03 de fevereiro de 2020

Frase do dia

Enquanto os sábios pensam sem certeza, os idiotas atacam de surpresa. (Henfil)

Indignação

Moradores das últimas ruas da Brasilinha, em Itacuruçá, passaram a noite e madrugada de sábado sem poder dormir, incomodados com o som alto oriundo de uma festa realizada no King Nigth. A maior indignação veio, no entanto, no dia seguinte, ao saberem que se tratava de uma “festa infantil” que se supõe deveria terminar por volta das dez horas da noite e que o órgão da prefeitura responsável pelas instalações e pela cessão do espaço, sequer se deu ao trabalho de estabelecer um limite de horário para a execução de músicas e, menos ainda, para o volume do som.

Lista de presença

Apesar de só retomarem os trabalhos de forma oficial amanhã, os senhores vereadores de Mangaratiba têm a obrigação moral de comparecer, hoje à tarde, à audiência pública sobre a privatização da rodovia Rio x Santos a se realizar no Centro de Estudos ambientais o CEA, localizado na praia de chácara, em Angra dos Reis, a partir das quatorze horas. É o momento oportuno para levantar questões que afetarão nosso município e propor alternativas.

Protegendo o patrimônio

Aplaudi a restauração do Cruzeiro e bato palmes para a recolocação da placa indicativa. Já alertei algumas autoridades competentes na área de cultura e proteção ao patrimônio histórico de que o trânsito a menos de um metro do cruzeiro provoca trepidação e pode afetar a estrutura do Bem. Sem contar que pode ocorrer um acidente com ônibus ou caminhão e a colisão será desastrosa já que não existe nenhuma proteção no local. (De um morador em rede social)

Expresso Recreio

Como dizia a música: “Cadê você que nunca mais apareceu aqui? E não voltou pra me fazer sorrir.”

O Quilombo resiste

A propósito

No ano de 2014, o prefeito de Salvador, ACM Neto, assinou um decreto que garante aos terreiros de Candomblé os mesmos direitos jurídicos e administrativos que igrejas e templos de outras religiões já possuem. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Município e assinado durante a inauguração do Observatório Permanente da Discriminação Racial e Violência contra LGBT. Com esse decreto os templos de religiões como Candomblé, Unzon, Mansu, Centros de Caboclo, Centros de Umbanda, Kimbanda, Ilê, Ilê Axé, Kwé e Humpame passam a ter direitos como a imunidade tributária e facilidade para se organizarem juridicamente como instituições e ainda fazer a regularização fundiária. De acordo com a prefeitura de Salvador, a capital baiana tem mais de 1,2 mil terreiros dessas religiões e comunidades e o poder público tem o dever de proteger o patrimônio religioso deles. Essas entidades possuem formas próprias de organização e são de extrema importância cultural, social e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas geradoras e transmitidos pela tradição. As instituições enquadradas nessas características passam a gozar de todas as prerrogativas dos templos de outras religiões, inclusive do ponto de vista tributário. (Fonte: Tribuna da Bahia)

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: