16 de agosto de 2019

Frase do dia

Tem coisa que eu quero, mas não devo, tem coisa que eu devo, mas não posso e tem coisa que eu posso, mas não quero. (Mário Sergio Cortella)

Eleições 2020 – primeiros movimentos

Apesar de faltar ainda pouco mais de um ano para as eleições municipais, continuam cada vez mais evidentes os movimentos dos eventuais concorrentes ao cargo de prefeito. O Jornal Atual publicou esta semana uma entrevista concedida ao jornalista Renato Reis pelo presidente da câmara municipal de Mangaratiba, vereador Charles Graçano que, em linhas gerais, repete o mesmo conteúdo da entrevista concedida ao website Mangaratiba TV.

Eleições 2020 – primeiros movimentos II

Relata a ex-secretária Cristina Magalhães através das redes sociais: Prefiro não acreditar no que acabaram de me dizer. Uma grande amiga, funcionária da Prefeitura, acabou de me pedir pra eu não ficar chateada, mas que precisava me excluir do Facebook por eu ser oposição e além disso, excluir todos os nossos amigos em comum, porque disso dependia o emprego dela! Primeiro: não faço oposição, não falo mal de gestores, falo do que fiz parte, as comparações ficam por conta da população. Outra questão, está muito longe de período eleitoral, não temos candidatos e nem pré-candidatos! A reunião que houve pra essa determinação não foi com o Prefeito Alan e nem em seu gabinete que fique bem claro isso! Mas olha, os ditos líderes, não se esqueçam que hoje a tecnologia é bem avançada. Qualquer celular pode comprometer bastante a integridade. E com todo respeito, se eu tiver que levar a denúncia formal a alguém, será diretamente ao chefe do executivo que acaba tomando culpa sem ter! Só pra finalizar, assédio moral e perseguição política são crimes previstos em lei!”

Fundação Municipal de Turismo

A câmara municipal de Mangaratiba aprovou projeto do vereador Rodrigo Bondim criando a Fundação Municipal de Turismo. Caso seja sancionado pelo prefeito, o município passará a contar com um órgão totalmente dedicado a cuidar da área que pode ser considerada a única atividade econômica com potencial para trazer desenvolvimento, verbas federais e dinamizar a vocação da região.

Mais atenção!

A administração pública não comporta “intenções”. Por isso mesmo, nos processos de aquisição de qualquer item, há que se ter o cuidado com a descrição detalhada do que se pretende adquirir. Caso contrário, abre-se espaço para críticas as mais variadas. Todas elas sendo colocadas “na conta do prefeito”. É o caso, por exemplo, desse trecho de uma Ata de Registro de Preços, divulgada pela secretaria municipal de administração e suprimentos atendendo a solicitação da secretaria municipal de assistência social e direitos humanos. No documento, chamou a atenção de profissionais da área de compras que a especificação seja: “Cartuchos, toners, garrafas de tinta e fitas originais de melhor qualidade e/ou similar”. Perguntam eles: quem irá assegurar qual é o produto “de melhor qualidade”?

Paroquial

Na tradição histórica brasileira, a igreja católica chegou a ter tanta influência ante ao poder secular que, quando uma questão não encontrava solução através dos caminhos regulares, sempre alguém aparecia para dizer: “Não gostou? Vá reclamar com o bispo!”. Com o correr dos anos e a escassez de vocações, o mais recente Anuário Pontifício estatístico publicado pelo Vaticano mostra que na América Latina a situação é uma proporção de mais de 7.000 católicos para cada padre. Ao que parece, essa crise de vocações chegou ao município, especialmente na Igreja de Muriqui que, sem padres disponíveis para assumir a paróquia, só tem realizado celebrações, sob a condução de leigos, e não missas. Resta aos paroquianos inconformados, ir até ali em Itaguaí para reclamar com Dom Ubiratan, o bispo.

A propósito

No meio da acirrada discussão, um internauta, com serenidade e objetividade disse: “Cada um tem direito de aceitar ou discordar, mas sem querer intriga, falo por mim. Mas vocês já pararam pra ver o privilégio que temos de ter pelo menos as celebrações e ainda podermos comungar? Tantos lugares que nem padre tem, que nem comunhão chega! E muitos aqui têm carro, podem muito bem se não querem celebração ir a outros lugares com missa. O que é esperar um mês?” (Henrique Mendes, via facebook)

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: