22 de outubro de 2015

Frase do dia

Muitas pessoas são dotadas de razão. Muito poucas de bom senso. (Gustave Le Bon)

Incongruências

Hoje estive com integrantes do GPA , e percebi uma tristeza no ar. Perguntei o que houve e me informaram que foi negado a eles o decreto do abono especial para os funcionários de Mangaratiba. O engraçado é que na Secretaria de Segurança havia uma discussão entre dois assessores do secretário onde um reclamou que recebeu “só” 1.500 reais de abono enquanto o outro recebeu 1.800. Estranho, pois acompanho o trabalho dos caras do GPA onde quase todos os dias ele recolhem animais peçonhentos. Essa semana mesmo recolheram uma urutu. E nem recebem qualquer valor de periculosidade. Encaminhei aos mesmos um ofício da Fiocruz para acompanhar seus agentes, haja visto que no ano passado o GPA desativou vários “tocos” deixados por caçadores para abater animais e nesse ofício falava do risco de vida devido às armadilhas. E a prefeitura alega que não tem direito ao abono porque o GPA ganha um enorme FG de 330,00 reais? Mas trabalhar pra duas secretarias pode: segurança e meio ambiente? Um contratado pode receber 1.800 e um efetivo não? É isso mesmo? Força rapazes! E parabéns pelo serviço que exercem mesmo sem reconhecimento. (Anderson Nogueira, via área de comentários do blog)

Errata

O DOM de número 545 corrigiu o texto da portaria 1265, de 8 de outubro passado e apontada aqui no blog com “erro material”, já que o caput indicava tratar-se de documento de emissão do prefeito municipal mas, ao final, quem a assinava era o secretário de administração. Informou ao blog o secretário Pedro Lemelle que aconteceu uma desatenção no momento de formatar o documento utilizando um modelo já existente.

Esquisitice

Tal e qual os incidentes (alguns trágicos) envolvendo motoristas que erram caminhos por confiarem em GPS’s. Aconteceu em Itacuruçá uma situação inusitada. Um construtor local, ao chegar à fase final de uma obra na Marina, providenciou a visita da Ampla para vistoria objetivando a instalação do padrão de luz. Quando o técnico chegou, sua primeira providência foi verificar o endereço no sistema de GPS. A máquina lhe informou que o padrão de luz não poderia ser instalado ali, vez que se tratava de área de proteção ambiental. O esquisito é que a obra em questão está sendo realizada em uma das ruas do condomínio, cercada de residências por todos os lados.

Tempos modernos

Ao contrário do que se dizia há alguns anos (inclusive em Mangaratiba) que ações temerárias de gestores públicos nunca davam em nada, aconteceu mais uma forte decisão judicial contraria essa lenda. A Justiça condenou a 32 anos e quatro meses de reclusão o ex-prefeito de Vinhedo, no interior de São Paulo, Milton Álvaro Serafim por crime de concussão, quando é praticado por funcionário público que exige propina em razão da função que exerce. Segundo a sentença, Serafim cobrava de empresários interessados em implantar loteamentos no município vantagens econômicas espúrias, como condição para a aprovação dos projetos na prefeitura de Vinhedo, interior de São Paulo. As vantagens consistiam em receber lotes de condomínios. Em ação de improbidade movida contra o ex-prefeito e seus aliados, a Promotoria estimou em R$ 5,5 milhões o montante amealhado de forma ilícita pelo grupo.

Um trecho da sentença

 “Na dosimetria da pena, observo que os réus não tiveram qualquer pudor em exigir, reiteradamente, dos empreendedores, vantagens indevidas, pelo contrário, agiram com audácia, muitas vezes de forma ostensiva e sem rodeios, indo até os loteamentos e escolhendo seus lotes, certamente entre os melhores do empreendimento, agindo de forma a maquiar as ações praticadas, engendrando-as em detalhes, com a imposição de transmissões formalmente onerosas, sem que despendessem um centavo, e orientação aos empreendedores para que contabilizassem a falsa entrada dos valores, de modo a lhes assegurar impunidade, fazendo-o nas duas gestões em que se valeram da máquina administrativa”. (juíza Euzy Lopes Feijó Liberatti).

Outro trecho

 “Acrescenta-se a conduta dos réus de ameaçar os loteadores, por vezes, de ‘revisão’ da aprovação ou embargo das obras, se entendessem que estava havendo demora no cumprimento das exigências e, até mesmo, fazendo novas exigências, como relatado pelos empreendedores Alexandre Ignácio Leonor e Paulo Celso Penteado Meirelles, e especialmente por tentarem coagir o primeiro, a fim de conferir aparente regularidade à situação falsa, impondo-lhes a assessoria de uma advocacia ‘especializada’, para tutela de interesses próprios, conluiando-se a advogada, que se valeu de seu ofício, essencial à administração da justiça, como o reconhece a Constituição Federal, para fins escusos”, observa a magistrada.”

Já viu esse filme?

A juíza considerou, ainda, que o caso trata de ‘delitos praticados contra a administração pública, contrariando, os réus, a justa expectativa, de toda a coletividade, de ver o interesse público gerido conforme os princípios constitucionais da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, causando grande revolta e indignação à população, que depositou confiança no administrador que elegeu, e em sua equipe, e já não mais tolera tanta falta de ética na gestão da coisa pública’. (Fausto Macedo em ‘O Estadão’)

Eminência parda

O ex-presidente Lula ainda pressiona a presidente Dilma a substituir Joaquim Levy por Henrique Meirelles, no Ministério da Fazenda. Na semana passada, em Brasília, ele tentou atrair o interesse de Meirelles com uma nova proposta: fundir a Fazenda e o Planejamento. Diante de testemunhas, Lula prometeu: “Você será super-ministro e Dilma, uma rainha da Inglaterra”. Meirelles ironizou: “Ela já sabe disso?” Sabia. Meirelles foi categórico na recusa: “De jeito nenhum. Em pouco tempo ela vai começar me criticar pelos jornais e não vou aceitar calado”. Foi essa investida de Lula que fez Levy indignado, redigir e entregar sexta-feira (16) a Dilma o seu pedido de demissão. Ela não aceitou. Dilma sente aversão até física por Meirelles, com quem se estranhou durante o governo Lula, quando ele presidia Banco Central. Recusando-se a nomear Meirelles e tornando Levy sua opção pessoal, Dilma mantém certa “independência” de Lula. Mas é só pose. (Fonte: Diário do Poder)

Anúncios

4 respostas em “22 de outubro de 2015

  1. Direito tem, desde que seja peixinho do Anderson Quadros, que por sinal tá arrecadando um bom dindin com o tal Choque de Ordem; multando comerciantes locais mesmo estando com tudo nos conformes. Contratados da Sec. de Segurança já estão receebendo o abono é ele garantindo seus tais votinhos.

  2. Corre nas redes sociais uma gravação do programa do pretenso candidato do PMDB, Pedro Augusto, onde se discute o tema dos canos da CEDAE parados na Praia do Saco. Em tom crítico como se esta fosse uma mazela do atual governo. Não é. Estes canos de responsabilidade do governo do estado que é do PMDB, foram lá colocados em ato político promovido pelo ex-chefe do Poder executivo Evandro Capixaba, ato este em favor do governador eleito Pezão. Portanto em vez de criticar apresente soluções já que o radialista faz parte da “família” Picciani, junto com o responsável pela CEDAE, Sr.Wagner Victer. Começou mal na politicagem em Mangaratiba.

  3. COMEÇANDO Q ESSE CIDADÃO NEM DEVE CONHECER OS PROBLEMAS DE MANGARATIBA, COMO MUITOS OUTROS CANDIDATOS QUE ESTÃO CAINDO DE PARA QUEDAS EM NOSSO MUNICIPIO…..REDÍCULO!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s