22 de setembro de 2915

Frase do dia

Nós só temos o momento presente! Portanto não o deixe passar perdendo tempo com o passado. Valorize seu momento presente, pois ele é único e importante. É a partir dele que cria sua vida futura. (Sidarta Gautama, o Buda)

Segredo de justiça

De repente, entre sexta e segunda-feira, todas as informações relativas ao processo que envolve o ex-prefeito Capixaba e mais quarenta e três pessoas em julgamento na segunda câmara criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desapareceram do acompanhamento via internet. Segundo avaliação de um experiente advogado, é possível que tenha havido a determinação de “segredo de justiça” quanto ao processo, o que implica em só se disponibilizar informações a quem está diretamente interessado no assunto.

Jorge Negão

Ainda são muito contraditórias as informações sobre as circunstâncias da morte do caseiro do ex-prefeito Evandro Capixaba. Segundo pessoas que conversaram com o agente funerário do município, não haviam marcas de tortura em seu corpo, nem vestígios de quebra de ossos ou danos a órgãos internos. Seus amigos e  conhecidos aguardam e exigem uma rápida elucidação do caso.

No exercício da função

Manifestação do secretário de trânsito e ordem pública a respeito da atuação do poder público no último final de semana. “Em virtude dos fatos lamentáveis que ocorreram neste final de semana nas orlas marítimas do Rio de Janeiro, se o atual governo não tivesse tomado medidas para inibir a desordem pública, com certeza aqui também teria virado notícia. Temos sido incansáveis no combate ao som automotivo, só que os proprietários estão pensando que se eles estiverem parados com os vidros abertos e o som ligado, não serão multados, só que os mesmos daqui alguns dias vão receber umasurpresa em suas residências. Existem determinadas pessoas que ao fazer oposição e quando solicitada explicação da área operacional, onde se fala aos mesmos que todos os veículos estacionados irregularmente, estão sendo autuados como determina a lei, e que muitas das vezes para que o agente público não se exponha, determino que o mesmo vá descaracterizado, e que o mesmo não coloque o adesivo para que o infrator ao retornar o seu veículo, onde normalmente está alcoolizado, não desrespeite e nem venha agredir o agente. Ao dar essas explicações, já fui até chamado de mal educado, pois tenho conhecimento que fazer oposição é fácil, o Município tem que ter um depósito público, onde o caminhão reboque terá facilidade de se locomover nos Distritos super lotados e fazer o devido reboque do veículo, e que na Rio-Santos a mesma não estaria engarrafado, facilitando o seu ir e vir. Aí eu penso “como é fácil administrar o Município no computador e no telefone”. Neste final de semana, um dono de quiosque me procurou falando que o mesmo teria convidado um grupo que estaria vindo em um ônibus de excursão para o seu aniversário, eu falei para o mesmo que iria lhe dar um presente: uma multa, pois para o mesmo entrar no Município tem a obrigação de pagar uma taxa, e festa deve ser feita em sua residência e não no solo público. Desde já agradeço ao empenho de todos os funcionários e solicito a colaboração e compreensão de todos os Munícipes.” (Vitor de Carvalho Santos, secretário de ordem pública)

Será que acaba?

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou projeto que caracteriza o assédio moral como ato de improbidade administrativa. O condenado por esse crime pode perder o emprego e pagar multa de até 100 vezes o valor de seu salário. O projeto de lei altera a Lei da Improbidade Administrativa para tipificar a conduta de um superior que coaja moralmente um subordinado, por meio de atos que tenham o objetivo de atingir a sua dignidade ou de humilhá-lo, com abuso de autoridade. A lei atual inclui os atos contrários aos princípios da administração pública que violam os deveres da honestidade, da imparcialidade, da legalidade e da lealdade às instituições. O superior hierárquico que se vale de sua posição para atormentar a vida de seus subordinados viola de forma frontal e inegável a moralidade administrativa, argumenta a relatora. (Fonte: Senado Federal)

Menos médicos

O programa “Mais Médicos” do governo federal completa dois anos de funcionamento efetivo amanhã, enfrentando um aumento no número de desistências. Nos primeiros sete meses do ano, 337 médicos abandonaram o programa, segundo o Ministério da Saúde, média de 1,6 por dia. Desde que o programa foi lançado, em 2013, e em todo o ano passado, 361 médicos deixaram o programa. Os números não incluem a saída de 76 médicos cubanos em todo o período, o que eleva o total de evasão para 774 profissionais. Na semana passada, um casal de médicos cubanos abandonou o serviço em Agudos, região central do Estado de São Paulo. Alejandro Gonzales e Amarilis Prieto Carballosa trabalhavam havia um ano no programa de saúde da família da cidade, e tinham até trazido uma filha de 12 anos para o Brasil. No dia 8 de setembro eles não apareceram para trabalhar. Conhecidos do casal informaram que tinham viajado com a filha para os Estados Unidos. De acordo com amigos de Alejandro, ele teria reclamado das condições no Brasil, já que o acordo com Cuba não permite a vinda de filhos dos profissionais. (Fonte: Diário do poder)

Mais erros

O ex-ministro, ex-deputado e afiadíssimo economista Delfim Netto, 87 anos, 24 deles no Congresso, como deputado, desfia uma série de adjetivos demolidores contra o pacote fiscal do governo e é implacável com a presidente Dilma Rousseff: “Ela é simplesmente uma trapalhona”. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Delfim – que sempre manifestou simpatia pelos governos do PT – classificou o envio de um Orçamento com déficit ao Congresso como “a maior barbeiragem política e econômica da história recente do Brasil” e disse que o pacote é “uma fraude, um truque, uma decepção, não tem corte nenhum, é uma cobra que mordeu o rabo”. Quanto ao coração do plano: “A CPMF é um imposto cumulativo, regressivo, inflacionário, tem efeito negativo sobre o crescimento e quem paga é o pobre” (Fonte: Diário do poder)

Leilão Eleitoral

No período eleitoral acontece o mais estranho dos leilões. É o leilão dos votos. E a pergunta maior é: quanto vale o seu voto? Nos meses que antecedem as eleições começa a caça ao voto.Os pagamentos variam de R$300,00 a R$500,00 por mês. É claro que o contratado se obriga a dar o seu voto, o da família e quantos mais puder arranjar. É nessa ocasião que muitos líderes comunitários trocam os seus ideais por modestos pagamentos mensais. As pessoas mais pobres são as principais vítimas dessa armação. Devido ao seu estado de constante necessidade aceitam a proposta indecorosa e garantem assim parte do seu sustento e, infelizmente, quatro anos de mandato antipopular. E o pior de tudo é que, após as eleições, se alinham entre os descontentes para reclamar dos eleitos, como se não tivessem sido responsáveis por sua eleição. No dia das eleições, milhares de pessoas do povo, a maior parte líderes comunitários, cercam as sessões eleitorais, a certa distância, fazendo a boca de urna para candidatos que, após eleitos, irão ignorá-los por quatro anos. E isso por um pagamento que varia de R$50,00 a R$100,00. O preço do voto é assim avaliado e pago e as partes dão-se mútua e total quitação. E como fica a verdadeira política? Postergada para as próximas eleições. Afinal sempre resta a esperança de que, no futuro, os líderes comunitários e o povo em geral compreendam que não há preço para o voto, e que qualquer sacrifício vale a pena para a construção de uma sociedade mais ética e fraterna. Os bons candidatos, via de regra, não têm dinheiro para bancar esse tipo de campanha, e se tivessem, provavelmente, não entrariam no esquema. E assim, sem usar o poder econômico, são ignorados pelos eleitores e ficam sempre à margem do processo eleitoral. É claro que há bons candidatos e bons políticos. Para toda regra há exceção, graças a Deus. Mas ainda são poucos e por isso a sociedade passa por tantos problemas. Talvez, se nossos políticos não fossem tão bem remunerados, somente os idealistas se interessariam pela política. Mas ser político, no Brasil, é ambição mercantilista, e por esse motivo é um investimento para quem pode. Mais uma vez chega o momento do voto e é o eleitor quem decide. Queira Deus que seja uma decisão sábia e, sobretudo ética. (Pedro Lodi, no blog Boca no trombone)

Ninguém durma

A 19ª fase da Operação Lava Jato, denominada Nessun Dorma, faz referência a um trecho da ópera Turandot criada em 1926 pelo compositor italiano Giacomo Puccini. Em Nessun Dorma, a princesa Turandot determina que ninguém deve dormir: todos passariam a noite tentando descobrir o nome do príncipe desconhecido. O alvo do novo desdobramento da nova ação da Polícia Federal são pagamentos no exterior. O executivo José Antunes Sobrinho, um dos donos da Engevix, foi preso preventivamente em Santa Catarina. Ele é suspeito de ter pago propinas em cima de contratos da empreiteira com a Eletronuclear que somavam R$ 140 milhões, entre 2011 e 2013. Os valores teriam sido pagos para a Aratec, empresa controlada pelo ex-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro da Silva. José Antunes será levado para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. (Agência Estado)

Anúncios

Uma resposta em “22 de setembro de 2915

  1. Mais erros

    Como é que ainda dão ibope para este cidadão, que apoiou o AI5 e no seu tempo de ministro de fazenda e planejamento o país só andou para trás…Coisas do pt…Fala sério.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s