04 de abril de 2016

Frase do dia

Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te. (Friederich Nietzsche)

Ficando banal

Na madrugada de sábado para domingo mais tiros foram ouvidos em Itacuruçá. Dessa vez na região do Axixá. Na manhã de domingo, corria a notícia de que a vítima foi a filha do “Marquinho delegado”, que não morreu, mas teve sérios ferimentos. Explicando a causa do incidente, uma moradora antiga assim resumiu: “quem com porcos de mistura…” Mais não disse, e nem era preciso.

De serpentes e cascavéis

Há cerca de uma semana, comentávamos aqui quanto às eventuais candidaturas dos diversos partidos para as eleições de outubro vindouro. Entre elas, a possibilidade de o PDT Mangaratiba lançar candidato próprio. O que ninguém sabia, àquele momento, era que estava em curso um golpe nos níveis superiores do partido. Assim, sem que houvesse qualquer justificativa pertinente de algum tipo de descumprimento de determinação partidária, a comissão executiva nacional do partido destituiu o diretório e a executiva municipal do PDT Mangaratiba, eleita regularmente para mandato de dois anos e, em seu lugar, nomeou a comissão executiva provisória abaixo citada, em certidão fornecida pelo TSE. Observe-se que até a sede do partido foi mudada para a fazenda Muriqui.Certidão

Porr aqui, com a Ampla

Indignados com os constantes cortes de energia na região, segundo alguns moradores em benefício do hotel Portobelo, moradores da Ingaíba interditaram a rodovia Rio Santos na noite de sábado, inclusive ateando fogo a pneus e galhos de árvores. Equipes da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, Defesa Civil de Mangaratiba e Bombeiros estiveram no local, mas somente após a chegada do Promotor de Justiça é que se conseguiu um acordo para a liberação da pista quase as onze da noite. O Doutor Alexandre Verás, Promotor de Justiça da Tutela Coletiva em Angra dos Reis, intermediou e conseguiu equacionar o problema ouvindo os manifestantes. Segundo informações, o vereador Alan Bombeiro foi a única autoridade pública a comparecer ao local para tentar intermediar a situação. (Imagem Revista Rota Verde)Ingaíba

Na serra

Mais reclamações quanto à concessionária Ampla. “Eu gostaria de saber porque na Serra do Piloto está acabando a luz do nada e depois de meia hora volta? Ontem acabou a luz mais de cinco vezes. Será que a Ampla vai pagar os eletrodomésticos que vão queimar? Saco cheio de Mangaratiba.” (Tatiana Vasconcelos, via facebook)

Primeiro aniversário  

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, negou seguimento ao Habeas Corpus 130441 impetrado em defesa de Evandro Bertino Jorge, prefeito cassado do Município de Mangaratiba, denunciado pelos crimes de associação criminosa, uso de documento falso, uso indevido de verbas públicas e fraude em licitação. Na ação impetrada contra decisão do Superior Tribunal de Justiça, a defesa alegava ofensa à duração razoável do processo e confusão procedimental.  Pedia o desmembramento do caso em relação aos acusados que não detêm prerrogativa de foro e a nulidade do processo, pois Evandro Jorge não teria sido citado pessoalmente para manifestação após o recebimento da denúncia. O relator do habeas, ministro Edson Fachin, afastou a possibilidade de concessão da ordem de ofício diante da ausência de ilegalidade flagrante no caso. Segundo o ministro, para superação da Súmula 691 do STF, ou seja, para a concessão do habeas corpus impetrado contra decisão negativa de ministro de tribunal superior, “a ilegalidade deve ser cognoscível de plano”, em casos absolutamente aberrantes e teratológicos em que haja necessidade do provimento para evitar flagrante constrangimento ilegal ou a manutenção de situação manifestamente contrária à jurisprudência do STF. “No caso dos autos, a apontada ilegalidade não pode ser aferida de pronto”, disse. Quanto ao alegado excesso de prazo na formação da culpa, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro informou, segundo o ministro Fachin, que a instrução processual já foi encerrada. Além disso, por tratar-se de denúncia complexa (44 acusados) o aumento seria justificado. O tribunal informou ainda que a defesa descumpriu prazos processuais concorrendo para a demora. Tais circunstâncias, para o relator, afastam a possibilidade de constrangimento ilegal. De acordo com o ministro Fachin, a alegada ausência de citação pessoal do ex-prefeito não foi suficientemente esclarecida nos autos. “Ademais, é certo que o paciente foi pessoalmente notificado da denúncia, de modo que conhece, desde logo, o conteúdo da imputação”. Sobre o pedido de desmembramento, o relator afirmou que a conexão entre as infrações supostamente praticadas pelos denunciados resultou na unicidade de processamento e julgamento. “Destarte, como não se trata de decisão manifestamente contrária à jurisprudência do STF, ou de flagrante hipótese de constrangimento ilegal, descabe afastar a aplicação da Sumula 691”. (Fonte: Correio de Brasília)

O caso é sério

Reportagem da revista IstoÉ, assinada pelos jornalistas Sérgio Pardellas e Débora Bergamasco, levanta um assunto da maior gravidade, ao trazer informações vazadas nos bastidores do Planalto, fornecidas por funcionários de carreira da Presidência da República, que revelam o agravamento do estado de saúde da presidente Dilma Rousseff, a ponto de estar submetida a tratamento psiquiátrico com aplicação de medicamento indicado para esquizofrenia, uma gravíssima doença mental. A impressionante reportagem mostra que a situação chegou a tal ponto que a Aeronáutica já ameaçou transferir a uma tripulação terceirizada o comando do Airbus presidencial, devido a graves episódios de desrespeito aos oficiais da FAB que prestam serviços à Presidência. Por óbvio, o assunto é extremamente delicado e a revista IstoÉ assumiu de forma correta o risco de trazer a questão a público. O repórter Sérgio Pardellas, um dos melhores do país, é respeitado por sua seriedade, e Débora Bergamasco não fica atrás. Sempre bem informada e ativa, foi ela quem noticiou, com absoluta exclusivamente, o teor da delação do senador petista Delcídio Amaral.

Anúncios

Uma resposta em “04 de abril de 2016

  1. Porr aqui, com a Ampla:
    Fui uma vítima do “Protesto”.
    Justíssimo.
    Tive que voltar e dormir na casa do meu filho em Angra.
    Quase em casa.
    Quem paga a gasolina e a aporrinhação?
    O general acaba tendo razão…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s