19 de junho de 2016

Frase do dia

A única coisa sagrada é a insatisfação do homem con­sigo mesmo e o esforço que faz para ser melhor do que é. (Gorki)

Mentiras internéticas

Bastante popular no Twitter e no Snapchat, foi no Facebook que o padre Fábio de Melo se juntou à lista de famosos vítimas de falsas notícias. Circula na rede social um post informando sua saída da Igreja Católica por ter se apaixonado por uma mulher. Ele teria escolhido então iniciar a função de pastor da Igreja Metodista. Mas Fábio de Melo já cuidou de desmentir todo o boato. “Arrumaram um casamento pra mim na outra rede. Mas não me convidaram. A gente morre e não vê tudo”, publicou ele. “Os fanfarrões me tornaram pastor metodista, e, de quebra, me arrrumaram esposa”; “o print da notícia infame está rodando neste site. Causou-me tremendo desconforto, mas já estou medicado”, escreveu ele em resposta a seguidores. (Fonte: Jornal Extra)

Vergonha

Minha realidade é triste. Quando nos formamos em professora, no ano de 1993, minha mãe me deu um mimeografo que por muitos anoa usei até que as copiadoras facilitaram as nossas vidas. Entretanto, hoje, vinte e três anos depois, me pego necessitando de um mimeografo pois o que eu tinha não tenho mais e as copiadoras das escolas em que trabalho não estão funcionando. Me resta voltar a manivelar o antigo carbex. Lembram dele? Por isso, pergunto: alguém tem algum mimeografo pra me doar? (De uma professora indignada)

Um novo tempo

As eleições municipais 2016 estão aí! É o momento de escolher prefeito, vice-prefeito e vereador. Mas fique atento, a disputa eleitoral tem regras, que devem ser respeitadas. Quer saber o que pode e o que não é permitido na disputa eleitoral? Acesse a cartilha do MPF: http://goo.gl/nlGjyH . Ao presenciar alguma irregularidade, para que a apuração seja mais rápida e eficaz, você deve procurar o promotor eleitoral no seu município para fazer a denúncia. Provas do ilícito eleitoral, como fotos, vídeos e testemunhas, podem ajudar a esclarecer o fato.

A propósito

No dia 1º de maio o Tribunal Regional Eleitoral lançou página no Facebook para receber denúncias de propaganda irregular. De cem fiscais, o TRE passoui a ter milhões, com a garantia do sigilo e do anonimato. Já existe um e-mail para denúncias que funciona bem e três frentes de atuação: campo, virtual e rádio e televisão.Padronizou-se a fiscalização em todo o estado. Já foram realizadas três reuniões com representantes de partidos para dizer o que pode e o que não pode.  O objetivo é orientar e punir, sem truculência. Todas as irregularidades são enviadas ao Ministério Público para que as providências sejam devidamente tomadas. As maiores punições são por abuso de poder político e econômico, nas quais pode haver a cassação do registro. Há ainda a fiscalização do financiamento de campanha que agora só pode ser feito por pessoa física e o fundo partidário.

Te cuida, Locanty

Uma trabalhadora que atuava como gari na limpeza urbana da cidade mineira de Guaxupé vai receber adicional de insalubridade e indenização por dano moral no valor de R$ 2 mil, devido às condições em que o lixo urbano se encontrava e o constrangimento e vergonha de ser obrigada a recorrer a sanitários de estabelecimentos comerciais, porque não dispunha de banheiros móveis. A empresa Constroeste Construtora e Participações Ltda., empregadora da gari, tentou reverter a condenação, mas a Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho, sob a relatoria do ministro Alexandre Agra Belmonte, não conheceu do recurso quanto ao tema do adicional de insalubridade e negou provimento quanto ao da indenização por dano moral. A condenação foi imposta pelo Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, entendendo que a prova oral apresentada pela empresa não foi suficiente para suplantar a conclusão do laudo pericial, que revelou, inclusive, a presença de animais mortos em lixo aberto. O perito afirmou que a gari ficava sempre em contato com agentes biológicos, uma vez que as luvas e calçados de segurança indicados para proteção de agentes mecânicos e químicos não neutralizam ou eliminam esse tipo de exposição.

Dano moral

Sobre a argumentação da empresa de que a própria condição da prestação de serviços da trabalhadora impede que ela disponha do conforto de um banheiro próximo ao trabalho, como ocorre em trabalhos externos, o relator incluiu na sua decisão o voto do ministro Maurício Godinho Delgado. Ele observou que, ao manter a condenação ao pagamento da indenização por dano moral, o TRT assinalou que a empregada era obrigada a percorrer longas distâncias, de até 2 km, para limpar e varrer as ruas e avenidas em trajeto em que não havia instalações sanitárias públicas em pontos estratégicos suficientes, tendo, para isso, que “contar com a complacência de estabelecimentos comerciais”, o que lhe gerava constrangimento e vergonha. (Fonte: Âmbito Jurídico)

Exóticos

O esquema de corrupção com 112 funcionários fantasmas, montado na Prefeitura de Itaguaí em 2015 criou profissões inimagináveis no governo municipal. Com salários que variavam de R$ 1 mil a R$ 16 mil, o município ‘contratou’ fiscais de pula-pula, de temperatura de água nos bebedouros das escolas municipais e de poste das 18h às 20h. A funcionária Maria de Fátima Alves Leondonio fiscalizava poeira nas vias e, pelo serviço, recebia a bagatela de R$ 5.556,40. Os pagamentos serviam como moeda de troca para Mota ficar blindado na Câmara Municipal e causaram R$ 1,2 milhão de prejuízo aos cofres públicos. Na última sexta-feira, o Ministério Publico pediu a prisão preventiva de Mota; David Brites de Macedo, ex-diretor de Informática, e de Fuad Sacramento Zamot, ex-secretário de Administração, além dos vereadores Marcos Aurélio de Souza Barreto, do PT; Márcio Alfredo de Souza Pinto, do PMDB; Vicente Cicarino Rocha, do PMDB; Eliezer Lage Bento, o Zezé, do PRTB; Silas Cabral, do PV, e Roberto Lúcio Espolador Guimarães, do PMDB. Eles e mais 112 funcionários fantasmas foram denunciados pelos crimes de peculato, desvio de bens públicos e inserção de dados falsos no sistema de informática da prefeitura. As penas variam de dois a 12 anos de prisão. O subprocurador-geral de Justiça de Assuntos Institucionais e Judiciais do MP, Alexandre Araripe, pediu ainda à Justiça o afastamento dos vereadores do cargo e a indisponibilidade dos bens de todos os denunciados. Segundo Araripe, na calada da noite, o ex-diretor de Informática entrava na sede da prefeitura e inseria os nomes dos funcionários fantasmas na folha de pagamento. (Fonte: Jornal O Dia)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s