14 de setembro de 2014

Frase do dia

Desejo a vocês: namoro no portão, domingo sem chuva, segunda sem mau humor, sábado com seu amor. Chope com os amigos, viver sem inimigos, filme na TV. Ter uma pessoa especial e que ela goste de você. (Carlos Drummond de Andrade)

Guerrilha eleitoral

Comentário de um observador da campanha política: “A presidente Dilma Rousseff usou o horário eleitoral para insinuar que, se eleita, Marina Silva entregará aos bancos o poder de decisão sobre a vida dos brasileiros. Isso é falso. Dilma distorce as propostas de Marina para amedrontar a população e obter assim ganhos eleitorais. Um Banco Central independente significa que nenhum partido ou político vai usar o sistema bancário para se beneficiar. No governo Marina, o Banco Central estará a serviço do povo e não dos interesses do partido que está no poder. Engraçado é ver Dilma, agora, criticando os bancos. Logo ela, que tem sido tão boa para eles.”

Guerrilha eleitoral II

O tema da independência do Banco Central entrou na pauta das eleições de 2014. É fundamental esclarecer alguns argumentos a favor de tal tese, de modo a que o debate assuma um mínimo de racionalidade. A sociedade brasileira não se dá conta da transcendental importância da autonomia do Banco Central. Cogita-se, normalmente, que esse órgão é parte do Poder Executivo. E, portanto, está subordinado ao arbítrio representado pela capacidade do governo de nomear e demitir dirigentes, tanto como em qualquer outra estatal. Inexiste raciocínio mais indigente. O equilíbrio do Estado moderno foi delineado por Montesquieu, no “Espírito das Leis”, obra magna publicada em 1748. Nela está definida a independência dos poderes estatais: Legislativo, Executivo e Judiciário. À época, as preocupações dos iluministas diziam respeito ao direito, às leis, guerras, religiões, formas de governo e liberdade. A economia não fazia parte dessas cogitações, a política dominava o cenário. E a emissão de moeda, considerada prerrogativa do soberano, relegada a plano secundário.

Um pouco de história

O Banco Central do Brasil nasceu independente em 1964, com seus diretores ostentando mandatos fixos. Em pleno regime autoritário, três anos depois, em 1967, o presidente Costa e Silva exterminou aquela autonomia. A partir de então, o Banco Central foi submetido à total subordinação ao Poder Executivo, representado pelo ministro da Fazenda que indicava seus presidentes. A emissão de moeda passou a ser controlada pela área gastadora do Estado, o Governo Federal. O fim da independência foi causa determinante das tristes quadras inflacionárias de 1970 e 1980, denominadas décadas perdidas. Compreendendo a importância de autonomia da autoridade monetária Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva mantiveram essas linhas mestras, permanecendo o Banco Central infenso a questiúnculas políticas e distribuição fisiológica de poder. Os resultados daqueles anos foram extremamente positivos e animadores. Já no mandato de Dilma Rousseff o Banco Central retornou a uma indisfarçável subordinação ao Poder Executivo e a inflação voltou a exibir suas garras. (Publicado originalmente no Instituto Liberal)

Turismo com proveito

A Prefeitura de Angra dos Reis realizará, de 11 a 31 de outubro, o primeiro Festival da Sardinha na cidade, por meio de uma parceria entre a Fundação Municipal de Turismo e a Câmara de Dirigentes Lojistas, com apoio da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes. Para participar, donos de bares e restaurantes têm até a próxima quarta-feira, dia 17, para se inscreverem e indicarem que prato ou petisco pretendem oferecer aos clientes. Hoje, Angra dos Reis é responsável por 44% da produção nacional de sardinha. O Festival da Sardinha de Angra reunirá os bares e restaurantes participantes num circuito onde cada um vai oferecer uma receita diferente com o pescado. Os estabelecimentos participantes serão identificados com cartazes do evento. A expectativa é que o festival dê maior destaque ao principal produto da atividade pesqueira angrense, mantendo-o presente nos cardápios dos restaurantes o ano inteiro. Turismo sustentável é feito com cores, sons e os sabores do lugar.

Começou

O fim de semana de sol forte e com a colaboração do arco metropolitano, já começou a trazer pesadelos para o município. no fim da tarde de ontem um motorista bêbado perdeu a direção e atropelou pelo menos seis pessoas na Rio Santos, na altura de Muriqui. As vítimas estavam em uma barraca de cocada. O caso mais grave é o da menina Charlana, que teve de ser removida de helicóptero para um hospital. A população, revoltada, colocou fogo na pista em manifestação de protesto. Aliás, como já alertamos algumas vezes aqui no blog, a construção do Arco Metropolitano do Rio viabilizou a entrada em massa do turismo na Costa Verde. Nosso verão promete outros pesadelos.Acidente II

Acidente

Anúncios

4 respostas em “14 de setembro de 2014

  1. Guerrilha eleitoral.
    O pior é que a governanta é economista(doutora não-mentirinha).
    A máquina de infâmias do PT é asquerosa.
    Lula,que está por trás(no mal sentido)de tudo isso provou desse veneno com Collor(hoje mimiguinho)e não aprendeu nada de ética e honestidade.Como disse lá trás Regina Duarte:”Estou com medo”.Eu não.EU ESTOU APAVORADO!!!

  2. Bom dia professor !!! Sou um leitor assíduo do seu blog de notícias e o considero muito importante para informar a população sobre os fatos ( verdadeiros ) que acontecem na região . Sou morador de Nova Iguaçu e a pelo menos 2 anos freqüento Itacuruça em virtude de ter comprado apartamento no novo condomínio e de possuir lancha. Acho que o arco metropolitano ( que no meu caso melhorou e muito o meu trajeto ), vai ser uma grande oportunidade para as cidades da costa verde, captarem recursos. O que na verdade precisa ( e já deveria ter sido ) ser mudado, é o entendimento de quem governa essas cidades. Imagina você ter uma área de praia próxima da sua casa, onde no máximo em 40 minutos você já na areia ? Agora eu te pergunto : cadê a estrutura pra receber os turistas ? Uma guarda municipal ineficiente, faltam lixeiras, mais áreas de estacionamento,fiscalização sobre carros de som, buracos pra todo lado, uma melhor iluminação a noite… Ou seja, nada impossível de se fazer. O que precisa é ter boa vontade, com certeza Itacuruça seria MUITO DIFERENTE se fosse administrada por pessoas sérias e responsáveis…o sol esta aí, o verão se aproximando e pelo visto o sofrimento será revivido com grande intensidade, tendo em vista que tivemos pouco frio este ano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s