04 de fevereiro de 2020

Frase do dia

Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol. Ambos existem; cada um como é. (Fernando Pessoa)

Chuvas

Aviso do Instituto Nacional de Meteorologia publicado ontem prevê chuvas aqui na região entre 30 a 60 mm/h ou 50 a 100 mm/dia, havendo risco de alagamentos, deslizamentos de encostas, transbordamentos de rios. A previsão é válida até  a próxima quinta-feira na Costa Verde. Na tarde de ontem, chuvas de forte intensidade alagaram diversos pontos do município, como o da imagem abaixo, da avenida litorânea, em Muriqui. Em Junqueira há notícias de uma queda de árvore  sobre a pista que foi rapidamente retirada pela Defesa Civil. Sirenes de advertência também foram acionadas, assim que a precipitação atingiu níveis críticos.

Chuvas II

Há uma história antiga que conta a saga de um menino, um velho e um burro que seguem viagem por uma estrada. No primeiro cenário, o velho vai a pé, puxando o burro pela rédea e o menino segue montado no animal. Ao passar diante de um grupo de pessoas, ouvem a crítica: “Que vergonha, o pobre do velho cansado vai a pé e esse menino jovem, cheio de saúde, viaja montado!” Dando ouvidos a eles, na curva seguinte decidem trocar de posição. O menino vai a pé e o velho montado no burro. Outro grupo de circunstantes os critica: “Que vergonha, o marmanjo vai montado no bem-bom e o pobre do menino tem de seguir a pé!”. Mais uma vez dão ouvidos aos comentários. Menino e velho continuam a viagem ambos montados no burro. Pouco se passa e esbarram num terceiro grupo. Ouvem nova reclamação: “Que vergonha, duas pessoas que poderiam viajar com as próprias pernas se aproveitando do pobre do burro”. A lembrança dessa fábula vem a propósito de que algumas pessoas do município bem que poderiam se voluntariar para participar de treinamentos sobre “como não ser idiota em tempos de preocupação coletiva”. Pois não é que surgiram, nas redes sociais, pessoas reclamando que o acionamento das sirenes de alerta estaria atrapalhando seu sossego? Uma delas chegou a justificar o pedido alegando que sua casa não se encontra em área de risco.

Chuvas –  Aviso prefeitura

Dança das cadeiras

Aproveitando o momento de exonerações dos cargos antigos e nomeações segundo a nova nomenclatura das secretarias da administração municipal, alguns secretários foram deslocados de pastas e outros (de certo modo) rebaixados à condição de subsecretários.

Rio Santos

A proposta de condições para a concessão da rodovia Rio Santos, defendida pelos prefeitos e políticos da região inclui ações imediatas como: a recuperação de todo o asfalto, nova sinalização, instalação de circuito interno de câmeras de vigilância em toda a sua extensão para o monitoramento da rodovia, duplicação das pistas e túneis entre Itacuruçá e Praia do Saco, reorganização das praças de pedágio na rodovia, taxas menores de pedágio, e plano de realocação da população que mora as margens da rodovia. O plano ainda exige que todas essas ações ocorram logo no primeiro ou segundo ano após o contrato de concessão for celebrado

Rio Santos – Pra inglês ver?

Comentário de um dos participantes da audiência pública sobre a privatização da rodovia Rio Santos, realizada no dia de ontem em Angra dos Reis, indica que, “no frigir dos ovos” essas audiências públicas não levarão a nada. Relata ele: “Participei hoje de audiência pública no Centro de Estudos Ambientais em Angra dos Reis, sobre proposta de concessão da rodovia Rio Santos, com a presença dos prefeitos da região, ANTT, DNIT, entidades e lideranças políticas. Me deparei lá com um projeto pronto, vendido com euforia e defendido com paixão por seus autores. Ouvi atentamente aquele espetáculo e não perdi a oportunidade de fazer alguns questionamentos. Falei que o debate tinha que se estender a outros municípios, como Mangaratiba e Itaguaí, com sessões adicionais. Perguntei pelo povo que não foi convidado, como os moradores que residem nas faixas de domínio, os pescadores caiçaras, os indígenas, as lideranças populares, as comunidades de base. Pedi esclarecimentos acerca dos impactos e prejuízos socioambientais, dada a complexidade do projeto, já que o mesmo se baseava apenas em estimativas abstratas, sem citar as referências e fontes. A região possui alguns agravantes. É preciso um plano de emergência para evacuação por conta das usinas. As unidades de conservação merecem atenção e não serão protegidas só com barreiras de ruídos e travessia de fauna. A questão da justiça tarifária não está clara e isenção de taxa para moradores sequer entrou no projeto. Por fim, vi que o projeto já está evoluído, com previsão de leilão para o final do ano e contrato de concessão para fevereiro de 2021, não existindo qualquer possibilidade de ampliar e democratizar a discussão, apesar da minha insistência”. (Professor Gustavo – Via facebook)

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: