10 de outubro de 2014

Frase do dia

Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. Tudo passa, tudo sempre passará. (Como uma onda – Lulu Santos)

Guerra declarada

Circula no município, e pode ser encontrada em padarias, bares e mercados a edição de número 10 do jornal Notícias Rota Verde.  A publicação trás como principal matéria uma entrevista com o vice prefeito Dr. Rui Quintanilha que fala, abertamente, sobre os motivos do seu rompimento com o prefeito, os acordos políticos descumpridos e a questão da deterioração da saúde em Mangaratiba. Dedica também duas páginas ao ex-vereador Marquinho da Ilha sobre as causas de sua saída, a pedido, do cargo de secretário que ocupava no atual governo.

Barbas de molho

A Polícia Federal deflagrou, na última quarta-feira, a Operação Athenas, para apurar atuação criminosa de um grupo de vereadores da cidade de Naviraí. O grupo mantinha um esquema ilegal de exigência de vantagens indevidas para a aprovação de leis e atuações ilegais de expedição de alvarás para estabelecimentos comerciais. As investigações, iniciadas no ano passado, apuraram crimes de formação de quadrilha, corrupção, extorsão, contra o poder Executivo, praticados em prejuízo aos cofres públicos da cidade. Constatou-se ainda durante as investigações um esquema ilegal de recebimento de diárias pagas pelos cofres públicos para viagens que não eram realizadas por servidores públicos municipais

Nervos expostos

Em depoimento prestado na quarta-feira à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga denúncias de irregularidades na Petrobras, a contadora Meire Poza disse que sua empresa emitiu R$ 7 milhões em notas frias para as empresas do doleiro Alberto Youssef, para quem trabalhava. Disse também que deu dinheiro para Enivaldo Quadrado pagar a multa imposta pelo Supremo Tribunal Federal ao condenado na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Em outro momento, Meire Poza admitiu que recebia 7% de comissão sobre as notas frias e que a porcentagem era dividida em partes iguais com Enivaldo Quadrado. Ele foi condenado por lavagem de dinheiro no julgamento do mensalão, e teve de pagar multa de R$ 28,6 mil. Ela garantiu que nunca entregou dinheiro na mão de políticos, mas fez pagamentos para parentes de alguns, como do deputado Luiz Argôlo. O deputado André Vargas e o também deputado e ex-ministro das Cidades Mário Negromonte se beneficiaram do esquema de lavagem de dinheiro. Os dois respondem a processo no Conselho de Ética da Câmara.

Nervos expostos II

Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, prestou seu primeiro depoimento à Justiça depois do acordo de delação premiada. Ele sabe que, caso comece a dizer sandices e invencionices, o pacto é desfeito, e ele arca não só com o peso inicial dos delitos cometidos como com sanções novas. Assim, deve-se, quando menos, prestar atenção ao que diz. Paulo Roberto afirmou com todas as letras que o esquema corrupto que ele operava na Petrobras para políticos recebia 3% do valor líquido dos contratos com a estatal. A fonte principal da corrupção é a refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Ela foi orçada em US% 2,5 bilhões e já está em US$ 19 bilhões e ainda não começou a funcionar. O dinheiro era dividido entre ele próprio e três partidos: PT, PMDB e PP. Segundo a PF, a quadrilha chegou a movimentar dez bilhões de reais na estatal.Teriam atuado no esquema Sérgio Machado, presidente da Transpetro, de quem Paulo Roberto admite ter levado uma propina de R$ 500 mil, Nestor Cerveró, Jorge Zelada e o petista Renato Duque, todos ex-diretores da estatal. Mas não só. José Eduardo Dutra, atual diretor Corporativo e de Serviços, também seria ligado ao grupo. Dutra foi um dos coordenadores da campanha de Dilma Rousseff à Presidência em 2010. Pertencia ao trio que Dilma apelidou de “Os Três Porquinhos”. Os outros “porquinhos” eram José Eduardo Cardozo, atual ministro da Justiça, e Antonio Palocci, que, segundo Paulo Roberto, pediu R$ 2 milhões ao esquema em 2010 para pagar contas da campanha de Dilma.

Arranjos & acordos

A maioria da Executiva Nacional do PSB decidiu apoiar o candidato Aécio Neves no segundo turno da disputa presidencial. Por outro lado, ficarão liberadas as alianças nos estados em que há segundo turno para governador. Após a decisão, o tucano participou do anúncio do PSB de apoio à sua candidatura. Em homenagem a Eduardo Campos, ele terminou discurso repetindo a frase: “Nós não vamos desistir do Brasil”. Ainda na quarta-feira, o tucano recebeu  o apoio, do Pastor Everaldo e de Eduardo Jorge. Derrotados no primeiro turno, os dois somaram 1,4 milhão de votos. A Executiva do PSB é composta por 35 socialistas, mas, além da ausência do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, falecido em acidente aéreo em agosto, e do escritor Ariano Suassuna, que morreu pouco antes de Eduardo, três integrantes do colegiado não compareceram à reunião. Não compareceram: o governador do Amapá, Camilo Capiberibe, o ex-governador do Piauí, Wilson Martins e o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, que defendiam que o PSB apoiasse a presidente Dilma Rousseff neste segundo turno.

Preocupante

Pode ser apenas guerra de guerrilha política, entretanto, quem divulgou a notícia a seguir assegura que esse plano está registrado no TSE. “Consta do Plano de Governo de Dilma Rousseff, registrado hoje,no TSE, uma meta que, na prática, acaba com a propriedade urbana ou rural. O dono do imóvel não poderá pedir reintegração de posse, caso ela seja invadida. Pelo Plano de Governo de Dilma Rousseff o proprietário terá que enfrentar uma audiência pública, da qual participarão os movimentos sociais para analisar os “direitos humanos” envolvidos. O juiz ficará sujeito à decisão dessa audiência. É fácil imaginar como crescerão o número de invasões e a desordem no campo e nas cidades! Por exemplo: se você tem um apartamento e ele estiver desocupado, pois está em processo de aluguel, e o mesmo sendo invadido você não terá mais direito a ele, se os “movimentos sociais” assim decidirem. É o fim da propriedade privada no Brasil e a coletivização do país.”

Anúncios

6 respostas em “10 de outubro de 2014

  1. “Vai passar
    Nessa avenida um samba popular…
    Dormia
    A nossa pátria mãe tão distraída
    Sem perceber que era subtraída
    Em tenebrosas transações….
    Ai, que vida boa, olerê
    Ai, que vida boa, olará
    O estandarte do sanatório geral
    Vai passar…”
    Chico Buarque.
    Depois de tantos anos.
    Cruel ironia!

  2. Preocupante

    Professor, isto faz parte do famigerado decreto bolivariano, que o congresso disse que derrubaria e até agora nada.

  3. Nervos expostos II

    Abaixo um trecho do depoimento do Alberto Yuossef:

    “Toda empresa maior já sabia que qualquer obra que fosse fazer na área de Abastecimento da Petrobrás ela tinha que pagar o pedágio de 1%”, afirmou. A diretoria foi ocupada de 2004 a 2012 por Costa, por indicação do PP.
    “Vou explicar para a vossa excelência. O contrato é um só, uma obra da Camargo Corrêa, R$ 3.400.000.000,00, tá certo? R$ 34 milhões ela tinha que pagar por aquela obra para o PP. Eu era responsável por essa parte. A outra parte eu não era responsável. Ele tinha que pagar mais 1% ou 2% como Paulo Roberto está dizendo, para outro operador, que no caso era João Vaccari, assim diziam”, explicou o doleiro que faz a confissão para tentar uma redução de pena.
    Segundo ele, na diretoria de Engenharia e Serviço também havia o esquema, mas que esse era operacionalizado por João Vaccari Neto, tesoureiro do PT. “Se a Engenharia cobra mais que 1% para mim é uma novidade, para mim eles também cobravam 1% e não 2%. Se o doutor Paulo Roberto está dizendo que cobram 2%, ele deve saber mais que eu”.
    Todos contratos direcionados para uma lista de 13 grandes empreiteiras que agiam em cartel, segundo Youssef, combinando os processos licitatórios entre elas, por ordem dos políticos e diretores da estatal. “Ela não fazia a obra se ela não pagasse. Era coloca isso para a empresa”. Ele citou os nomes das empresas e quem eram os contatos com quem ele se reunia para acertar os pagamentos de propina.

    • Mudando um pouco do assunto Petrobrás, faço um comentário sobre o tão
      sonhado abastecimento de água na Praia do Saco e arredores. A propósi-
      to, os canos, aqueles que foram levados em carretas num desfile monu-
      mental pelas ruas da cidade, até hoje encontram-se no mesmo lugar. Tre-
      vo da Praia do Saco na Rio Santos. Será que os mesmos foram também
      usados na campanha dos candidatos do prefeito e que tiveram uma mar-
      gem de votos abaixo do esperado pelo governo municipal? Aqui na terrinha
      os candidatos indicados por essas tralhas que aí estão entraram foi pelo
      cano e posso garantir que se o Pezão perder para o Crivela os tais canos
      voltarão para o lugar de origem e a população local é que será penalizada
      com constantes falta d’água em suas torneiras. Vale lembrar que hoje, dia
      10 de outubro, primavera, véspera de um fim de semana típico de verão o
      abastecimento de água já entrou em colapso.

      • Evidente que sim! Uma ação de propaganda do governo Pezão e que beneficia toda a turma que aí está como se fosse uma conquista de Mangaratiba. A Cedae anunciou que trocaria 600 km de tubulação em todo o estado … nisso entram os 6 Km de Mangaratiba. e que tenho minhas dúvidas que irão mesmo ser trocadas…. talvez tenhamos mais entulho por aqui….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s