05 de dezembro de 2018

Frase do dia

Livro emprestado é como o corvo que noé soltou na arca. vai e não volta mais. (Humberto De Campos)

Serenidade

Mangaratiba passa por uma fase de transição, é necessário neste momento ter calma e paciência com as atitudes de nosso prefeito e secretários, é razoável que todos que votaram no Alan e confiou a ele a tarefa de administrar a cidade, o ajude a cuidar de Mangaratiba. Como? dando tempo ao tempo, pois em 90 dias o governo ja terá forma, e poderemos desfrutar das mudanças, o caminho esta correto, Que Deus proteja nossa cidade e todos que nela habita. (Fábio Costa, via facebook)

Recomeço

Depois da aventura frustrada como candidata a vice-prefeita na chapa do vereador afastado Vitinho, a vereadora Cecília Cabral retomou, ontem, suas atividades na câmara municipal de Mangaratiba reassumindo, também a primeira secretaria da mesa. Além das tarefas burocráticas de leitura do expediente e ordem do dia, ela colocou uma questão para a câmara: criar a solução para a contratação da intérprete de Libras pela própria câmara, sem depender do executivo.

Queda de braço

Está em discussão, na câmara de Mangaratiba, a proposta de redução de 50% para 5% quanto à possibilidade de o prefeito municipal remanejar recursos orçamentários. Foi votado parecer sobre emenda modificativa que determina uma suplementação de 5%. Atualmente, e no projeto de Orçamento que está sendo analisado, a suplementação de 50%, ou seja, o Executivo tem o direito de mexer no  orçamento, remanejando verbas até o valor de 50%. Reduzindo para 5%, a cada vez que o poder executivo precisar suplementar verbas em qualquer área acima desse limite, terá, obrigatoriamente, que pedir autorização à câmara.

Data marcada

Será na próxima sexta-feira, dia 7 de dezembro, o pagamento da folha suplementar que pagará os salários daqueles que foram exonerados no último dia 21.

Cuidado, prefeito

Passei 37 anos dentro da nossa Prefeitura, passei por 8 Prefeitos e nada mudou, participei da campanha do Prefeito ALAN, no momento só estou observando o desenrolar dos acontecimentos sobre os nomeados nos primeiros, segundos e terceiros escalões em todas as secretarias, aí comentarei se valeu a pena a mudança para melhor ou vamos continuar inertes ao apadrinhamento e ao companheirismo e não colocando as pessoas técnicas nas suas devidas cadeiras profissionais como está fazendo nosso Presidente Bolsonaro, chega de “toma lá dá cá”. (Maria da Guia Costa, via facebook)

Equilíbrio do magistrado?

O advogado Cristiano Caiado de Acioli foi levado nessa terça-feira para prestar esclarecimentos na Superintendência da Polícia Federal em Brasília depois de ter dito ao ministro Ricardo Lewandowski, no interior de um avião, que o Supremo Tribunal Federal é “uma vergonha”. O caso ocorreu em um voo comercial que saiu do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com destino a Brasília. Em um vídeo que circulou nas redes sociais, o ministro aparece sentado na primeira fileira de um voo da Gol quando foi abordado pelo passageiro, antes da decolagem . Acioli, de 39 anos, foi detido ao chegar no aeroporto de Brasília e ouvido por um delegado da PF. Ele é filho da subprocuradora-geral da República aposentada Helenita Amélia Gonçalves Caiado de Acioli. Acioli foi liberado por volta das 18 horas. O advogado que o representa, Ricardo Vasconcellos, informou no fim desta tarde que, “não houve imputação de crime”, e que o relatório sobre o caso ainda estava sendo finalizado pelo delegado da PF.

Como foi

Após o embarque, ainda no Aeroporto de Congonhas, por volta das 10h, Acioli afirmou: “Ministro Lewandowski, o Supremo é uma vergonha, viu? Eu tenho vergonha de ser brasileiro quando eu vejo vocês”. O ministro, então, respondeu: “Vem cá, você quer ser preso?”. Em seguida, apontando para um comissário de bordo, completou: “Chamem a Polícia Federal, por favor”. Acioli retrucou: “Eu não posso me expressar? Chamem a Polícia Federal, então. Por que eu falei que o Supremo é uma vergonha?”. Agentes da Polícia Federal em São Paulo foram chamados, chegaram à aeronave e perguntaram se o advogado se acalmaria para o voo prosseguir “sem problemas”. Acioli disse ter concordado.

Como foi II

Perto da aterrissagem, em outro vídeo que circulou nas redes sociais, o advogado se levantou e começou a gravação dizendo: “Senhoras e senhores, eu queria um minuto da atenção de vocês. Eu sou só um cidadão, mas temos aqui neste voo o ilustre ministro Ricardo Lewandowski, e eu, na minha liberdade constitucional de me manifestar, eu disse que tinha vergonha do Supremo Tribunal Federal, e este ministro me ameaçou de prisão, tão somente porque eu exerci minha liberdade constitucional. Eu, enquanto cidadão, gostaria de deixar minha nota particular de desagravo, porque a gente ainda vive em uma democracia. Eu não sou um presidiário tentando dar uma entrevista.  Eu sou apenas um cidadão que me dirigi respeitosamente ao ministro Lewandowski para fazer uma crítica do que eu sinto, do que eu penso. Eu amo o Brasil, eu não admito o meu direito ser tolhido, independentemente da religião, do credo que cada um nesse avião tem, isso é inadmissível numa pessoa que deveria ser um guardião da Constituição”.

Contradição

Vamos entender a mente contraditória do ministro: Ele acha prisão preventiva um abuso.-Prisão por condenação em 2a instância um absurdo. Condução coercitiva do Lula para depoimentos na PF um absurdo.Mas mandou prender o passageiro só por ele ter falado que sentia vergonha do STF! (Alan Caldas, via facebook)

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

3 comentários em “05 de dezembro de 2018”

  1. Tem coisas que acontece na política de Mangaratiba que muitas vezes foge do pensamento racional de um ser vivente. Como exemplo, a única vereadora do município reassumiu o seu cargo de primeira secretaria questionando uma solução da Câmara para contratar intérprete de libras, diante de tantos outros problemas existentes no município como se o incêndio que se aproxima a passos largos não estivesse próximo a acontecer com a redução de 50% para 5% dos recursos orçamentários a ser utilizado pelo executivo, somente podendo utilizar os 50% com expressa autorização da Câmara. Soma-se os inúmeros problemas encontrados pelo novo Prefeito com pagamentos de salários que inclui décimo terceiro e salários que terão que ser pagos a funcionários exonerados e tendo encontrado a prefeitura com seu cofre mais vazio que barriga de pobre. Aí eu pergunto: Quais desses vereadores está preocupado com a saúde desse municipio, com o Prefeito recém empossado e com a população mangaratibense que sonha em viver em uma cidade padrão para criar seus filhos e netos e que, atualmente lota a praça principal do município reinvidicando um emprego nessa Prefeitura e que fará, num processo de continuidade, o famoso cabide de emprego, comandado pelos políticos com a intenção única de se manterem no poder através da utilização desse expediente que pode-se chamar Barganha.

  2. Em tempo!

    Quanto ao que a internauta colocou nas redes sociais, a respeito das nomeações do atual gestor, acho preferível que se faça a avaliação do novo governo pelos frutos dos trabalhos de sua equipe. Só a partir daí é que, dente dos 90 dias, poderemos fazer um balanço dos três primeiros meses em que se terá passado o período crítico da alta temporada de verão. Até o momento, o que podemos falar séria sobre os atos isoladamente praticados (o teor de alguns decretos, por exemplo), ou a respeito da auditoria.

    Ótima quarta feira a todos.

  3. Bom dia, Prof. Lauro e leitores.

    Embora a meu ver os membros do Judiciário deveriam ser mais abertos ao recebimento de críticas da população, acho que o meu colega de profissão se excedeu na sua abordagem ao ministro.

    Pra mim é deselegante perturbar autoridades (ou qualquer indivíduo) fora de seus locais de trabalho, ou de eventos públicos, invadindo a privacidade pessoal, independente do cargo ocupado. Pois, no momento em que alguém viaja de avião, o passageiro não está ali para resolver problemas ou dar satisfação quanto ao uso de seu livre convencimento nas decisões judiciais que profere, no caso dos magistrados.

    De qualquer modo, a PF não precisaria ter sido acionada e nem o ilustre causídico haver criado todo aquele tumulto na aeronave, perturbando também os demais passageiros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: