04 de junho de 2017

Frase do dia

Gostaria que os que viessem depois de mim pudessem, pelo menos, ver alguma coisa que ainda lembrasse o país fabuloso que é o Brasil. (Roberto Burle Marx)

Turismo mal aproveitado

Até há cerca de dez anos, uma das atividades de Itacuruçá que mais atraíam turistas, era a pesca esportiva. No final dos dias, a cena mais comum eram barcos atracando no cais desembarcando levas de satisfeitos pescadores carregando isopores lotados de peixes. De lá para cá, no entanto, essa atração turística veio perdendo admiradores paulatinamente. Na manhã de ontem, logo cedo, às sete da manhã, vários barcos e vendedores de iscas aguardavam na beira do cais pelos eventuais pescadores amadores. Poucos apareceram. As causas para esse fenômeno podem ser creditadas a diversos elementos, como a presença de “galhudos” fazendo arrastão dentro da baía e, com isso diminuindo a quantidade de peixes; à presença de navios vindos do exterior e ancorados nas áreas de pesqueiros; ao despejo de “águas de lastro”, oriundas desses navios, trazendo microorganismos deoutras regiões do planeta e muito mais, que os especialistas em meio ambiente melhor embasariam as consequências.

Turismo mal aproveitado II

A questão que se impõe, especificamente para o município de Mangaratiba, é o quanto nós aqui contribuímos, ao longo do tempo, para que não hajam mais lagostas, linguados, cações e caçonetes, robalos, pescadas e mais uma infinidade de espécies em nossa baía. Como foi possível, ao longo do tempo, Itacuruçá ter deixado de ser ponto de embarque de toneladas de peixes para o Rio de Janeiro, a ponto de haver um desvio na linha férrea apenas para transportar os carregamentos até os trens e, hoje em dia, um pescador amador mal conseguir mostrar, em casa, que seu dia de pescaria rendeu duas ou três corvinas, um mixole e quatro bagres?

Turismo mal aproveitado III

Neste ano de 2017, temos um vereador, representando a população local, que tem raízes na atividade pesqueira do município, o vereador Wlad. É inegável que ele seja um batalhador pela causa dos que vivem e dependem do mar. Também é obrigatório que ele se engaje nessa luta dos pescadores artesanais e dos donos de embarcações que realizam passeios para pesca amadora no sentido de buscar caminhos para, ao menos, minimizar tantos estragos perpetrados contrea a nossa única dádiva natural.

Imagens nostalgicas

A respeito das imagens publicadas ontem retratando o trem chamado carinhosamente de “macaquinho”, mandou ou leitor do blog o seguinte texto, via área de comentários do blog.

O trem parte da estação de Mangaratiba,
macaquinho, macaquinho,
que embala tantas vidas,
veranistas, trabalhadores,
acampadores do Saí,
Ribeira, Ibicuí, Muriqui.
A gente olha a imagem bela,
o mar se perde pela janela.

(Do livro de poesias “Versos di Versos”, de Alberto Rodrigues da Silva, autor do Hino de Mangaratiba. Poesia, junto com outras, em exposição direta no mural da Fundação Mario Peixoto, no corredor cultural, na parede lateral da Farmácia Mangaratiba, no Centro do 1º Distrito do Município).

O fantasma da fome

A Secretaria municipal de Educação do Rio de Janeiro só tem recursos para bancar a merenda dos 641 mil alunos de sua rede até o fim deste mês. A informação foi dada ontem à rádio CBN pelo titular da pasta, Cesar Benjamin. Ele disse não saber de onde sairão os recursos para a alimentação dos estudantes, e não descarta a possibilidade de fechar escolas. A prefeitura atribui o problema a uma redução de repasses do governo federal, provocada por uma queda na arrecadação de impostos. Para um grande número de crianças, a merenda escolar é a principal refeição do dia. Em alguns casos, é a única. Sem merenda, não podemos sequer abrir as escolas. Não podemos manter centenas de crianças juntas sem dar comida. De alguma maneira, nós vamos resolver isso , disse o secretário, sem, no entanto, apontar uma saída. O problema ocorre às vésperas do término dos contratos da secretaria com fornecedores de alimentos . A validade termina no próximo mês. O órgão informou que vem tentando negociar a continuidade do serviço.

Segue

De acordo a CBN, por causa da falta de recursos, as porções servidas aos estudantes diminuíram. Em algumas unidades, carne bovina e frango foram substituídos por ovos, que têm o mesmo valor nutricional. Em uma postagem no Facebook, Benjamin relatou outros problemas. Segundo ele, o custeio da rede municipal de ensino aumentou por conta da abertura de 93 escolas. Segundo ele, a Secretaria de Educação ainda tem que arcar com R$ 109 milhões em restos a pagar deixados pelo ex-prefeito Eduardo Paes. (Jornal Extra)

Tá bem.

Tá bem, mas e qual a explicação para a falta de merenda escolar em Mangaratiba?

Anúncios

Uma resposta em “04 de junho de 2017

  1. Merenda!
    Falta capacidade, vontade politica, competencia, humanidade e uma grande falta de uma politica local q represente o povo de Mangaratibense de fato.
    O resto é tudo igual, muda apenas os atores e cenário é o mesno.
    E a tendencia é cada vez piorar mais, com essa crise politixa q vem estiguimatizando esse Municipio a ins 4 anos ou mais.
    Lamentável

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s