29 de maio de 2017

Frase do dia

Você sabe que está ficando velho quando as velas começam a custar mais caro que o bolo. (Bob Hope)

Canção para Cruz de Pedra

Aconteceu, no último sábado, como publicado ontem no blog, o lançamento do livro “Canção para Cruz de Pedra”, de autoria do médico cardiologista pediátrico Astolfo Serra Júnior, antigo veranista em Itacuruçá. A obra, um misto de registro histórico, ficção e realidade, passeia pelas lembranças e reminiscências de uma cidadela do interior que tem, em tudo, o DNA extremamente parecido com Itacuruçá. Excelente leitura, especialmente para quem viveu os últimos cinquenta anos do distrito. A obra passeia pelas origens históricas de Itacuruçá, o desenvolvimento promovido pela família do Major Caetano, lembranças e reminiscências de antigos moradores e muito mais.

Legendários

Adolescentes nos anos setenta, figuras lendárias do passado em Itacuruçá compareceram ao lançamento do livro. Destaque para o ex-vereador e ex-secretário do Meio Ambiente, Giovane Kede, em processo de recuperação de um Avc.

Ídolo com pés de barro

Tantas vezes elogiado pelo comportamento correto em suas ações à frente de setores do poder público municipal, parece que o secretário Vitor Carvalho deu uma “escorregada” nessa última semana. Circula nas redes sociais uma denúncia, acompanhada de imagem do registro da ocorrência na 165 DP que relata o que segue: “O Secretário de Segurança de Mangaratiba, Vitor Carvalho Santos. Pai do Vereador Vitinho, é acusado de ameaçar Guarda Municipal (seu funcionário) com arma em Muriqui. Vítima: André de Sousa Pinto. Inquirido disse que, na data de hoje, por volta das 11:50 Hs. Estava na Praça João Bondim no Centro de Muriqui, quando foi ameaçado de morte pelo Secretário da Guarda Municipal Victor de Carvalho Santos. Relata o vitimado que a dias atrás colocou uma postagem no Facebook direcionada ao Vitinho e ao Aarão relacionada às viagens que os vereadores da cidade estavam realizando. Que Victor não gostou e hoje o chamou e disse: Pare de falar do meu filho em rede social. Victor abriu a bolsa que portava, mostrou a arma que porta, pois a próxima vez iria lhe matar. Que o declarante apresentará testemunhas. Que o declarante deseja representar criminalmente contra o agressor.”

Tudo é possível

Além de poder “pedir música no Fantástico” em função de quatro cassações seguidas de prefeitos, Mangaratiba também poderá, na próxima semana, inaugurar a novidade de ser dirigida pelo juiz eleitoral, enquanto não se realizam novas eleições. Defende um estudioso nas questões judiciais: “O quadro político-administrativo da cidade é delicado. O atual chefe do executivo, Aarão de Moura Brito Neto, será julgado na próxima terça-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral. Caso seja cassado, o presidente da câmara de Mangaratiba assumirá temporariamente a prefeitura. Neste caso, o TRE marcará novas eleições e um novo prefeito será eleito e diplomado. Aarão, que já foi cassado outrora, poderá ter o mesmo resultado pelo TSE na semana que vem. Outros processos parecidos que já foram julgados tiveram impugnação e cassação do diploma, e, segundo alguns doutos no assunto leva a crer isso. Vale lembrar que cada processo tem uma sentença e tudo pode acontecer, inclusive sua permanência no cargo. O problema que o atual presidente da câmara de Mangaratiba, Vitor Tenório, o Vitinho, foi denunciado pelo Ministério Público recentemente. O processo que já levou o ex-presidente Evandro Capixaba a dezenas de anos na prisão no presídio de Bangu, teve também funcionários e empresários condenados. Na época, a Desembargadora Dra Giselda proferiu penas pesadas nos condenados. Também neste caso, a desembargadora poderá não acatar a denúncia e absolver o presidente. Caso o atual presidente seja impedido, o Tribunal de Justiça poderá determinar que o juiz da comarca assuma a prefeitura. Neste caso, o Doutor Marcelo Barbosa, juiz da comarca única de Mangaratiba, assumirá o executivo municipal. Doutor Marcelo, que é conhecido como duro nas decisões e rigoroso em cumprir a lei em seus despachos, terá de colocar a cidade nos trilhos.” (Matéria e autoria: Portal Mangaratiba)

Curiosidade

Na Índia, um imbróglio familiar teve o WhatsApp como ferramenta judicial quando um juiz aceitou o tique duplo azul como comprovação de que uma série de notificações foram recebidas. O caso aconteceu em Delh. Um homem pediu na Justiça que seu filho, a nora, seus pais e mais um amigo fossem impedidos de entrar em sua casa. Quando o tribunal ordenou que todos os envolvidos fossem notificados, ele argumentou que não haveria tempo hábil para tal, e que as pessoas poderiam acabar aparecendo antes da entrega, então a Justiça permitiu que os avisos fossem feitos pelo WhatsApp. O demandante entregou a notificação ao filho em mãos, mas o fez via WhatsApp aos demais. Assim que viu os dois tiques azuis, tirou capturas de tela e as levou ao tribunal, que aceitou aquilo como comprovação de que as pessoas estavam avisadas. “Esses réus, portanto, certamente tiveram conhecimento das convocações e da audiência hoje”, avaliou a Justiça. (Fonte: Olhar Digital)

Efeitos do mar

Alguma vez você já passou um dia na praia e voltou para casa sentindo-se relaxado e rejuvenescido? Você pode concordar prontamente que a praia tem um efeito calmante, mas também sabe que estar na praia pode ter um enorme efeito sobre a sua saúde e bem-estar, e pode mesmo mudar seu cérebro. Vamos dar uma olhada em alguns dos benefícios cientificamente apoiados que a praia pode oferecer. Lora Fleming, da Universidade de Exeter na Inglaterra, diz que a ideia de que a praia ajuda a nossa saúde está bem estabelecida. Os médicos do século XVIII costumavam prescrever viagens para o oceano para visitar “hospitais de banho”. Hospitais de banho eram clínicas especialmente projetadas que ofereciam tratamentos banho de água salgada. Fleming observa, no entanto, que os cientistas só começaram a olhar para os benefícios de saúde do oceano experimentalmente nos últimos tempos. O córtex pré-frontal, uma área do cérebro associada com a emoção e autorreflexão (bem como outras funções) é ativado quando os sons do oceano são reproduzidos. Isso foi provado através de pesquisas de cientistas com participantes de estudos que foram expostos a sons e ruídos do oceano. A sensação de paz que temos na praia pode ser um resultado de alterações moleculares em nossos corpos. As ondas do oceano produzem íons negativos. Íons negativos aceleram a capacidade do nosso corpo de absorver oxigênio. Eles também equilibram os níveis de serotonina; uma substância química produzida pelo organismo que está relacionada com o humor e o stress. Esta é uma das razões pelas quais estar na praia foi ligada, por cientistas, à energia mental positiva e uma sensação geral de saúde e bem-estar. Pode até fazer-nos dormir melhor. A razão pela qual as praias têm um efeito tão calmante sobre nós pode ser por causa do som das ondas. Os sons mais relaxantes e agradáveis de ouvir são aqueles que têm padrões de ondas previsíveis. O som também deve ser suave em volumes e frequências harmônicas em intervalos regulares. As ondas do oceano são dessa forma. Regulares e suaves de ouvir. O som do mar pode ter um efeito ainda mais profundo no emocional, de acordo com a neurocientista Shelley Batts. O ruído do oceano provavelmente desencadeia memórias profundas ou sensações de relaxamento e segurança. Algumas pessoas podem até dizer que recordam o útero e os batimentos cardíacos de sua mãe. Há um hormônio do estresse chamado cortisol. Alguns ruídos, tais como tráfego e o ruído de avião pode acioná-lo. Quando esse hormônio é liberado, problemas de saúde, tais como úlceras e doenças cardíacas podem ocorrer. O barulho calmante do oceano trabalha para diminuir os níveis de cortisol. Desta forma, o oceano pode ter um efeito positivo sobre nossa saúde em geral e evitar potenciais problemas de saúde. A superfície plana do oceano pode também dar-nos uma sensação de segurança. O neurocientista Michael Merzenich diz que os seres humanos se sentem seguros quando estão em lugares que não são complexos. Na floresta, seres humanos precisam fugir de animais predadores; nas cidades, há bandidos e vilões com os quais devemos tomar cuidado; no entanto, na praia podemos enxergar milhas, e isso nos dá paz de espírito. Não há ameaças potenciais. “Somos construídos, neurologicamente, para normalizar o nosso ambiente e controla-lo.”, diz Merzenich. “Quando olhamos para o mar, ou estamos ao longo da costa, nós estamos em um ambiente previsível e estável.”

Estou voltando pra casa

Em homenagem a todos os”jovens” dos anos setenta que estiveram em Itacuruçá nesse final de semana e se sentiram “voltando pra casa”.

Anúncios

5 respostas em “29 de maio de 2017

  1. É uma pena que o professor em um evento aonde só tinham velhos amigos da juventude o professor faça questão de levar para o lado da política,intitulando ex secretario, ex vereador,alias professor vc que diz ser dessa época não estava na foto,o que houve?

  2. A iniciativa do livro até acho legal…Ainda não lí e nem tive chance de estar no evento..Mais vejo que pela foto, que foi algo apenas para algumas pessoas que formam a sociedade de Itacuruça..
    Será que o livro abordou a história de Itac, dos primorfes de Itacuruca, desdr a época escravocrata…Vista por uma outra ótica, de alguem que buscou informacao.
    Pq se for a historia de algo de 50 anos atras, garanto que nem vale a pena publicar..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s