05 de fevereiro de 2019

Frase do dia

Algumas pessoas sentem a chuva. Outras, apenas ficam molhadas. (Bob Marley)

No limite da tragédia

Segundo o serviço de meteorologia, choveu ontem aqui no município de Mangaratiba, no espaço de tempo de seis horas, 239 mm, o que significa 239 litros de água a cada metro cúbico. Esse foi um dos maiores índices já registrados no estado. Comparativamente, quando da tragédia em Nova Friburgo, em 2011, na qual morreram mais de novecentas pessoas, o índice pluviométrico foi de 182 mm em uma noite.

Sirenes

A chuva de ontem provocou enchentes em todos os distritos de Mangaratiba, desde Conceição de Jacareí até Itacuruçá, também causando problemas na Gamboa e na Marambaia. Em todos os distritos as sirenes de alerta da defesa Civil foram acionadas desde o final da tarde, orientando moradores de áreas de risco a procurarem abrigo nos pontos de apoio instalados pela prefeitura.

Despojados de vaidade

Alguns relatos, nas redes sociais, indicam que Mangaratiba ainda tem jeito sim. Pelo menos no que diz respeito à solidariedade. Um dos relatos diz: “Como é bom, gratificante, saber que ainda existem pessoas que se colocam no lugar do outro, que sofrem com o sofrimento do outro e que não medem esforços para minimizar os problemas enfrentados pelos outros. Hoje vi e vivi uma situação bem complicada, tensa. Ao retornar para casa depois de um dia de trabalho e debaixo de um mega temporal, fiquei presa no Sahy sem condições do carro passar para minha casa pois parecia que o mar tinha tomado conta de tudo. Muitos carros parados.
Enfim, no meio desse caos aparece o Vereador Wlad da Pesca todo molhado por estar ajudando as pessoas em suas casas e abrindo junto a outras pessoas um canal para que a água pudesse escoar. Parabéns Vereador Wlad! Precisamos de mais gente como você!”
(Lidiane da Conceição, via facebook)

Despojados de vaidade II

Enquanto, na mesma situação, muitas “otoridades”, talvez preferissem mandar seus agentes a campo e ficariam na segurança de suas casas, lembra a internauta Helena Sivyotty: “Nessas horas que a Andreia do Charlinho fazia a diferença. Ela metia uma galocha no pé e vinha ajudar todos que precisavam, trazia água, alimentos, colchões disso ninguém lembra né?”. Pois, de comportamento similar, o prefeito Alan Bombeiro também não se limitou a assistir de longe o problema. Fazendo jus ao apelido político, que também é sua atividade profissional de origem, meteu-se em um macacão da corporação e foi à luta, para auxiliar diretamente a população.

Despojados de vaidade III

Logo na manhã desta terça-feira, constatando a extensão dos problemas causados pela chuva durante a noite, diversas outras pessoas também começaram a se mobilizar em socorro aos desassistidos. Em Muriqui, um morador do distrito começou a organizar o recebimento de doações a serem entregues na igreja de Nossa Senhora das Graças. Em Itacuruçá, um comerciante local se dispôs a fornecer almoço e jantar, através de quentinhas, aos moradores da Gamboa eventualmente desassistidos.

Enel – quem diria!

Vale o registro. Um dos principais temores de todos os moradores do município, expressado logo nas primeiras horas da noite de ontem não era o quanto tempo poderia durar a forte chuva, mas quanto tempo demoraria para acabar o fornecimento de energia elétrica por parte da Enel. Pois, surpreendentemente, apesar de algumas interrupções pontuais e rápidas, não se teve notícia de longas quedas de energia.

O alerta continua

A defesa civil de Mangaratiba continua mantendo o estado de atenção. Embora a previsão meteorológica para o dia de hoje seja em torno de 40 mm para as próximas vinte e quatro horas (seis vezes menos do que choveu ontem), há que se considerar que a terra já está encharcada. É, pois, essa chuva menos pesada que provoca os tais “escorregamentos” de encostas.

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

Uma consideração sobre “05 de fevereiro de 2019”

  1. Bom dia, Prof. lauro e leitores.

    No ocasião da tragédia de Nova Friburgo, ocorrida na noite de 11 pra 12/01/2011, eu ainda morava lá e presenciei o ocorrido. Já havia chovido bastante antes e os terrenos encontravam-se molhados. Aliás, no próprio dia 11/01 daquele ano, um prédio já havia desabado num bairro embora me parece que outras causas tenham concorrido.

    Fato é que o nosso Município, cercado por morros e com inúmeras construções irregulares nas encostas, corre o mesmo risco. Pois sempre que passo pela RJ-14 esse é o sentimento que tenho. E eu diria que tivemos foi “sorte” de não haver ocorrido aqui situações piores do que os problemas desta última noite/madrugada. Felizmente, porém, estamos bem alertados pela Defesa Civil.

    Segundo me informaram pelo zap, o caminho do Axixá estaria comprometido em que a passagem por meia pista num ponto onde houve ruptura da pista seria desaconselhável e arriscada.

    Nesse momento crítico, o melhor a ser feito é as pessoas não se arriscarem, se cuidarem, e serem solidárias com o próximo da maneira como puderem agir, deixando um pouco de lado suas divergências políticas e individuais em prol de algo maior e mais nobre.

    Que tenhamos uma terça-feira melhor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: