8 de novembro de 2014

Frase do dia

Nada na vida deve ser temido, somente compreendido. Agora é hora de compreender mais para temer menos. (Marie Curie)

Problemas de gestão?

Ontem a prefeitura de Mangaratiba divulgou “nota de esclarecimento” comunicando à população os motivos do cancelamento da programação de shows por conta da passagem do aniversário do município. Assim diz a nota: “Em virtude da grave situação financeira do país, e consequentemente, do município de Mangaratiba, os shows que seriam realizados no dia 10 de novembro, em comemoração ao aniversário da cidade, foram cancelados. Infelizmente, essa foi uma das medidas necessárias para que a prefeitura possa honrar seus compromissos financeiros com os seus funcionários, que são seu maior patrimônio, além de oferecer e investir em serviços de qualidade para toda a população.”

Alhos com bugalhos

É, no mínimo, esquisito misturar laranjas com quiabos. Sobre qual “grave situação financeira do país” eles se referem? A situação de Mangaratiba piorou tanto assim que há pouco tempo pretendiam trazer shows de nomes como Michel Teló, Luan Santana ou Preta Gil e agora não podem nem contratar bandas locais ou da região? Mais ainda, será que o “honrar os compromissos financeiros com seus funcionários” significa pagar imediatamente os direitos trabalhistas dos que foram e estão sendo demitidos? Ou eles ficarão à espera de receber os “resíduos”?

Descontinuidade

Na sessão da câmara municipal da última quinta-feira a senhora Regina Correa da Silva Valadão entregou ao Vereador José Luiz do Posto uma carta relatando o que aconteceu na fábrica de doces de banana. A referida fábrica foi aberta com verba federal do PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) e tinha como objetivo a criação de uma fábrica de bananas através da agroindústria. De acordo com a ex-coordenadora ela relata o seguinte: “torno de seu conhecimento os prejuízos causados aos agricultores de nosso município no momento em que essa administração, com sua natural incompetência, fecharam as portas da agroindústria, representadas pela fábrica de doces de banana, o que inviabilizou a venda da produção de frutas para aquele setor que havia sido criado pelo PRONAF, especialmente voltado para a inclusão da sua produção na merenda escolar, e que obrigou que os agricultores do nosso município destinasse a venda principalmente da banana aos atravessadores que as adquire a preços irrisórios.”. Tais atitudes prejudicou totalmente o grupo de doceiras, oriundas das famílias dos agricultores impossibilitando seus trabalhos, prejudicando o sustento dessas famílias. Em outra parte da carta ela relata: “Soma-se a paralisação total de projetos que estavam sendo por mim desenvolvidas como a produção de farinha de banana que era distribuída gratuitamente as pessoas portadores de diabetes, colesterol, glicose, calcificação para os ossos, desnutrição infantil e várias outras doenças degenerativas, onde obtive resultados surpreendentes. Também foram paralisados os cursos de artesanatos rural e culinária voltados para a geração de renda dessas famílias em virtude da perda do espaço ali existente como do seu maquinário agregado.” O grupo de doceiras clama pelo retorno de suas atividades, já que o descaso da administração municipal obstrui e inviabiliza qualquer projeto ou intenção. Devido à descrença da municipalidade buscaram apoio na Câmara Municipal onde o Vereador José Luiz de imediato levou o caso ao seu tema livre e solicitou que os demais colegas se unam a essa causa e apoiem a agroindústria com as devidas trabalhadoras. Em sua fala o vereador teme uma crise generalizada, uma vez que, a desordem instalada só está demitindo e fechando portas e isso pode refletir duramente no comércio local. (Fonte: Portal Mangaratiba)

A propósito

Assim se manifesta uma conselheira do Conselho de Alimentação Escolar: “Sou conselheira do CAE. Engraçado, que em nossa última reunião (30/10), questionei justamente isso, sobre a fábrica de banana. É que em alguns cardápios deste ano, constava a banana passa lá da fábrica. A resposta que uma das Nutricionistas me deu foi que não conseguiram colocar, pois a moça que fazia havia desistido de atuar na fábrica. Também não conseguiram a documentação correta. Estranho!” (Elizabeth Antunes)

É bom lembrar

O projeto da fábrica de doces de bananas, sendo financiado pelo Pronaf, programa do governo federal, está sujeito à fiscalização especial e, se houver indício de irregularidade, de intervenção da Polícia Federal. Há denúncias, em vários lugares do Brasil, revelando que esse programa de incentivo à agricultura familiar, andou sendo desviado para uso em campanhas eleitorais.

Imagem da semana

A imagem mais admirada e compartilhada nas redes sociais dessa primeira semana de novembro foi a do ipê amarelo no largo do sapo, na entrada de Itacuruçá. Um morador chegou a sugerir a plantação de vários exemplares no distrito.Ipê do sapo

Anúncios

3 respostas em “8 de novembro de 2014

  1. Lauro

    Quando fui coordenador do horto municipal existiam dezenas de mudas de ipês a disposição da população, fica a dica para quem quiser procurar o horto pra retirada.

  2. 25 anos da queda do muro de Berlim , que impedia a invasão do paraíso comunista pelos capitalistas selvagens,
    Hoje eles tentam entrar em Cuba,mas os tubarões e os Castros impedem.
    Que bom.Senão seria uma multidão querendo usufruir da caribenha delícia.

  3. Professor, estou tomando conhecimento da “denúncia” em relação a Fabrica de Doces por intermédio da sua página. Importante esclarecer que na fabrica foi há alguns anos instituída uma Associação de Agricultores que formam a Agroindustria.
    A denunciante, Sra. Regina, que por alguns anos foi designada para coordenar a Fabrica, realizava por conta própria a fabricação de derivados da banana no local, sem realizar a devida prestação de contas ou satisfação à Agroindustria, aos agricultores locais ou a municipalidade.
    Ao assumir a pasta da agricultura ano passado, e observar que o local não atendia às normas mínimas para funcionamento de uma “fabrica”, e que não existiam agricultores (legalmente constituídos) atuando na suposta “fabricação” foi imediatamente suspensa a atividade até então realizada por esta Senhora, seguindo da devida reforma do local.
    Após reforma, a fabrica foi retomada aos agricultores (Agroindustria), sendo a Sra. Regina (que NÃO é agricultora!) exonerada por não haver qualquer demonstração da mesma em atuar como servidora do município e não como “doceira autônoma”.
    A Secretaria de Meio Ambiente, esta instaurando sindicância solicitando informações junto aos agricultores e funcionários da época para apurar e responsabilizar a ex servidora (ora denunciante) não só pelos anos sem prestar contas, mas também pela utilização indevida e oportunista da classe agrícola, fazendo-se valer da fragilidade dos nossos agricultores que na maioria das vezes não tomam ciência das “alegações (ou melhor, absurdos)” jogadas de forma irresponsável nas redes sociais.
    Importante mencionar que a banana passa que foi retirada do nosso programa de agricultura familiar deste ano para merenda escolar, se deu pela desistência de uma das Agricultoras (Agricultora do Batatal) que, com idade avançada, alegou não ter condições de cumprir com a quantidade proposta no projeto, solicitando o cancelamento do contrato, não havendo qualquer relação com a retirada da ex servidora Regina do local.
    Fato que atualmente a sede da Agroindustria, que possui como Presidente, eleito pelos membros, o Sr. Santos (produtor de mel) esta sendo utilizada, após reforma, como base para o programa de merenda escolar, além de ser local de beneficiamento/triagem dos produtos, união, capacitação e reuniões da entidade.
    Quem chegar cedinho frente à nossas escolas municipais (toda segunda-feira) vai ver o carro da nossa Agricultura entregando mercadorias da agricultura familiar (trabalho de muito esforço e união dos Agricultores de Mangaratiba).
    Como cidadã de Mangaratiba fico feliz em ver como algumas atitudes transformam vidas, e é gratificante de ver como alguns agricultores ampliaram a produção e contagiaram outros que já estão trabalhando e se preparando para o programa de 2015.
    Ressalto que tais considerações serão tratadas na próxima reunião da Agroindústria na qual gostaria que seu blog (e demais que noticiaram alegações dessa senhora) participassem da reunião para que a Agroindústria (agricultores) tenha o direito de resposta, sendo certo que tudo será enviado à Câmara Municipal oficialmente.
    Estou a inteira disposição para qualquer esclarecimento,

    Att;
    Natacha

    DESABAFO PESSOAL: È gritante como pessoas desonrosas, aproveitam-se dos momentos e/ou manifestações politicas, para contorcer fatos e criar desordem, tão e somente para quem sabe garantir um lugarzinho na próxima gestão. É muito triste como “cargos políticos” são utilizados de forma errônea na administração publica por esse tipo de gente desqualificada que utiliza do “poder de infernizar e fazer escândalos” como mecanismo de garantir emprego publico. Desculpe o desabafo, mas é revoltante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s