18 de novembro de 2018

Frase do dia

Nenhuma obrigação é mais urgente do que a de retornar agradecimentos. (Ambrose Bierce)

Agradecimento

Merece registro a nota de agradecimento de um dos organizadores do evento pesca de caiaque que reuniu, em outubro último, mais de duas mil pessoas e cerca de mil e trezentos praticantes do esporte em Itacuruçá. Diz ele, através das redes sociais: “Nossos agradecimentos mais uma vez aos moradores de Itacuruçá. O maior evento do mundo no nosso esporte. Um evento auto sustentável e organizado pelos praticantes do esporte. Valeu demais, Mangaratiba.” (Zen Brasil)

Recorde de público

Não só de eventos ligados ao mar e à natureza pode viver o turismo no município. No dia de ontem, na praça de Mangaratiba, a apresentação da Orquestra Sinfônica Brasileira bateu recorde de público.

Contexto geral

Nunca, em toda a história do município, Mangaratiba acolheu um evento musical dessa magnitude. Do clássico ao erudito, flertando com a MPB e incluindo o talento dos compositores locais, fomos brindados com um concerto musical digno dos maiores Teatros Municipais de qualquer cidade do mundo. Nunca vi um público tão grande, nem nos antigos e tradicionais carnavais, quanto o dessa noite memorável. Muito obrigado Cida Angelo pelo seu hercúleo empenho em se colocar como interlocutora e intermediária entre a OSB e o nosso município. O concerto e o seu nome entraram para a história de Mangaratiba. Mais uma vez muito obrigado em nome de todos os músicos e equipe técnica envolvidos e em nome de cada pessoa que esteve presente, de Itacuruçá, Muriqui, Praia do Saco e centro. P. S. Lamentei profundamente a não execução da música Mangaratiba, de autoria de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. No mais, uma noite brilhante! Quem não veio, pode se arrepender, porque perdeu o maior espetáculo musical de todos os tempos! (Luciano Hefner)

Ainda os médicos cubanos

A Associação Médica Brasileira qualificou de retaliação a decisão do governo cubano de romper o acordo firmado com o Brasil no âmbito do Programa Mais Médicos e retirar os intercambistas do país. Em nota divulgada ontem, a AMB diz que o governo brasileiro transferiu “de forma temerária” para Cuba parte da responsabilidade pelo atendimento na atenção básica e que isso deixou o Brasil “submisso aos humores” do governo de outro país. “Os impactos negativos previstos são os que estamos comprovando agora”. No comunicado, a AMB afirma que o programa foi criado a partir de uma premissa equivocada: a de que não havia médicos em número suficiente no Brasil. O que não existe, segundo a entidade, são políticas públicas que atraiam e fixem esses profissionais nos municípios – sobretudo os menores e os mais distantes dos grandes centros. Para a AMB, resolver a questão que envolve a oferta de médicos em locais de difícil provimento ou de difícil acesso não é algo a ser feito por meio de ações paliativas. De acordo com a nota, a  solução definitiva passa pela criação de uma carreira médica de Estado. Os atuais 458.624 profissionais contabilizados no Brasil atualmente são classificados pela entidade como suficientes para atender às demandas da população. “Essa crise será resolvida com os médicos brasileiros”, destacou a AMB. “Não vamos aceitar esta sabotagem com o povo brasileiro”, conclui o comunicado da associação.

Ações emergenciais

O documento sugere ainda como ações emergenciais para a serem adotadas em meio à “crise deflagrada” na saúde a reformulação e reforço do Piso de Atenção Básica; aumento do valor repassado pela União para a atenção básica para que municípios consigam contratar médicos na própria região; mudanças na forma de cálculo, garantindo mais recursos para municípios menores; e reforço do atendimento em áreas indígenas e de difícil acesso. A AMB propõe também que se aumente o investimento nas Forças Armadas para aproveitar a experiência destas tanto em áreas de difícil acesso quanto em áreas indígenas, levando médicos e toda a infraestrutura de saúde necessária a essas localidades. Para tanto, a União utilizaria os atuais médicos das Forças Armadas, incrementaria o efetivo por concurso e selecionaria também novos médicos oficiais voluntários para atuar de forma temporária. Outras sugestões são incentivar a adesão de médicos jovens ao Mais Médicos e promover mudanças no edital do programa, que será lançado em breve, conforme anunciado pelo Ministério da Saúde, criando subsídios e incentivos a profissionais jovens com dívida no Fundo de Financiamento Estudantil.  No período em que estes médicos atuarem no programa, as parcelas do financiamento ficariam suspensas. Além disso, haveria o benefício de descontos no montante geral da dívida, de acordo com o tempo de permanência e o município ou região escolhido (quanto menor o município ou de mais difícil provimento, maiores os descontos). A Associação Médica Brasileira alerta que é preciso garantir a esses médicos mesmas condições ofertadas aos cubanos até então: moradia, alimentação e transporte.(Fonte: Agência Brasil)

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

3 comentários em “18 de novembro de 2018”

  1. Aos organizadores do evento de caiaque, por favor façam campanha para não deixarem seu lixo na pois as dezenas de churrasqueiras que habitaram a praia , as dezenas de barracas armadas campings (que é proibido no município),simplesmente depois do churrasco enterraram os seus resíduos na praia isso é crime, além da sujeira que o pessoal da limpeza teve que se desdobra pra deixar tudo limpo, e um fato lamentável não deixarem um alimento se quer no município.
    Muito bonito pra quem tá de fora mas pra quem é do município esse ano foi horrível, simplesmente vieram na minha casa fizeram a bagunça e foram embora, não lembraram que aqui têm abrigo ,hospital e creches ,lamentável.

  2. Boa tarde, Prof. Lauro e leitores.

    Sem desejar que as coisas sejam assim, às vezes fico a pensar que, se as praias mais frequentadas do Município tivessem as suas más condições de balneabilidade amplamente divulgadas, talvez poderíamos conseguir desenvolver melhor aquele turismo de qualidade que tanto desejamos ver por aqui.

    Assim, citando os comentários lidos nas redes sociais, podemos constatar pelas palavras dessa participativa internauta a distinção entre os públicos que frequentam o Município:

    “Meu mimimi de feriado…
    Enquanto o Centro de Mangaratiba recebe uma orquestra sinfônica…Muriqui volta a receber carros de som, quiosques berrantes, karaokê estridente e as bundas se sacudindo ao som dos funks do senta e levanta…
    E a educação de se viver em coletividade, nunca acompanha os visitantes…
    Inveja branca!”
    (Leila Castro)

    Creio que tenha faltado esse registro em sua postagem de hoje, o qual, embora seja mais do mesmo daquilo que se repete nos feriadões ensolarados, Réveillon e Carnaval, mostra o quanto chega a ser prejudicial para a cidade essas bagunças em frente á praia. Pois, se a orquestra tivesse se apresentado em Muriqui, em Itacuruçá ou em Conceição de Jacareí num final de semana movimentado como está sendo esse, será que o evento faria tanto sucesso assim?

    Recordo que, em janeiro de 2014, preocupado em preservar a praia, cheguei a ingressar com uma ação popular intencionando impedir que o governo Capixaba construísse o anunciado cais de Muriqui, muito embora, na época, o INEA não tivesse ainda nem licenciado o projeto. Acabou que não consegui a liminar porque inexistia qualquer ato administrativo praticado, mas também a obra nem saiu do papel e tão pouco sei do que foi feito do dinheiro que iria ser usado para a construção do pretendido pier.

    Pois bem. Passados quase cinco anos depois, se a Prefeitura resolver fazer algo semelhante, confesso que não me meteria pela segunda vez numa polêmica dessas. Isto porque, se as principais praias andam hoje poluídas e mal frequentadas, atraindo sujeira, lixo, barulho, briga, uso de drogas e incomodando moradores da orla, um cais turístico seria menos pior para o 4º Distrito. Principalmente se puder ajudar no transporte público, conforme um dos candidatos propôs durante a campanha nestas eleições suplementares, sendo tal ideia defendida há mais tempo pela própria internauta acima citada.

    Ótimo domingo a todos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: