse momento, coisas horríveis saíram da caixa, incluindo a ganância, inveja, ódio, dor, doença, fome, pobreza, guerra e a morte. Quando Pandora viu o que havia feito, rapidamente ela fechou a caixa, deixando apenas uma coisa dentro. Pandora então escutou uma voz chamando-a da caixa, suplicando que fosse solta. Epimeteu concordou que nada que estivesse dentro da caixa poderia ser pior do que os horrores que já haviam sido liberados, então eles a abriram mais uma vez. Tudo o que restava na caixa era a esperança, que voou da caixa, tocando as feridas criadas pelos males e curando-as. Embora Pandora tenha liberado dor e sofrimento no mundo, ela também permitiu que a esperança surgisse na humanidade.

Boletim

A Prefeitura de Mangaratiba, através da Secretaria de Saúde, informa as ações que foram tomadas em relação ao combate e à prevenção ao Coronavirus. De 01 de janeiro de 2020 até às 19 horas dessa quinta-feira, 26 de março, o Município de Mangaratiba registrou 30 suspeitas clinicas de infecção pelo novo coronavírus, sendo que oito já foram descartados e vinte e duas aguardam análise laboratorial. Destes, vinte e um estão em quarentena em casa e um permanece internado. Todos os pacientes se encontram em acompanhamento pela Vigilância Epidemiológica. Importante dizer que a ausência de caso positivo também não é afirmação que o vírus não está circulando em Mangaratiba. Logo, em sinais de sintomas respiratórios, como de gripe (febre, coriza, tosse, espirro e outros) se considere um sintomático respiratório, então já entre em quarentena, evite contato, lave o tempo todo as mãos use máscara. Se tiver mais pessoas na família peça para comunicar o serviço de saúde mais próximo ou outro de seu acesso e falar sobre o caso. Se houver mais de três dias com febre, que baixa com antitérmico e volta e dificuldades de respirar, procure o serviço de saúde. Se desloque até lá com todos os cuidados, já recomendados. Lembrando, não é o resultado laboratorial que faz seu diagnóstico, são os sintomas da síndrome gripal. Não deixe de consultar fontes confiáveis. A Secretaria de Saúde reforça que não fará teste em pacientes que não estejam enquadradas no protocolo do Ministério da Saúde, ou seja, que não vieram de regiões consideradas endêmicas, que não apresentem sintomas característicos da contaminação pelo vírus. Os dados deste Boletim foram atualizados até as 19 horas de quinta-feira 26 de março. (Prefeitura de Mangaratiba – Secretaria Municipal de Saúde)

Diagnóstico diferencial

Ao contrário de anos anteriores, quando muitos temiam ou se negavam a receber a vacina anual contra a gripe “influenza”, neste ano de 2020 a correria aos postos cresceu de forma quase descontrolada. Há informações, de diversos municípios, de que as doses previstas para serem aplicadas em uma semana acabaram em menos de quatro horas. O que as pessoas não estão informadas é que essa vacina contra a gripe não tem nenhuma eficácia contra o coronavírus. A antecipação do período de vacinação tem por finalidade, apenas, auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para o coronavírus, já que os sintomas são parecidos, além de ajudar na redução da procura por serviços de saúde.

Orientação

Reclama um comerciante de Itacuruçá que lhe foi recomendado, pela fiscalização realizada por guardas municipais, fechar seu estabelecimento por não se enquadrar nas autorizações do decreto municipal. No entanto ele só vende roupas e sequer tem qualquer tipo de aglomeração de pessoas em sua loja. Na interpretação das proibições que constam do decreto 4.199, ele decerto se enquadraria nas permissões indicadas como “outras atividades”. Momento oportuno, portanto, para o poder público municipal refinar a orientação a seus agentes.

Um raciocínio

Em pronunciamento, o presidente Bolsonaro questionou o Brasil sobre a paralisação geral do País, bem como de escolas e universidades. Ele não determinou, mas, apenas, sugeriu que o Brasil volte ao normal e porque ele fez isso? Ao contrario do que dizem por ai que ele é o bozo ou etc, ele acaba sendo um estrategista. Nenhum governador fará o que ele quer. Nem deputados, nem senadores trabalharão na direção de seu pronunciamento. Assim, a responsabilidade por parar o Brasil não será dele. Além disso, o STF acabou de devolver aos governadores e prefeitos a competência para pararem seus estados. Daqui a três meses, haverá recessão de qualquer maneira, afinal, o mundo está em colapso. O comércio mundial, bem como fábricas estão fechadas. As bolsas de valores loucas e as moedas desvalorizadas. E o que acontecerá? Será um tempo terrível na economia do mundo inteiro. Se Bolsonaro for responsável pela paralisação do país neste momento, a oposição e a grande mídia colocarão a conta da dificuldade econômica do Brasil nas costas do presidente, culpando-o por parar o Brasil. Com esse discurso, Bolsonaro botou a fatura nas mãos dos Governos Estaduais e dos prefeitos. (De um observador, via redes sociais)

Politizando o vírus

Na esteira da postagem de ontem da manifestação do jornalista J.R. Guzzo atribuindo a grande preocupação com a atual pandemia ao medo dos mais ricos e celebridades, assim se manifesta um internauta em redes sociais: “Funcionários de mercados, de farmácias, policiais médicos e os demais. Isso é preconceito com esses profissionais, já que eles também tem família e também podem ser contaminados. Pensei que nunca ia ver o Freixo dar razão ao Bolsonaro, mas ele repetiu o que eu já disse: “Ficar em casa é um direito, não pode ser uma obrigação” e completo, onde está o direito das pessoas que ainda estão trabalhando?”

Politizando o vírus II

Assunto vai, assunto vem e, em entrevista na entrada do palácio da alvorada, o presidente Bolsonaro utilizou o termo “cara-pálida”, para se referir a alguma pessoa anônima que o questionava. Quase caiu o mundo em cima dele. O que não sabem, os menos informados, é que essa expressão é uma típica gíria de meados do século passado, baseado em filmes de bang-bang, onde os índios chamavam os cowboys (homens-bancos) de cara-pálida. Maneira irônica de perguntar ou se referir a alguém que acha que tem razão no que diz.

Politizando o vírus III

Mais de três mil mortos na China. Na Itália, o ministério da Saúde registrou ao menos 8.165 mortes pela Covid-19 desde o início do surto. A Espanha ultrapassou a China em número de mortos em decorrência de coronavírus. O país europeu tem 4.089 mortes por covid-19, a maior parte registrada na região de Madri. Na Inglaterra, 578 mortos até agora. Na França, 1.700. A Organização Mundial da Saúde estima que um terço da população mundial esteja em quarentena para conter o avanço da pan. No Brasil, até a noite de ontem, foram 77 mortes. Nos outros países, todos lutam pela causa comum. Aqui no Brasil, pedem a renúncia do presidente.

Politizando o vírus IV

Chantagem direta e escancarada do governador ameaçando abrir o isolamento se o governo federal não destinar um bilhão ao Rio de Janeiro. “O governador Wilson Witzel disse, na manhã dessa quinta-feira, que se o governo federal não ajudar os estados nos impactos causados à economia por causa das medidas adotadas no combate ao novo coronavírus, as unidades da federação vão entrar em um “caos financeiro”. O governador afirmou que se até a próxima segunda a União não previr recursos extras, o Rio terá que reavaliar a determinação de fechamento das empresas. Disse ele em entrevista ao RJTV: “Não podemos pedir para autônomos, pequenos empresários, para empresas ficarem paralisadas se não houver uma sinalização imediata do ministro Paulo Guedes que ele vai colocar pelo menos R$ 500 bilhões na economia” (Fonte: O Dia).

Politizado o vírus V

Na contramão de países como Itália e França, que adotaram medidas severas de isolamento social de sua população para combater a pandemia de coronavírus, a Holanda rejeita o confinamento e o fechamento total de suas fronteiras como melhor alternativa na luta contra a Covid-19. O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, deixou de lado a possibilidade de “fechar o país completamente”, em um pronunciamento transmitido em todo o país pela televisão na segunda-feira 16. Segundo Rutte, mesmo que fosse possível obrigar as pessoas a ficarem em suas casas por um período de tempo tão longo, nada garante que um novo surto do vírus não poderia atingir o país assim que as medidas de isolamento fossem levantadas. Apesar de aderirem a uma abordagem menos rígida do que a adotada pelos demais países europeus, os holandeses não ignoram as recomendações da Organização Mundial da Saúde sobre como lidar com a pandemia. O governo anunciou o fechamento das escolas, bares e restaurantes, além dos famosos coffee shops e bordéis, e proibiu grandes aglomerações de pessoas. A Holanda ainda concordou com as medidas de fechamento de fronteiras de todos os países da União Europeia e tem recomendado aos seus cidadãos que evitem viajar ao exterior. De acordo com o primeiro-ministro, medidas mais drásticas, como uma quarentena obrigatória, não foram totalmente descartadas e podem ser adotadas futuramente, caso a crise piore. O país tem um total de 2.460 casos de coronavírus confirmados e 76 mortes.

Despolitizando o vírus

Concordo quando dizem que estamos em guerra e em época de guerra medidas extremas são tomadas, porem temos que dosar essas medidas. A meu ver, acho que o remédio está com a dosagem demasiadamente alta. Todos sabemos que a diferença do remédio e do veneno está somente na quantidade que se toma. O remédio em doses elevadas pode matar mais que a própria doença. Vejo que muitos estão, mais uma vez, explorando politicamente a miséria do povo. Quantas autoridades estão levantando a bandeira do combate ao vírus e que nunca fizeram nada para melhorar as condições de vida da população, em especial da população mais carente? O vírus mata? Sim mata. Será que mata mais que a desnutrição? Será que mata mais que nosso transito louco? Será que mata mais do que a falta de saneamento básico? Do que as drogas? Do que o crime organizado? E principalmente do que a corrupção? Não sou cientista, não sou médico, mas posso afirmar que o vírus é menos letal que as opções anteriores. Tenho para mim, que o remédio aplicado na dose que está sendo dado, vai matar mais do que o vírus propriamente dito. A crise econômica que virá depois disso tudo vai matar mais e por muito mais tempo do que a Pandemia de COVID-19. (Gustavo Busse, via facebook)

Concurso Itaguaí – Informe

A Fundação CEPERJ informa que o Concurso Itaguaí RJ 2020 NÃO SERÁ CANCELADO. As provas inicialmente marcadas para 19/04 serão adiadas por tempo indeterminado. Ainda não temos como precisar novas datas para aplicação das provas, por conta da pandemia do COVID-19. Ressaltamos que todos os candidatos inscritos que efetuaram o pagamento do boleto estão garantidos. Aos inscritos que não conseguiram realizar o pagamento do boleto informamos que estamos estudando a possibilidade de uma possível prorrogação de prazo para pagamento.

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

3 comentários em “27 de março de 2020”

  1. Boa noite, Prof. Lauro e leitores.

    A meu ver, o presidente se recusa a fazer o papel dele deixando de ser realista e apontar aquilo que precisa ser feito. Pode ser que, na segunda-feira, todos fiquem de acordo com a necessidade de manter as medidas de restrição, porém o presidente estará se aproveitando das suas falas inconsequentes ao dizer para os eleitores que teria sido contra.

    Na data de hoje, após muitos dias consecutivos de “panelaços” nas grandes cidades, foi aprovado um vale de R$ 600,00 para repor a renda de trabalhadores informais de baixa renda que não têm condições de laborar durante a quarentena para conter a disseminação do vírus. E, se o presidente confirmou tal ajuda assistencial, não seria um indicativo de que o Brasil precisará mesmo parar?

    Enfim, o Chefe do Executivo mostra o quanto é um tremendo fanfarrão, pois lhe faltará coragem tanto para assumir uma postura de estadista, como vem fazendo vários governadores e os presidentes das duas casas do Congresso Nacional nesse momento tão difícil.

    Fato é que esse não é o momento para promoções de imagem, quer sejam pessoais e/ou eleitorais, em que um político aproveita-se de uma doença grave de altíssima letalidade. Logo, pelo menos em relação a esse problema, precisamos manter o foco na solução, pensando na saúde e na assistência aos mais carentes.

    Acerca da fala do nobre parlamentar sobre “ficar em casa” ser “um direito” e não “uma obrigação”, considero que, em situações extremas, o Estado pode (e deve) proibir sim a circulação de pessoas ao restringir por um breve momento um bem da personalidade do indivíduo (liberdade) para assegurar outro (a vida).

    Independentemente das divergências, as quais são saudáveis, que tenhamos como objetivo maior a luta contra esse vírus e acho até que o Congresso deveria logo de uma vez tomar as medidas necessárias para cancelar o pleito municipal de outubro, permitindo que a Justiça Eleitoral fixe uma nova data para a sua realização e novo calendário com seus respectivos prazos.]

    Ótima noite de quinta-feira e início de sexta para todos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: