31 de julho de 2016

Frase do dia

Depois de uma mentira, toda verdade vira dúvida. (Anônimo)

Poda de árvores

Comentário de um morador a respeito da necessidade de poda de um grande “ficus” às margens do canal da Brasilinha; “Não só o Ficus tem que ser podado, mas as outras árvores também. tem um pé de abacate que esta em cima dos fios de alta tensão em frente ao nr 29 e outras árvores também. Já fui a Ampla em Muriqui e dei entrada no pedido de podas. a primeira vez foi em maio e dois meses depois Julho e até agora nada de virem aqui. A pior empresa do mundo.” (Antônio Brancato)

Sem tretas nem mutretas

Enquanto a vila dos atletas olimpicos abria com fiação exposta, vazamento de gás, goteiras e sujeira nos apartamentos (tudo com promessa de solução até quinta-feira), a 40 quilômetros de distância os atletas brasileiros da vela e do vôlei de praia desfrutavam de quartos bem arrumados, com vista para o mar, no bairro da Urca, Zona Sul do Rio. As competições destes dois esportes serão na Baía de Guanabara e em Copacabana, daí a decisão de acomodar os cerca de vinte atletas mais perto, em instalações montadas pelo Comitê Olímpico Brasileiro no Centro de Capacitação Física do Exército, dentro da Fortaleza de São João. Os quartos a que a imprensa teve acesso são bem acabados, com amplo banheiro e equipados com televisão. (Fonte: Revista Veja)

Curiosidades olimpicas

A seleção de futebol feminino sub-19 da Espanha vem chamando à atenção pelo mundo. Além de ser destaque nas categorias de base, a equipe tem duas atletas com nomes curiosos para os brasileiros: Ana Buceta e Veronica Boquete. A meia Ana Buceta é considerada uma das revelações de seu clube, El Olivo, na Espanha. Pela seleção espanhola, atuou no último Europeu de seleções sub-19, em junho. O time acabou eliminado ainda na primeira fase, após perder para França (1 a 0) e Holanda (2 a 0). Na goleada sobre a Macedônia, por 6 a 0, Ana Buceta, de 17 anos, foi autora de um gol. Outra meio-campista, Veronica Boquete, de 23 anos, também joga pela seleção. Em 2004, ela defendeu a seleção sub-19 da Espanha no europeu de seleções, no empate da Fúria por 2 a 2 com a Irland. (Fonte: Jornal Extra)

Como será o amanhã

Ao virar réu na Justiça Federal de Brasília, o ex-presidente Lula passa agora a ter um desafio mais jurídico do que político. Ele responderá à acusação de ter tentado obstruir a Justiça, segundo denúncia baseada na delação do ex-senador petista Delcídio do Amaral. Segundo Delcídio, Lula teria participado de tentativa de impedir delação de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras. O ex-presidente nega. Lula é o principal político brasileiro. Mesmo sob forte bombardeio, é líder nas simulações de primeiro turno a respeito da sucessão presidencial de 2018. Nos cenários de segundo turno, a forte rejeição impediria uma vitória se a eleição fosse hoje. Essa é a primeira denúncia a ser aceita contra o ex-presidente, o que tem simbólico impacto político. Com o juiz federal Sérgio Moro, Lula partiu para um confronto aberto. Seus advogados apresentaram recurso ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) questionando a parcialidade de Moro e acusando o juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba de ações abusivas. Em Brasília, Lula será julgado por outro magistrado, Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal. Uma eventual condenação em primeira instância não o enquadraria na Lei da Ficha Limpa, impedindo uma candidatura em 2018. Mas uma condenação em instância superior, nesse caso, sim, porque seria uma sentença de um órgão colegiado. Lula dá como certo que será condenado por Moro num futuro processo. Como o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, confirma as sentenças de Moro, o petista seria impedido de concorrer até eventual reversão dessa condenação. Logo, a batalha jurídica é fundamental para o futuro de Lula e do PT. Se ele vencer os processos, sairá fortalecido para concorrer em 2018. Se perder, ficará fora do jogo legalmente ou, no mínimo, enfraquecido politicamente. (Kennedy Alencar, rádio CBN)

 

Anúncios

2 respostas em “31 de julho de 2016

  1. Em frente a minha casa na Praia do Saco tem um Ipe que eu mesmo um dia plantei. Ele cresceu e eu sempre podei os galhos para não haver problemas com a fiação eletrica. Um dia ao chegar no local so encontrei o tronco do ipê em pé. A Ampla havia passado no local e fez uma poda q não deixou nada além do tronco. Conclusão. A Ampla matou meu ipê, o qual eu mantinha com galhos afastados da fiação. Hoje só resta de pé o tronco apodrecendo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s