24 de janeiro de 2017

Frase do dia

Veja bem, nosso caso é uma porta entreaberta. Eu usei a palavra mais certa. Vê se entende o meu grito de alerta. (Grito de alerta – Gonzaguinha)

Abandonando o barco

Ao que parece, a Expresso Mangaratiba decidiu abandonar de vez o barco. Ontem, um morador de Itacuruçá que tinha negócios a resolver em Itaguaí, levou uma hora e quarenta no percurso de ida, em um ônibus que faz a linha para Nova Iguaçú absolutamente lotado, com mais de cem passageiros. Ao retornar, terminando seus compromissos às quinze horas e trinta minutos, só conseguiu chegar em casa pouco depois das dezessete horas.

Abandonando o barco II

Ainda no dia de ontem, notou um observador que nenhum dos ônibus micro, que faziam a linha Itaguruçá x Itaguaí ou Muriqui x Itaguaí, estavam circulando. Também, para Mangaratiba, Praia do Saco e Conceição de Jacareí, só os chamados “ônibus rodoviários”.

Abandonando o barco III

O “jeitinho” para a manutenção dessas linhas foi transferi-las para a viação Costeira, que apesar de ser do mesmo grupo, tem registro diferente no Detro e, portanto, não está em risco imediato de intervenção.

Abandonando o barco IV

O nível de revolta da população, tratada como gado, viajando em péssimas condições, perdendo compromissos, já começa a transbordar da empresa para os políticos locais. Para o “povão”, quem deveria tomar providências imediatas a respeito desse estado de coisas não pode ser um burocrata qualquer instalado em algum gabinete refrigerado lá no centro do Rio de Janeiro, mas os políticos locais, aqueles mesmos que há quatro meses bateram em suas portas pedindo votos e prometendo mundos e fundos para o município.

Fábula

Conta a história que, certa vez, um penitente procurou um orientador espiritual em busca de aconselhamento. Contou ele ao religioso que, num momento de raiva, saíra espalhando boatos a respeito de uma pessoa que havia contrariado seus interesses, mas que, naquele momento, já de cabeça fria, estava arrependido e queria saber como consertar seu erro. O religioso respondeu que era bem simples. Bastava ele depenar uma galinha, subir no ponto mais alto da cidade e espalhá-las ao vento. Só isso? Ele perguntou. Não. A parte mais importante será você, depois disso, sair pela cidade recolhendo cada uma das penas atiradas até não sobrar nenhuma. Mas isso é impossível, retrucou o penitente. Pois assim acontece com a difamação que você praticou contra seu oponente. Por mais que você se esforce, as manchas ficarão marcadas para sempre. (NR. Qualquer semelhança com fatos ocorridos nas redes sociais em Mangaratiba não é mera coincidência)

A propósito

Crimes de injúria, calúnia e difamação, quando praticados através da internet, hoje em dia podem perfeitamente ser rastreados até ao autor. Existe, no Rio de Janeiro, uma delegacia especializada em crimes cibernéticos que vem apresentando muitos resultados positivos.

 

Anúncios

Uma resposta em “24 de janeiro de 2017

  1. Boa tarde professor, o que será que houve com a empresa reginas que assumiria algumas linhas da expresso? Por que ainda não assumiu?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s