19 de março de 2018

Frase do dia

A ânsia pelo poder não se origina da força e sim da fraqueza. (Erich Fromm)

Amigos do alheio

Comentário enviado ao blog:Com relação a publicação de hoje, intitulada amigo do alheio, quero relatar que após 67 anos veraneando em Itacuruca, por falta total de segurança, estou me mudando desse local. Tive minha casa em plena areia da Praia do Axixá, roubada três vezes, sendo duas por arrombamento, em menos de dois anos. Diante os acontecimentos fui obrigado a cumprir aquela conhecida frase da vovó. Incomodado que se mude!”

Larga d’eu

A edição do Diário Oficial de Mangaratiba de número 789, do último dia 16 de março, publicou a exoneração de Marcos Alexandre Ferreira Tavares do cargo de Secretário Municipal de Turismo, Cultura, Eventos, Esporte e Lazer, com efeito retroativo a partir de 13 de março de 2018, o dia em que o mesmo foi preso pela Polícia Federal.

Transporte Universitário

A edição 788 do Diário Oficial de Mangaratiba publicou a homologação da licitação para o transporte universitário, um problema que vinha se arrastando há alguns meses, trazendo prejuízos a muitos moradores do município. Chama a atenção, no entanto, que a empresa vencedora, a Lual Turismo, em sua página na internet, www.lualrioturismo.com.br, apresenta-se como uma empresa dedicada a transporte turístico e fretamento para eventos.

Transporte universitário II

A licitação, homologada pela senhora secretária de Educação, implicará num gasto de um milhão e novecentos mil reais, pelo prazo de doze meses, o que significa cento e cinquenta e oito mil reais por mês, valor que será maior se considerarmos que daqui até março do ano que vem, os universitários beneficiados terão pelo menos dois meses de férias. Por outro lado, sites especializados anunciam a compra e venda de ônibus na faixa de duzentos mil reais, o que leva ao cálculo simples de que o valor destinado à licitação daria para adquirir pelo menos nove ônibus, que ficariam à disposição do município por vários anos.

Analisando os movimentos

Sobre a mudança comportamental do governo em Mangaratiba. Entendam que se trata de opinião pessoal, por observação, não só pelo caminhar dessa gestão, mas de todos os anos que acompanho, tendo diversos arquivos pessoais para avivar a memória, que me levam a esta conclusão. Após 14 meses de gestão, o prefeito volta de suas incontáveis viagens à Brasília, com comportamento de “gestor popular e participativo” que caminha pelas ruas de nosso município. Ora, qual seria essa motivação? Vejamos: Segurança de que seu mandato está preservado e que mesmo após decisão da aplicação da lei de ficha limpa retroagindo, teria a confirmação de que não se aplica a seu caso? Ou justamente o oposto? Tendo passado uma semana na capital, no dia seguinte, começa a circular com fotógrafo registrando seus passos, fiscalizando e ouvindo pessoas, com a tropa de seus seguidores postando até as ações mais simples, que deveriam ser cotidianos, como se fossem atos surpreendentes que necessitam de alarde, e no entanto, mais se parece com atitude de “corda no pescoço” e campanha antecipada para seus escolhidos. Assim, leva vantagem sobre possíveis adversários, tendo a máquina pública em suas mãos e mais tempo de campanha para promover seus candidatos. Tendo como lenda local de que ele nas ruas se torna imbatível, se agarra nesta condição e entre lágrimas e sorrisos parte em busca de apoio popular. Quais seriam seus candidatos? Não seria ninguém que ele não pudesse “direcionar” ou comandar, portanto temos só uma candidata. Para vice, um nome leve, sem grandes rejeições, que faz parte de seu governo e que já dá sinais da propaganda de seu nome. Lembramos que em outra gestão, conseguiu o mesmo feito, com a promoção de um secretário para o cargo no legislativo. A pasta é boa para esse intento! Temos que nos antenar nessas atitudes, que seus possíveis adversários fiquem atentos também, não dispersem seus correligionários, não se permitam achar que o “já ganhou” os levem a atitudes de arrogância ou divisões inúteis e que não se valham destas mesmas práticas ilusórias e populescas, cuja única consequência, seria perpetuar o atraso em Mangaratiba. (Leila Castro, via facebook)

