15/16 de novembro de 2017

Frase do dia

Democracia é quando as pessoas são livres para escolher alguém que depois as frustrarão. (Laurence J. Peter)

Vem bomba por aí

A Desembargadora Giselda Leitão solicitou, na última terça-feira, inclusão em pauta para julgamento na 2ª. Câmara Criminal do TJRJ o processo em que o Ministério Público acusa o presidente da câmara, vereador Vitor Tenório e o ex-secretário Humberto Vaz de participação no esquema que levou à prisão o ex-prefeito Evandro Capixaba e condenou mais quarenta pessoas. Não se trata, ainda, de qualquer  condenação, mas do julgamento da admissibilidade da denúncia do MP. Caso a manifestação do pleno seja pela admissibilidade, aí sim ambos viram réus.

Invasão

O assunto já foi objeto de matéria aqui no blog, a invasão que está se formando nas Ruínas. Vale a divulgação da imagem que chegou ao blog. Interessante observar que muitos desses “invasores” têm automóveis.

Saúde

Diz um leitor via área de comentários do blog: “Resposta a Sra Maria Alice: Procure a nova Secretária de Saúde, filha do Celso Sacolão. Talvez ela tenha uma solução para este problema que inviabilizou o perfeito atendimento dado ao seu filho. Com relação as invasões na área das ruínas e outras irregularidades apontadas na postagem intitulada “invasão, até quando”. A resposta é: Até quando o eleitor de Mangaratiba deixar de votar em candidatos mentirosos, corruptos, incompetentes e que não tenham em seus calcanhares o poder judiciário que mais dias menos dias irão bater na porta de suas mansões para cobrar a falta de vergonha que culmina sempre com o sofrimento da população dessa cidade.”

Comunicado

Enviado por um leitor do blog “Hoje às nove e meia, haverá uma reunião no King Night sobre o transporte marítimo das linhas de táxi-boat. Estão falando na presença do Ministério Público por causa de assuntos relacionados com o preço exorbitante da passagem em R$ 3,50 entre Itacuruçá e Gamboa, o direito à gratuidade do estudante, do idoso e do deficiente que não estão sendo cumpridos.”

Brasão

A lei n 5.700, de 1/9/1971, rege e dispõe sobre a forma, a apresentação e o uso dos símbolos nacionais e municipais, para que os seu elemento formais sejam preservados e não se adulterem ou descaracterizem na execução ou no trato. Bandeira, brasão de armas, hino e selo, são símbolos cívicos que retratam a história e as características de cada município.  Estes símbolos são regidos pela heráldica e vexilologia. São ciências que estudam, respectivamente, os brasões e as bandeiras. Para a composição de um brasão de armas, é necessário que se obedeça regras e leis, universalmente aceitas, que regem toda a sistematização da heráldica. Um atento morador do município notou que a prefeitura de Mangaratiba fez alterações no brasão sem que o novo modelo fosse oficializado através de lei..

A natureza é sábia

A Câmara dos Deputados encontrou mais de uma centena de escorpiões em suas dependências, nos últimos dias. Apesar de perigosos, eles não podem ser eliminados para que a Zoonoses identifique a espécie e faça as anotações estatísticas, como manda a lei. Os brigadistas explicam que, com o retorno das chuvas, os bichos peçonhentos buscam alimento (baratas) e também o calor na Câmara. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder. Apesar do alerta, não há registro de deputado picado por escorpião, à exceção de Heráclito Fortes, em um restaurante de Brasília. Um assessor parlamentar ficou muito nervoso quando um escorpião  caiu sobre o seu paletó dentro de um dos elevadores do Anexo 4. Servidores reclamam que, apesar da infestação, não existe previsão para dedetização. “Estão esperando morrer alguém”, reclamam. Os relatos são de invasão geral: escorpiões têm sido encontrados em corredores, banheiros, gabinetes, mas eles parecem evitar o plenário. (Fonte: Diário do Poder)

Autor: Prof. Lauro

Psicólogo, Professor Universitário, aposentado, e escritor, 72 anos, divorciado, três filhas e seis netos. Com residência de temporada em Itacuruçá desde 1950 e definitiva a partir da aposentadoria em 2001.

9 comentários em “15/16 de novembro de 2017”

  1. Comunicado
    Desde quando R$ 3,50 é exorbitante?
    Sabe quanto custa uma lancha e sua manutenção?
    Sabe quanto custa a gasolina em Itacuruçá?
    Fazer mesura com chapéu alheio é mole.
    Regule o mercado na marra que vc vai ter uma Venezuela.
    Quanto custa a Van,ou o ônibus?
    Não existe gratuidade.
    Alguém paga ou não rola.
    Comunista adora boca livre.
    Só não diz que quem paga somos nós otários pagando impostos extorsivos…

    1. Nós pagamos impostos pra que, coxinha? Transporte é serviço público. Não ´[e atividade econômica igual às outras. Certo é a prefeitura colocar um barco maior para fazer o transporte entre a ilha e o continente sem cobrar nada. Sou a favor do passe livre para todo mundo.

