24 de fevereiro de 2015

Frase do dia

A força da verdade é de tal ordem que, leve o tempo que levar, um dia ela explode. (Emile Zola)

Dia D

Nesta terça-feira a câmara municipal de Mangaratiba retoma seus trabalhos após quase dois meses de recesso. Os nobres Edis, que praticamente desapareceram nos últimos cinquenta dias, terão de enfrentar inúmeras questõese, por força das circunstâncias, com plenário cheio. Como publicado ontem, existem dois pedidos de abertura de Comissão Processante contra o prefeito Capixaba, além das inúmeras queixas e reclamações a respeito da anomia do poder público durante o carnaval. Nas redes sociais, o que mais se questiona é a respeito da posição que cada vereador, individualmente, tomará com relação a esses fatos.

Prova de fogo

O vereador Vitor Tenório, que assumiu a presidência da câmara na atual legislatura, terá sua “prova de fogo” já no primeiro dia de sessão aberta. Não se pode antecipar qual será seu posicionamento. Todavia, considerando os “diz-que-diz” que correm nos bastidores a respeito  das articulações que resultaram em sua eleição, ele certamente estará “entre o fogo e a frigideira”. Se for para um lado, se queimará. Se for para o outro, se queimará. Sua única saída será tentar ser isento e seguir o regimento interno de forma clara e inequívoca.

A expectativa

 A principal pergunta que circulou nas ruas e esquinas do município no dia de ontem era: “Queremos saber quais vereadores estarã do lado do povo e quais estarão em conluio com esses escândalos de corrupção. O povo precisa saber e ver quem merece continuar recebendo seus votos e quem precisa ser expurgador da política da cidade.”

Tiro no pé?

De acordo com um político local, já existe a confirmação de que a imprensa estará na cidade e com as câmeras ligadas para acompanhar os desdobramentos desta sessão. De outra parte, comentários na praça de Mangaratiba, afirmam que não haverá quorum, pois os vereadores que apoiam o governo estariam combinando faltar.

Relembrando

Na semana em que Mangaratiba parou para assistir ao Fantástico com as denúncias de desvio de verba pública, dois pedidos de impeachment foram protocolados na câmara do vereadores da cidade. Um pelo ex-vereador e ex-secretário de serviços públicos Marquinho da Ilha, e o outro pelo ex-subsecretário Iataanderson Bastos Brum e devem ser analisados no próximo dia 24, quando nossos nobres vereadores retornam do recesso. O quadro do Fantástico “Cadê o dinheiro que tava aqui” mostrou o quanto os políticos de nossa cidade tem usado o dinheiro público de maneira arbitrária e criminosa. Por várias vezes o apresentador usou a palavra “quadrilha” para se referir à atual crise moral e política que nossa cidade vive, onde, segundo o promotor Alexandre Véras Vieira, “essa quadrilha usa o dinheiro público única e exclusivamente para se locupletar”. Marquinho da Ilha baseou seu pedido nas entregas dos sacos de lixo que jamais chegaram em nossa cidade. Uma empresária, que segundo o MP participou do esquema, falou ao Fantástico sobre os sacos, tentou se esquivar de suas responsabilidades dizendo que apenas emprestou seu nome para a empresa que fornecia o material, mas que quando descobriu porque a empresa realmente existia pediu para que seu nome fosse tirado do esquema que em apenas dois anos subtraiu dos cofres públicos a importância de quase 2 milhões de reais, apenas nos anos de 2011 e 2012. O segundo pedido, feito pelo ex-subsecretário Anderson Careca, teve como base o contrato firmado com a MC Engenharia que, em 2012, quase levou o prefeito ao Impeachment, mas que naquela época, por falta de provas e em função do pouco tempo de investigação, foi recusado pela maioria da câmara. Os atuais Vereadores terão a chance de se retratar com a população, já que os antigos foram criticados por muitos, por não terem afastado o prefeito na época. Ainda em Outubro passado o Desembargador de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Celso Perez tornou indisponível os bens do prefeito Evandro Capixaba, do seu cunhado Humberto Vaz e dos sócios da Mc Engenharia, para que eventualmente devolvam-se aos cofres públicos em torno de 1,8 milhão de reais. Se a maioria simples dos presentes votar a favor, será instaurada uma Comissão Processante composta por três vereadores escolhidos por sorteio e que terão a missão de investigar as denúncias e, por fim, propor ou não o afastamento do prefeito Evandro Capixaba. (Fonte: Rota Verde notícias – editado)

Logo ali

Agentes da polícia federal estiveram na Câmara Municipal de Itaguaí ontem, por volta das três horas da tarde, para recolher alguns documentos e notificar a vereadora Mirian Pacheco para depor na Polícia Federal em Nova Iguaçu na próxima quinta-feira. Os agentes ficaram na casa legislativa por apenas 20 minutos, tempo suficiente para levar tal documento. Após o depoimento de Mizarete Barbosa da Silva à Polícia Federal, onde a ex- assessora relatou que a parlamentar ficava com boa parte dos ganhos de seus assessores referentes a vencimentos de janeiro de 2013 a abril de 2014, a PF está buscando apurar todo o episódio. A vereadora pode ser também uma dos treze vereadores com possíveis cargos fantasmas conforme relatados pela PF na Operação Gafanhotos , que teve sua segunda parte executada em dezembro do ano passado e que ainda está em pleno vigor. A Operação Gafanhotos esta ouvindo várias testemunhas e Mirian Pacheco pode já ser indiciada na próxima quinta -feira, caso se comprove o envolvimento dela em possíveis esquemas de desvios de verbas e cargos fantasmas. Aos poucos a polícia vai montando o quebra cabeça e ainda muitos políticos serão intimados a depor. (Fonte: Boca no trombone)

Logo ali II

A câmara municipal de Itaguaí também realizará sua primeira sessão de 2015 com o assunto “impeachment” na pauta. Lá, entretanto, o presidente Nisan César já designou uma comissão processante para investigar os problemas da administração Luciano Mota.

Anúncios

3 respostas em “24 de fevereiro de 2015

  1. Leila..
    Muito complicado sua colocação…O leitor de seu blog fez uma pergunta bem interessante…Nao sou especialista no assunto, mais de certo modo as pesoas ficariam impedidas de fazer parte de qq ofício que gere investigação…Estou vizualizando pelo bom senso, como o sobrinho vai, juntamente com todos os outros vao investigar aquele q de certa forma os deu a iportunifade de assumirem a vereança…Sempre foi muito exdruxulo um sobrinho, vereador ter a funçao de fiscaluzar o Tio….Sao coiss q nao se ajeitam..Ficam sempre as sombras!!….Agora afirmar se é cabível ou nao…Depois de tudo q eata acontecendo fica impossivel de prever os acontecimentos…..Acho q tudo pode terminar em nada…ou a justiça ser feita e tdr uma grande mudança….Mais essa questao eu nao cheguei ao resultado final…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s