Analisando os movimentos II

Quem vem acompanhando as notícias do Poder Judiciário sobre a questão da validade do prazo de inelegibilidade anterior à aprovação da Lei da Ficha Limpa sabe muito bem que falta muito pouco para o TSE decidir sobre a candidatura do atual prefeito, podendo o Tribunal dar provimento ao recurso do Ministério Público Eleitoral (autos n.º 0000234-21.2016.6.19.0054) e, consequentemente, por fim ao caótico mandato do Chefe do Poder Executivo. E para os que não se recordam dos fatos, eis que, na sessão do TSE do dia 30/05/2017, tal processo havia ficado suspenso até que o Supremo Tribunal Federal decidisse um caso paradigma de repercussão geral, relativo às eleições de 2012 lá da Bahia, cuja solução passaria a servir para todos os demais em andamento. Finalmente, na sessão do dia 01/03, o Supremo Tribunal Federal terminou de decidir os últimos detalhes que faltavam acerca do polêmico tema, ao haver fixado a tese de repercussão geral no Recurso Extraordinário 929670, cuja lavra é do ministro Luiz Fux que diz “A condenação por abuso do poder econômico ou político em ação de investigação judicial eleitoral, transitada em julgado, e vi do artigo 22, inciso XIV, da Lei Complementar 64/90, em sua redação primitiva, é apta a atrair a incidência da inelegibilidade do artigo 1º, inciso I, alínea “d”, na redação dada pela Lei Complementar 135/2010, aplicando-se a todos os processos de registros de candidatura em trâmite”. (o destaque em negrito é meu). Tão logo ocorreu este julgamento no STF, eis que, no dia seguinte (02/03), os autos do processo no TSE já retornaram para o gabinete da relatora do recurso, a ministra Rosa Weber. E não demorará muito a magistrada poderá julgar monocraticamente ou pedir a sua inclusão na pauta do plenário para fins de apreciação pelo Tribunal numa nova sessão do colegiado. Uma vez que o caso da candidatura do prefeito seja definitivamente julgado no TSE, tanto o atual mandatário como o seu vice serão afastados, cabendo ao TRE-RJ orientar como serão as eleições suplementares nos municípios que estiverem nessa condição (Mangaratiba não é o único do Rio de Janeiro). E, até que venhamos a escolher quem será o novo governante desta cidade, a princípio quem assume a Prefeitura é o presidente da Câmara Municipal. Embora o atual prefeito permanecerá no cargo até o TSE decidir o seu caso, a sua saída é dada como certa por mais que os seus apoiadores neguem. E, sendo assim, as pessoas atentas do Município precisam redobrar a vigilância quanto aos atos que estiverem sendo praticados durante os instantes finais. (Rodrigo Âncora da Luz)

Novo tempo

Mais um grupo, em Mangaratiba, se organiza através das redes sociais para defender o município. O novo movimento chama-se “Mangaratiba cidadão” e estabeleceu as seguintes regras: “O grupo tem por objetivo promover a cidadania em nosso município através de postagens e debates voltadas para este fim, sendo permitidas mensagens de utilidade pública. Não serão aceitos comportamentos como xingamentos, ofensas pessoais, notícias falsas, usuários que façam uso de identidade falsa, publicidade de produtos ou serviços, incitação a crimes, racismo, homofobia, intolerância religiosa, preconceito de gênero, proselitismo religioso, correntes, dentre outras atitudes que nada tenham a ver com o propósito do grupo.”

Décimo segundo dia

Moradores da Brasilinha, em Itacuruçá, continuam sem entender porquê o caminhão, trabalhadores e a retroescavadeira passam várias vezes pela avenida e não recolhem essa galhada resultante de uma limpeza de quintal.

Retaliação 1

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

9 comentários em “19 de março de 2018”

  1. “até que venhamos a escolher quem será o novo governante desta cidade, a princípio quem assume a Prefeitura é o presidente da Câmara Municipal”

    Correto! A dúvida é se o Aarão está disposto a apoiar o Vitinho prefeito? Pra esquerda isso importa porque as eleições ficam divididas entre o Vitinho e o Bombeiro. Um com a máquina na mão e metade dos vereadores apoiando que a essa altura vão ter virado secretários de várias pastas. O outro representando a oposição com chances maiores de vencer só que sem o apoio da esquerda porque o PSOL não fecha com o PSDB. Os votos para a terceira via conquistar passam a ser no máximo de 3 mil. Emil Crokidakis Castro teve 311 votos e ficou em 6º com 1.17% porque muita agente da oposição ideológica apoiou o bombeiro. Sem Aarão e Ruy, o PSOL tem mais viabilidade de crescimento porque o Bombeiro deixa de ser terceira via. Sem Vitinho, o vácuo a ser preenchido aumenta mais. Esta é a chance da esquerda crescer em Mangaratiba!

  2. A fala do Fux é outra que o leigo não entende patavinas. O leitor tem que entender vários conceitos que o advogado blogueiro podia explicar. Principalmente o último:
    – “abuso do poder econômico ou político”: que crime é esse?
    – “ação de investigação judicial eleitoral, transitada em julgado”: o que significa transitada em julgado? Garanto que 90% da população não imagina o que isso significa. O Fux está falando do processo que não cabe mais recurso nenhum e prefere usar um termo técnico no julgamento de um processo que muito interessa ao cidadão leigo. Trocando em muídos, ele fala de processos como o do Aarão.
    – “e vi do artigo 22, inciso XIV, da Lei Complementar 64/90, em sua redação primitiva”: PQP! Ainda tem um latim no meio! Quem vai saber consultar as leis e entender o que elas dizem? Se o Fux está falando numa redação primitiva, então é porque teve uma mudança nessa lei complementar que o cidadão nem sabe qual era.
    – “apta a atrair a incidência da inelegibilidade do artigo 1º, inciso I, alínea “d”, na redação dada pela Lei Complementar 135/2010”: Por que o ministro não disse logo que quem foi condenado antes da ficha suja passou a ter que esperar oito anos pra ser candidato?
    – “aplicando-se a todos os processos de registros de candidatura em trâmite”: ele está falando nos processos que ainda não terminaram porque cabem recurso e a ação não está “transitada em julgado”. Quer dizer, aquilo que já foi definitivamente julgado de uma forma ou de outra continua como está. Se o ficha suja ganhou todos os recursos ou ninguém recorreu, ele não corre mais risco de perder o cargo.
    Resumo da ópera! A tese não explica nada pro leigo e fica mole pra qualquer um boateiro de Facebook falar que novas eleições são simples boatos de uma oposição maldosa. Inventam que o decisão do Fux alcança somente os prefeitos que se elegeram com liminar. Esquecem é que a qualquer hora a casa vai cair e o Aarão pode ficar mais queimado do que já é.

  3. “Embora o atual prefeito permanecerá no cargo até o TSE decidir o seu caso, a sua saída é dada como certa por mais que os seus apoiadores neguem.”

    Explicar o processo do Aarão é juridiquês purinho. Quem pode traduzir? A população não entende o vocabulário dos advogados e fica complicado demais dizer que tem um processo num tribunal que prende outro em ouro tribunal. Ou que vai ter este e aquele recurso e que só depois daquele vai surtir efeito pra depois o TSE fazer isso e o TRE aquilo… Tanto é que tem gente achando que o papo de novas eleições em Mangaratiba é mais um boato no meio de tantos que os fofoqueiros inventam pelas esquinas da cidade. O que ajudou o leigo a entender o texto no blog da Mangaratiba melhor seria o vídeo do julgamento no TSE mais o print do andamento do processo que está nas mãos da Rosa Weber. Do mais o leitor que não saca nada de jurídico entendeu bulufas.

    1. Caros debatedores,

      Realmente é difícil esclarecer detalhadamente ao cidadão comum sobre todos esses acontecimentos relativos a causas que foram judicializadas. Atingimos apenas uns poucos formadores de opinião na expectativa de que os mesmos possam, didaticamente, transmitir as informações da maneira correta e aguardem os fatos novos que estão para ocorrer.

      Ótima noite a todos!

  4. “que seus possíveis adversários fiquem atentos também, não dispersem seus correligionários, não se permitam achar que o “já ganhou” os levem a atitudes de arrogância ou divisões inúteis e que não se valham destas mesmas práticas ilusórias e populescas, cuja única consequência, seria perpetuar o atraso em Mangaratiba.”

    Quem está achando que já ganhou são os adversários que se agruparam em torno de um pretenso candidato. A esquerda de Mangaratiba sabe que não vai ser nada fácil mostrar para a população que ela tem que parar de eleger o políticos da direita. Nosso eleitor ainda não olha isso. Ele quer o discurso interesseiro do empreguinho, do coraçãozinho e do ópio da metafísica, coisa que o prefeito sabe fazer em nome de seus deuses.

  5. “Analisando os movimentos”

    Dona Leila não está errada não. A raposa não dá ponto sem nó. Claro quem o grupo político do prefeito vai precisar fabricar um candidato que não está queimado. Nem que seja pra mostrar força antes de entregar o cargo. Se o cara não pode disputar a suplementar, a mulher dele ou um secretário podem vir. Até agora ainda não sabemos quem ele irá promover além de si mesmo. Só que morto o Aarão não está e dois anos passam bem rápido.

  6. ” sites especializados anunciam a compra e venda de ônibus na faixa de duzentos mil reais, o que leva ao cálculo simples de que o valor destinado à licitação daria para adquirir pelo menos nove ônibus, que ficariam à disposição do município por vários anos”

    Lógico! Até dentro do capetalismo um governo de ideias socialistas pode melhorar a prestação dos serviços. Basta o prefeito criar uma empresa estatal, adquirir os ônibus e usá-los para qualquer tipo de transporte. Se for para levar estudante pra Campo Grande, Santa Cruz e pra Rural em Seropédica, passa só em alguns horários. Em outros, usa os veículos para transportar passageiros dentro de Mangaratiba e ainda pode fazer consórcio com Itaguaí e Angra. É só enfrentar os interesses das empresas de ônibus. Por isso é que o povo precisa parar de votar nos políticos da direita!

  7. “Transporte Universitário”2

    Num país socialista, transporte de passageiros ia funcionar direito. Essas empresas de ônibus iam ser todas privatizadas e o povo de Mangaratiba ia voltar a usar a ferrovia. Faria uma reforma em cada estação pra ficarem bem moderninhas e sem roletas porque não ia ter empresa pra lucrar com o serviço. O dinheiro viria do orçamento da União. Ônibus só pra levar pessoas onde não tiver trem. Em Itaguaí a gente teria uma linha de BRT com pista exclusiva para Seropédica até criar um metrô.

  8. “Transporte Universitário”

    Se o Brasil fosse um país socialista, os municípios não iam precisar gastar dinheiro com transporte universitário. Quem tinha que oferecer o serviço é o governo federal que podia economizar dando pro estudante alojamento e alimentação dentro do campus de uma IES pública de qualidade com professores e servidores respeitados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: