12 de abril de 2015

Frase do dia

Deve-se evitar toda precipitação e todo o preconceito ao se analisar um assunto e só ter por verdadeiro o que for claro e distinto. (René Descartes)

O poste

Antes do advento das redes sociais, em Mangaratiba as pessoas utilizavam uma engenhosa forma de divulgar boatos. Havia um poste no primeiro distrito onde “misteriosamente”, pela manhã, aparecia um papel colado contando as histórias mais escabrosas sobre alguma pessoa. Não se sabe se por simples curiosidade, ou por medo de ver o próprio nome citado em algum escândalo, o fato é que todo mundo acabava passando por lá para “dar uma olhadinha” no que estava escrito.

Jogo aberto

Em sessão realizada na Câmara Municipal de Itaguaí na manhã do último dia 08 em depoimento a Comissão Processante da Câmara que investiga contratos suspeitos na gestão Mota, o Secretário de Meio Ambiente Giovanni Kede disse que teve interferências em seu trabalho em relação à fiscalização a Tristars, empresa envolvida em denuncias de corrupção do governo do ex prefeito. Segundo Kede a ex secretária de Meio Ambiente, Ivana Couto Melo, interferia diretamente em seu trabalho e que a secretaria de trânsito e transportes da gestão anterior, que era a responsável pelo contrato da Tristars também impedia tal fiscalização. Por problemas de relação com a empresa, em especial pela troca de contrato que a Tristars mantinha com uma clínica de saúde de Itaguaí, por outra de Duque de Caxias, sem explicações, fez com que Kede se afastasse da pasta, retornando agora na gestão de Weslei Pereira. O secretário declarou que apesar de haver uma cooperativa de catadores responsável pela coleta de papelão e caixas de papel, a Tristars “concorria” com os trabalhadores ao realizar o mesmo serviço. Ainda disse que não conseguia saber sobre os valores oficiais repassados pela prefeitura à empresa na gestão Mota, pois só “faltava ser enxotado” da procuradoria da prefeitura liderada por Edna Ferreira na época. (Fonte: Boca no Trombone)

Nevoeiro

Os números gerais da pesquisa Datafolha divulgada neste sábado revelam pessimismo dos entrevistados em relação à economia, o que sinaliza uma longa temporada de baixa popularidade para a presidente Dilma Rousseff. Um longo inverno político se avizinha. A pesquisa mostrou que o índice de aprovação do governo se estabilizou, mas ainda continua num nível muito baixo. Para 63%, Dilma deveria sofrer um processo de impeachment. E 75% são a favor das manifestações contra o governo. Mas, o grande apoio a um processo de impedimento da presidente esbarra na falta de provas para levar adiante essa iniciativa. Hoje, 64% avaliam que a presidente não vai ser afastada, diz o Datafolha. O governo espera que os protestos deste domingo sejam mais fracos do que os de 15 de março, porque há uma menor mobilização nas redes sociais contra a presidente. Mas o Datafolha mostra que a insatisfação dos eleitores continua alta. Logo, é prudente aguardar o número de pessoas nas ruas neste domingo para avaliar melhor os efeitos políticos. (Kennedy Alencar – rádio CBN)

Leituras de domingo

Não faz muito tempo a humanidade deparou-se com dois vídeos, ambos divulgados pelo planeta afora e merecedores de uma ampla e muito profunda reflexão. O primeiro deles veio da China. Mostra uma indefesa criança de apenas dois anos de idade, andando bem no meio de uma passagem bastante movimentada. O nome desta semelhante nossa: Yueyue. Eis que surge uma van branca, conduzida por um motorista que simplesmente não teria como não ver a criança exatamente no meio da passagem, trajando uma vistosa calça vermelha. Apesar disso, seguiu-se um atropelamento. A roda dianteira direita do veículo passa sobre o frágil corpo de Yueyue. O motorista interrompe a marcha. Seria para saltar e ver o que havia pelo caminho? Não: foi apenas para tomar impulso a fim de que a roda traseira direita do veículo passasse com mais facilidade sobre a menina, que ficou largada no chão se esvaindo em sangue. Porém, o mais chocante viria em seguida. Um ser humano passou andando a não mais do que 15 cm do corpo da infeliz criança, e sequer diminuiu o passo. Segue-se outro em uma bicicleta, que viu Yueyue caída no chão, desviou-se dela e da poça de sangue que se formava e foi embora sem sequer olhar. Aí aparece um pequeno caminhão e atropela novamente a indefesa criança. Atropela e vai embora. Em seguida passam dois veículos de entrega ao lado do corpo estendido no chão. Sequer reduzem a marcha. Segue-se em terceiro. Uma outra motocicleta. Um outro pedestre. E mais duas motocicletas. E outros dois pedestres. E continua ali, no asfalto, sangrando, uma criança – o futuro da nossa raça. Eis que aparece, então, no meio de tantas pessoas ocupadas demais com seus afazeres diários, uma miserável catadora de lixo. Parece incrível, mas foi a única pessoa que preocupou-se em retirar a criança do meio de uma movimentada rua. E só então alguns conhecidos apareceram para prestar socorro. O segundo vídeo veio do outro lado do mundo, lá do Chile. Foi feito pela câmera de segurança de uma das mais movimentadas rodovias daquele país, a Costanera. Trata-se de uma via de três faixas para cada mão, pela qual os veículos passam em velocidades próximas de 100 km/h. E eis que um infeliz cachorro é atropelado por um caminhão e fica lá, ferido, entre a primeira e a segunda faixa da rodovia. Outros carros e caminhões continuam passando a centímetros dele, sempre em alta velocidade. O que se viu em seguida foi emocionante: um segundo cachorro aparece, e vai para o meio da estrada. Fica junto do seu semelhante. E começa, da forma mais surpreendente possível, uma tocante operação de resgate. Este segundo cachorro começou a puxar o primeiro para o acostamento, antes que um novo atropelamento acontecesse. Tocou-me o coração ver que ele não fez isso com os dentes, ou de forma brusca. Não. Com as patas dianteiras, milímetro a milímetro, foi arrastando seu semelhante até a beira da estrada. Não mostrou, em um momento sequer, medo diante do risco de vida que corria – a indomável vontade de salvar seu semelhante foi maior até mesmo que o instinto de sobrevivência. O final deste episódio foi feliz: o cachorro acidentado, atendido em seguida por uma equipe de resgate, sobreviveu. Enquanto isso, lá na China, Yueyue teve morte cerebral. Faleceu. Que coincidência, estes dois vídeos terem surgido para o mundo ao longo de uma mesma semana! Mas terá sido mesmo coincidência? Segundo Nelson Rodrigues, “Deus está nas coincidências”. Que tal meditarmos sobre isso?”(Pedro Valls Feu Rosa – Desembargador)

Anúncios

2 respostas em “12 de abril de 2015

  1. Preso por vender pastel de carne de cachorro afirma que prática é comum no Rio de Janeiro
    São dezenas de estabelecimentos envolvidos.

    Fabio Chaves
    Do Vista-seTweet

    Uma investigação do Ministério Público do Trabalho (MPT) descobriu uma lanchonete em Parada de Lucas, na Zona Norte do Rio, que vendia pastéis e outros salgados recheados com carne de cachorro. Os animais eram mortos nos fundos do estabelecimento a pauladas, desmembrados e congelados para uso posterior.

    O dono da lanchonete, um chinês, já está preso e cumprindo pena no Complexo do Gericinó. Em um primeiro momento, ele chegou a dizer que não sabia que o abate de cachorros era proibido no Brasil. Depois, confessou que tinha ciência de que era um crime. A investigação do MPT teve início em 2013, quando a lanchonete foi descoberta, mas só agora as informações foram divulgadas à imprensa. Ele disse também que recolhia os animais nas ruas da Zona Norte.

    Para tentar justificar a prática de colocar carne de cachorro nos salgados comercializados em sua lanchonete, o chinês alegou que a prática é muito comum em lanchonetes que pertencem à chineses em toda a capital fluminense.

    A ação do MPT tinha o objetivo de averiguar denúncias de trabalho escravo envolvendo jovens chineses. De fato, os investigadores constataram que vários estabelecimentos mantinham pessoas em regime de escravidão. Os jovens eram aliciados na China com promessa de salário de R$ 2.000,00 por mês com moradia e alimentação por conta do empregador. Ao desembarcar no Rio de Janeiro, recebiam a notícia de que teriam que trabalhar sem receber nada por pelo menos três anos para pagar as despesas da viagem. Alguns deles trabalhavam das 5h30 às 23 horas e ainda recebiam agressões físicas e tinham queimaduras de cigarro pelo corpo.

    Encontrar o esquema de abate de cães e ver o estado das vítimas que eram feitas de escravas chocou a equipe de fiscalização. A procuradora Guadalupe Louro Couto chegou a comparar a situação às que ela encontrou em investigações realizadas em fazendas de gado no Mato Grosso.

    “Já vi muita coisa ruim, principalmente em trabalhos que realizei em fazendas do Mato Grosso. Mas o que encontrei naquela pastelaria foi o pior de tudo. Para começar, havia uma cela, como se fosse uma cadeia, com grades e cadeado, montada dentro da lanchonete, onde o trabalhador ficava encarcerado. Além disso, ele convivia com o cheiro dos cachorros mortos, que ficavam ao lado dele. Eu não aguentei. Quando senti o cheiro, comecei a passar mal e pedi para sair do estabelecimento. Ao abrimos as caixas de isopor, vimos os cachorros congelados. Ficamos perplexos. Foram vários os crimes cometidos ali.” – lamentou a procuradora.

    R7.com

  2. Leituras de domingo.
    Comovente.
    Muito.Teria ela sido colocada lá pela política do filho único?
    Regimes totalitários !
    Comove e assusta ver a cleptocracia oficial ROUBANDO verbas da saúde.Muito.
    Passe mal e vá num HMVSBs destes e fique horas esperando atendimento.
    Mesmo com plano de saúde , o primeiro, e vital atendimento é aqui.
    Burros.
    A propósito.
    “Vem prá Caixa você também”
    PS::Tô até com remorsos(pero no mucho)pela alegria com a prisão do,como dizer,ANDRÉ VARGAS.Que a cana lhe seja leve,ou não!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s