      1. Grande ideia !
        Mas o que mais me preocupa é a alimentação.
        A prefeitura podia também abrir mercados sem cobrar nada.
        Mas aí não ia ter imposto…

      2. A prefeitura não poderia criar uma empresa pública de transportes? Garanto que a arrecadação ia ser muito maior do que a arrecadação de ISS.

  2. Bom dia, Prof. Lauro

    Essas invasões na área das ruínas, sem duvida, são muito preocupantes e o Poder Executivo Municipal não pode se omitir deixando de tomar as providências necessárias.

    Confesso desconhecer de quem é a propriedade desses terrenos, mas cabe o ajuizamento de ação de reintegração de posse, o que precisa ser feito o quanto antes para que a ocupação não se consolide. Pois mesmo se tratando de bem público (não sei se é o caso) e, por via de consequências, não sendo reconhecido o usucapião, é cediço que os moradores dessas invasões acabam se beneficiando de alguma maneira no futuro. Ainda que recebendo uma espécie de titulação ou um terreninho em outro local.

    Além do mais, se a reintegração de posse demorar a ser ajuizada, o proprietário perde o direito de obter uma liminar em seu processo, o que, por sua vez, acaba beneficiando o invasor permitindo que ele fique por mais tempo no local.

    Concluo que um dos maiores erros foi a Prefeitura jamais ter realizado um trabalho de melhor aproveitamento do potencial turístico das ruínas do antigo teatro. Pois não basta iluminar o local, sendo necessário trazer para lá um movimento permanente de turistas através de um comércio de alimentos e de artesanatos junto com a promoção de eventos culturais. Aliás, o mesmo precisa ser pensado para a região do Sahy, onde era o antigo mercado de escravos, antes que seja tarde demais e a memória histórica de Mangaratiba fique apagada.

    Ressalto que boa parte do que estou colocando neste comentário pode ser levado ao conhecimento do Ministério Público…

    Ótima quinta feira!

    1. Quando um sem teto invade o terreno de alguém é porque ele está precisando de um espaço de terra para poder morar, que é um direito básico de todo indivíduo negado pelo capitalismo. Se algumas daquelas pessoas lá têm carro, desculpa professor mais o automóvel há muito tempo deixou de ser símbolo de status depois que o Lula passou a governar o Brasil.

    2. Então o pseudo doutor quer jogar a prefeitura, a justiça e mais o ministério público contra os sem teto de Mangaratiba? Vai colocar essas famílias aonde? Vai obrigar que morem no carro como em muitos estacionamentos na terra do Pato Donald?

    3. Por favor, pequenos burgueses de Sucupira, abrem os seus olhos para verem o massacre do capitalismo. A especulação imobiliária nas grandes cidades não permite adquirir um imóvel nas melhores parcelas do espaço geográfico porque tudo se estabelece ao sabor do mercado. Os donos de imóveis e mais os políticos da direita não permitem uma expansão planejada das cidades que tornem o m2 acessível. Nosso município também tem especulação mobiliária, encontra-se muito perto da região metropolitana e vai sofrer também a pressão que vem de fora. Por isso o problema habitacional nunca vai se acabar enquanto não tivermos um governo socialista centralizador que faça dez vezes mais o que foi o Minha casa, minha vida na época da Dilma, não dependendo do sistema financeiro capitalista. O primeiro passo será colocar o Lula de volta na Presidência para desfazer as pilantragens do Temer.

    4. Dr Rodrigo, esse movimento cultural a que V.Sra relatou com muita propriedade, há alguns anos atrás já havia sido intencificado com o funcionamento da Fábrica de Doces que representava a Agro-Industria do município onde existia, também, uma exposição artesanal, composta de artesanato rural e que foi visitada até por delegações internacionais, com custo zero para a Prefeitura, já que a venda dos doces ali processados eram revestidos ao pagamento das doceiras que ali trabalhavam, além do pagamento aos agricultores fornecedores da matéria prima principal que se constituía principalmente de bananas existente em larga escala em Mangaratiba. É mister salientar que havia um controle sistemático da produção e que a renda obtida com a venda dos produtos em doceterias , pousadas e comércio varejista movimentava a fábrica que servia como referência ao municipio, considerando que a kilometros de distância não deparamos com nenhuma fábrica desses produtos tão bem aceito pelos consumidores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: